Free Hosting

Free Web Hosting with PHP, MySQL, Apache, FTP and more.
Get your Free SubDOMAIN you.6te.net or you.eu5.org or...
Create your account NOW at http://www.freewebhostingarea.com.

Cheap Domains

Cheap Domains
starting at $2.99/year

check

 

Mensagens entre 18/9/2001 e 23/9/2002

 

  1. "...É uma Bênção!"

  2. Leitor Quer Voltar a Ser Cidadão

  3. Curiosidades

  4. Leitora Busca Esclarecimento

  5. Um leitor nos escreve da Espanha

  6. Leitor cria um novo site

  7. 1914 - De onde veio esta data?

  8. Campanha de Vacinação

  9. Intercâmbio de Textos

  10. O Eterno Dilema

  11. "Saí Dela, Povo Meu..."

  12. Pensando com Raiva

  13. Combatendo o Racismo

  14. Sobre o Serviço Militar II

  15. Livre Novamente

  16. Manipulação Mental

  17. Romances em Perigo III

  18. Sobre o Serviço Militar I

  19. 'De Casa em Casa'

  20. Organização 'Pura'?

  21. Outro Leitor nos Escreve de Portugal

  22. Tempo Perdido?

  23. Legítima Defesa

  24. Sobre o Artigo "As TJ e o Ocultismo"

  25. Utilidade Médica

  26. Apesar de 1975...

  27. Incisivo sem ser Apelativo

  28. Um Dissidente Agradece

  29. A quem se aplicam estes textos?

  30. Palavras de Apreço

...Mensagens anteriores

 

 

"...É uma Bênção!"

Início

R.C., Brasil, 23/9/2002

 

     Este site é uma bênção. Gostei muito e louvo a Deus pela sua vida e sua coragem em anunciar as verdades da palavra de Deus e as mentiras desta seita - TJ.

     Peço permissão para usar algumas matérias suas em nosso site http://clamordomundo.com.br, com os devidos créditos a seu site e um link para ele.

     Aguardo sua resposta.

 


Leitor Quer Voltar a Ser Cidadão

Início

E., Brasil, 17/9/2002

 

     Olá, Boa Tarde.

 
     Estive esses dias pesquisando na internet, e confesso não estava confiante em achar alguma pagina que desse alguma "luz" sobre essa questão, e qual foi minha surpresa em encontrar sua pagina, puxa, fiquei muito entusiasmado, porque já tinha perdido as esperanças em encontrar alguma informação sobre como reverter o processo de eximição. Suas informações são bem úteis, mas, no meu caso, eu tenho agora 31 anos e desde 1988, quando entrei com o pedido de  eximição, "como me arrependo disso". Até agora não obtive nenhuma resposta, ou seja, não veio pra mim a carta de eximição. Eu gostaria de saber quais são os procedimentos para que eu possa reaver meus direitos polticos. Eu tentei achar na sua pagina os documentos necessários para "aqueles que não receberam o atestado de eximição", mas não achei. Gostaria muito que você pudesse me ajudar, me enviando por email os modelos dos documentos necessários e os passos necessários para que eu possa entrar o mais rápido possível com esse processo para reaver os direitos políticos.
 
     Um abraço,

Nota: As Testemunhas de Jeová recusam-se a cumprir sua obrigação para com o Serviço Militar. No Brasil, isto resulta na cassação, ou seja, a perda dos direitos da cidadania - o jovem fica impedido de ter título de eleitor e carteira de reservista. As conseqüências sobre a vida profissional são terríveis, pois a pessoa não poderá participar de qualquer concurso público ou assumir cargos. É o caso deste leitor - após receber instruções enviadas por mim para agilizar seu processo de reabilitação política perante as autoridades, ele voltou a me enviar correspondência, desta vez, em palavras bastante comoventes:

 

     Tudo bem, Odracir ?

 
     Eu procurei na sua HP, na mail list, mas, só tem a relação de documentos para os que já foram eximidos. Inclusive procurei na sua HP, onde você pede para olhar o email que mandou para o A., que está na mesma situação que eu, que ainda não recebeu a carta de eximição, mas o link não funcionou. Aquelas informações realmente foram bem úteis, mas, se for possível  você me mandar a cópia dos documentos necessários para quem ainda não recebeu a eximição, eu agradeceria muito. Inclusive, eu sugiro que você coloque um link em sua página para esse tipo de assunto,  juntando todas as informações em um único lugar.  Olha, tenho certeza que vai ajudar muita gente mesmo. Além disso, como você mesmo disse na pagina que o processo é demorado, se eu entrar com um advogado, será que pode ser mais rápido ? Você conhece alguém que pode nos ajudar neste caso ? É que estou querendo fazer faculdade, tirar passaporte, e, pra te falar a verdade, eu estou com uma vontade de prestar minha cidadania, ser uma pessoa NORMAL, como as outras. Sabe, as vezes fico pensando, quantas coisas que nós, quando jovens, perdemos em relação à experiência de vida, em crescimento como cidadão, é... o tempo passa...
 

     As vezes me sinto muito deprimido com esta situação, olhando muitas vezes para meus colegas de trabalho, para as pessoas em volta, me sentindo "submisso", fraco  por ser diferente, ainda que não no pensamento hoje, mas na condição desigual em que fui colocado, e este sentimento é como li em alguns depoimentos em sua pagina; um sentimento que percebi em todos aqueles que passaram por esta "experiência religiosa". Por isso, a minha angustia e meu desejo de tentar o mais rápido possível reverter esta minha condição e de ser um cidadão como outro qualquer, podendo colocar minhas opiniões sobre política, sobre meu país, enfim ...

 

     Sabe, talvez você não acredite, mas, eu, apesar dos meu 31 anos, estou escrevendo tudo isso e me desabafando com você, com os olhos cheios de lágrimas ! Desculpe pelos desabafos, mas foram marcadas duramente em nossa personalidade, principalmente pessoas como eu que desde os 6 anos ia ao salão, coisas que são difíceis de apagar tão rapidamente, mas a gente vai melhorando dia a dia, ou melhor, vai se curando dia a dia. Mais uma vez, desculpe pelos desabafos !  

 
     Obrigado e um abraço.

 

Curiosidades

Início

Z.M., Brasil, 30/8/2002

 

     Desde 1879, as Testemunhas de Jeová utilizam a Watch Tower Bible and Tract Society of Pennsylvania como ÚNICA detentora dos direitos autorais de tudo que produz, envolvendo a publicação de bíblias, revistas, Ministérios do Reino, páginas na internet, CDs, K7s e vídeos.

     Pois bem, desde Agosto de 2002, o informativo NOSSO MINISTÉRIO DO REINO  vem com o seguinte Copyright ©: Christian Congregation of Jehovah's Witnesses. Esta sociedade, que tem caráter religioso, parece ser diferente da Watch Tower Bible and Tract Society of Pennsylvania  (Não confundir com a Watchtower Bible and Tract Society of New York - que tem funções completamente diferentes. É, entre outras coisas, uma editora, assim como a Sociedade Torre de Vigia do Brasil e, no seu estatuto, classifica-se com filantrópica).

     Não se sabe o que isto indica, mas pode parecer uma mudança no que vem pela frente em termos de rumo na teologia
das testemunhas de Jeová, pois o último elo com C.T. Russel era a WTBS de Pennsylvania, criada por ele mesmo.

     Na página 2 de A Sentinela e na página 4 de Despertai!, havia o seguinte convite: "Escreva à Torre de Vigia ..."

     Desde que foi criada a ATCJ o convite passou para: "Escreva às Testemunhas de Jeová..."

     Mais uma vez, a Sociedade Torre de Vigia ou Watch Tower perdendo poder para a Christian Congregation of Jehovah´s Witness ou, no Brasil, Associação das Testemunhas Cristãs de Jeová".

 

 

 

Leitora Busca Esclarecimento

Início

J., Brasil, 28/8/2002


     Sou Testemunha de Jeová de coração há 10 anos - mediana, que nunca soube da existência de fatos como estes relatados por você. Gostaria ver e ler este compêndio de 1913 sobre maçonaria. É muito importante para mim também, com certeza. Como posso consegui-lo? 

     Atenciosamente

 

Nota: o compêndio de 1913 a que esta leitora se refere é o Relatório de Convenção daquele ano, no qual acham-se registrados o depoimento de Clayton Woodworth sobre seu passado envolto em possessões demoníacas e o discurso do 'pastor' Russell diante da Loja Maçônica de Pasadena-Califórnia. Trata-se de publicação muito antiga e de difícil obtenção. Eu mesmo só possuo fotocópias de trechos da referida obra, obtidas de sites internacionais.

 


Um leitor nos escreve da Espanha

Início

F.C., Alicante - Espanha, 6/7/2002

 

     Hola querido amigo

     Soy un ex-testigo de Jehová, vivo en Alicante España. Me ha gustado mucho tu pagina, es una pagina muy completa, sobre todo el articulo sobre el tetragrama es muy interesante, ¿hay posibilidad de tenerlo en español? Nosotros aquí en España encabezamos una lucha para desenmascarar a la Watchtower, tenemos una pagina web  www.ayafin-tj.org

     Espero tus noticias 

     Un saludo afectuoso 

 

 

Leitor cria um novo site

Início

Anônimo, Brasil, 6/7/2002

     Olá, meu amigo Odracir, como vai? Tudo bem?


     Tenho acompanhado já há algum tempo seu website e gosto muito dos seus  artigos. Fui Testemunha por 22 anos, mas decidi abandonar a fé depois de um doloroso reexame. Decidi criar um website pra abrigar alguns artigos que escrevi e ajudar outros com o que descobri. Como sou fã dos seus artigos, suas críticas e sugestões aos meus serão bem-vindos. Se quiser dar uma olhada, aqui está o endereço do site

     http://home.attbi.com/~mundodatorre 

     Os meus favoritos são:  "Sangue - O que aconteceu em 14 de Junho de 2000?"  e  "Testemunhas de Jeová Enfrentam Crise de Credibilidade nos Estados Unidos".

     O primeiro que escrevi, porém, foi "1975 - Mamãe Prometeu Tanto, Mas Não Cumpriu".


     Duas seções do website ainda estão incompletas. Um link no seu website seria também muito apreciado.


     Grande abraço,
     Um Observador

 

 

1914 - De onde veio esta data?

(Minha resposta está em azul)

Início

M.A.S., Brasil, 30/6/2002

     Graça e Paz do Senhor 

     Prezado irmão, meu nome é M.A.S. , sou membro da Igreja Batista Nova Vida e também faço seminário Batista. Tenho uma dúvida para a qual não consegui uma resposta que me satisfaça, a saber... 

     Como foi determinado o ano de 1914 para as Testemunhas de Jeová? 

     No aguardo de sua resposta...

 

     Prezado leitor 

     É uma honra poder esclarecer uma questão que envolve o próprio alicerce sobre o qual foi edificado o movimento religioso Testemunhas de Jeová – a escatologia. Primeiramente, é preciso frisar que a idéia de “calcular” datas apocalípticas não nasceu com esta religião. Na verdade, séculos antes de Cristo, esta era uma prática comum. Por exemplo, cerca de 600 anos antes do surgimento do cristianismo, um ‘profeta’ persa chamado Zoroastro já previa um confronto universal entre o bem e o mal, culminando em um cataclismo, após o qual a bem-aventurança estaria reservada aos justos e a ordem mundial seria restaurada. Muitos não percebem a enorme influência das idéias de Zoroastro no judaísmo e no cristianismo. Exemplificando, os essênios, membros de uma seita judaica também anterior ao nascimento de Jesus Cristo, isolaram-se nas cavernas de Qumram, à espera do ‘fim do mundo’ – para eles, um evento iminente. De certa forma, seu temor se concretizou quando os romanos atacaram sua comunidade, dizimando-os. Os cristãos do primeiro século também esperavam ver a glória do Senhor em seu próprio tempo, na forma de um acontecimento espetacular. Deveras, o apóstolo Paulo enfatiza continuamente, em suas epístolas, a ‘brevidade do tempo’ (1 Cor. 7: 29) Assim sendo, era somente natural que, na falta do tão aguardado evento, as gerações futuras persistissem na tentativa de “adivinhar” uma data para ele. O rabino Akibah Ben Joseph  (50 - 132 DC) foi pioneiro em estabelecer um princípio conhecido como ‘dia-ano’, ou seja, aquele que generaliza as palavras do textos bíblicos de Números 14: 34 e Ezequiel 4:6 como sendo a chave para o entendimento de todas as profecias que usam o termo ‘dia’. Sob este entendimento, um dia corresponde sempre a um ano. O cristianismo também aderiria a esta idéia - no século XII, o monge católico Joachim de Fiore "calculou" a data da volta do Messias partindo do princípio 'dia-ano' e aplicando-o a Apocalipse 11:3. Deste modo, chegou ao ano de 1260 DC. Nada aconteceu. A partir daí, um longo desfile de escatologistas se seguiu, com a proposição de novas datas. Com o fracasso de todas as datas partindo de um período de 1260 anos, os aspirantes a 'profetas' decidiram-se por períodos mais longos. Um inglês chamado John Acquila Brown foi pioneiro em lançar mão de um período de 2520 anos, partindo do capítulo 4 do livro de Daniel (os "sete tempos"). Em 1823, ele fez um cálculo, partindo da data de 604 AC, ano aproximado da famosa batalha de Carquêmis, na qual os babilônios bateram o último aliado da recém-derrotada potência assíria - o exército egípcio. Contando 2520 anos, ele chegou ao ano de 1917. A partir de Brown, outros autores adotaram tal período e começaram a relacioná-lo ao assim chamado "tempo dos gentios', mencionado em Lucas 21: 24. Na primeira metade do século XIX, um pastor batista, W. Miller, fez outro cálculo, começando de 677 AC - suposta data da captura do rei Manassés - e chegando a 1843. A expectativa em torno daquele ano levou ao que se chama "grande desapontamento" - nada aconteceu (como de costume). Todavia, alguns seguidores de Miller insistiriam com novas datas - um deles chamava-se Nelson Barbour. Ele pregou a volta de Cristo em 1874 e o  'fim do mundo' para 1914. O processo todo pode ser resumido assim:

A) Os "sete tempos" mencionados repetidamente em Daniel, cap. 4, significam 7 anos, ou 2520 dias. Tomando 'um ano por um dia', chega-se a 2520 anos.

B) Este período de 2520 anos corresponderia aos "tempos das nações", de Lucas 21: 24.

C) Nelson Barbour tinha apontado para a data de 1874 como aquela em que Cristo retornaria à terra. Como nada aconteceu, ele mudou a interpretação da profecia, afirmando que naquele ano o Senhor, de fato, 'retornou', só que de forma 'invisível'. Mas, ainda faltava determinar a data para o 'armagedom'. Barbour voltou-se para as escrituras, em busca da resposta. Seu cálculo dependia de um ponto de partida.

D) A data de partida deveria contar a partir da destruição de Jerusalém pelos babilônios. As evidências históricas apontam para o ano de 539 AC como aquele em que os judeus cativos foram libertos de Babilônia pela Medo-Pérsia. Barbour presumiu que as primeiras grandes levas de judeus retornaram ao seu lar destruído apenas por volta de 536 AC. Contudo, ele cometeu um equívoco - supôs que os 70 anos aplicados à profecia de Babilônia (Jer. 25: 11,12) significariam 70 anos de exílio para toda a nação judaica (com efeito, os 70 anos referiam-se ao poderio babilônico, não ao exílio judaico). Assim, contou 70 anos para trás e caiu no ano de 606 AC. Ao contar 2520 anos a partir daí, ele chegou a 1914. Ainda assim, cometeu outro erro - despercebeu a inexistência de um ano 'zero'. Assim, seu cálculo cairia, na verdade, em 1915 e não 1914.

E) O 'pastor' Russell gostou da idéia de uma 'presença invisível', advogada pelo grupo de Barbour. Encontrou-se com ele em 1876 e ficou totalmente convencido por seus cálculos. Até hoje, as Testemunhas de Jeová pensam que foi Russell o autor desta 'profecia'.

F) Curiosamente, o erro de um ano entre 606 AC e 1914 DC permaneceu despercebido por décadas, até que os sucessores de Russell notaram que, para manter a data 1914, já anunciada, teriam de recuar um ano, para 607 AC. Fizeram isto por presumir que os judeus retornaram ao seu lar em 537 AC, ou seja, dois anos após a derrota de Babilônia e a emissão do decreto do rei Ciro, em 539 DC. Daí, contaram novamente 70 anos para trás e caíram na data que mantêm até hoje - 607 AC. Esta foi, sem dúvida, uma coisa fácil de fazer - no papel. A História, contudo, não apóia estas contas.

G) Babilônia reinou, de fato, por 70 anos, de 609 AC (quando os últimos focos de resistência assíria caíram) a 539 AC (com a invasão da Medo-Pérsia) e é a este período que a profecia de Jeremias muito provavelmente se refere.

H) O povo judeu caiu cativo aos poucos, primeiro perdendo autonomia política, após algumas visitas do exército babilônico e levas de deportados. Durante este período, Jeremias avisou-os continuamente da necessidade de cederem a Nabucodonosor e assim seriam poupados da destruição (Jer. 27: 8-11). Mas, com a resistência do rei Zedequias, a cidade acabou por ser sitiada e destruída em 587 AC. Assim, ao passo que o período de domínio babilônico correu ao longo de 70 anos, o exílio de todos os judeus só se deu por cerca de 50 anos.

     Este é o maior erro dos escatologistas da Sociedade Torre de Vigia - não têm apoio histórico algum para sua teoria. Nenhum livro de história no mundo aponta para 607 AC como a data da destruição de Jerusalém. Além disso, não há como provar que a profecia de Daniel 4 guarda qualquer relação com a de Lucas 21: 24. É mera inferência ou suposição, pois as escrituras não afirmam que há ligação entre estes textos (escritos com séculos de diferença). Nem mesmo há como provar que o acontecido com o rei Nabucodonosor - a loucura por 'sete anos' - tivesse alguma aplicação além daquela dirigida a ele próprio, por sua arrogância desmedida. Por outro lado, transformar sete anos em 2520 dias e depois converter os dias em anos novamente, chegando a 2520 anos, é o tipo de malabarismo mental que se ajusta melhor ao esoterismo do que ao cristianismo.

     Um  último detalhe: muitos perguntam por que a Sociedade Torre de Vigia não cede simplesmente às evidências e corrige a data. A resposta a isto é simples - se assim o fizesse, teria que abrir mão também do assim chamado período de 'inspeção' de Jesus Cristo, entre 1914 e 1918 (amplamente ensinado na literatura da Sociedade). As Testemunhas de Jeová foram ensinadas a crer que os dirigentes de sua religião receberam autoridade de Cristo em 1919, após o Filho de Deus ter examinado todas as religiões do mundo. Ora, negar a data de 1914 implica, pois, no completo colapso da autoridade espiritual alegada pelo 'corpo governante' da Torre de Vigia. Se 1914 nada significa, então, não houve qualquer período de 'inspeção' e nenhuma autoridade foi concedida em 1919. O movimento perde seu passado e sua identidade, deixando de ter sentido. É por esta razão que as Testemunhas se 'agarram' como podem a este ano. Em 1995, tiveram que abrir mão da doutrina da 'geração de 1914', pois esta completava 80 anos e nada havia acontecido à ordem mundial, como fora previsto anos antes. O 'corpo governante' cedeu até onde pôde, mas está inexoravelmente amarrado a 1914 - uma espécie de 'fim' auto-imposto. É obrigado a perpetuar este erro cronológico cometido por Nelson Barbour e Charles Russell, sob pena de deixar de existir como grupo religioso. Até onde se irá com esta teoria, é difícil dizer. Sem dúvida, é triste estar preso a um erro óbvio e não poder consertá-lo. Além disso, com a virada do século 21, a escatologia entrou em declínio - as pessoas cansaram de esperar por um futuro que nunca chega e agora deixam-se seduzir pelo apelo imediatista do neopentecostalismo. É a maior crise da história das Testemunhas de Jeová.

     Espero ter-lhe sido de ajuda no esclarecimento deste ponto. Recomendo-lhe a leitura da obra "Proclamadores" (1993), publicada pelas Testemunhas de Jeová, e o livro "The Gentiles Times Reconsidered" (em inglês), da autoria de uma ex-Testemunha, C.O. Johnsson, o qual esquadrinha o assunto.

     Saudações,

     Odracir

  

 

Campanha de Vacinação

(Minha resposta está em azul)

Início

B.M., Brasil, 27/6/2002

 

    
     Caro Odracir,

    Tive acesso à sua página por acaso. Ao fazer pesquisa na internet sobre a vida do apóstolo Paulo, deparei-me com a sua home page.  Confesso que fiquei impressionada com a quantidade de informações oferecidas, pois nunca imaginei que a "nudez" da torre de vigia pudesse ser exposta, e ainda mais por ex-membros.  Por ser uma religião muito fechada,  quase não temos  notícias de escândalos ou de outros fatos que comprometam os lideres dessa seita.

    Sempre gostei de ler a respeito de outras religiões não cristãs, em publicações baseadas na Bíblia, para entender porque as pessoas dão crédito a essas doutrinas.   Li muitos livros e artigos sobre as TJ, pq. sua forma de de doutrinar sempre me impressionou, devido à sua aparente lógica, já que eles "raciocinam" por você, com um sistema de perguntas e respostas aparentemente coerente.

    Fiquei feliz e surpresa ao ler página assim tão esclarecedora, concisa, sem rancores.  Então, da sua página, passei para a Cid Miranda, Osarsif, Irmão Brasileiro etc. Confesso  que, ao ler sobre Raymond Franz, senti muito respeito e admiração por esse homem, pela maneira ética e íntegra com que ele denuncia os desmandos da Sociedade Torre de Vigia (comprei, inclusive,  o livro Crise de Consciência, por sinal, muito bom!).

    Mas, fico curiosa (me desculpe o termo, se você achar impertinente) por saber em que realmente você crê hoje. Sei que a doutrina da STV é completamente diferente das demais instituições cristãs. Se você por tanto tempo foi doutrinado dentro dela, o que permaneceu do que vc aprendeu lá? Por exemplo, sobre a pessoa de Jesus, o Espírito Santo, o inferno, salvação, a alma humana?  Você se reúne com outros para adoração? Em residências ou em algum lugar específico? (Me perdoe se pareço inconveniente, mas sinceramente fico ansiosa por saber, visto que nunca conheci nenhuma ex-TJ).  Por vezes, fico a imaginar qtas. pessoas foram marcadas da maneira mais profunda no coração, na mente, na vida como um todo, até descrentes se tornaram, por causa da decpção com sua religião, seus líderes espirituais ou por escândalos, perdendo até o temor a Deus, enveredando, muitas vezes,  por caminhos piores do que os trilhados antes dessa experiência.   Ficam cauterizadas, "vacinadas" contra Deus. Quão grande serão as contas desses lideres falsos a ajustar com o Senhor.   Inobstante, existem pessoas, como vc que não perderam a sua fé, mesmo que a muito custo. Procuram, entretanto, ser fiéis a Deus, e isso é maravilhoso!  È terrível se sentir enganado, traído, a sensação de ter jogado fora tanto tempo de sua vida.

    Mas, o cristão vive por fé, e olha para diante, para "o prêmio da soberana vocação", graças a Deus por isso, que deu a vc e a tantos outros benção de permanecer com Ele, que é o "nosso lugar seguro".

    Um abraço fraterno, com admiração e carinho.

    B. M.            

    PS: Não gostaria que vc. tornasse público meu nome.  Por favor, me responda.

 
     Cara leitora
 
     Fico profundamente lisonjeado por suas palavras gentis. Por correspondências como a sua e pelo número de visitas diárias à minha HP, percebo que o trabalho árduo não foi em vão - mais e mais pessoas estão se familiarizando com os riscos da hipocrisia e do autoritarismo religioso. Contudo, os líderes da Sociedade Torre de Vigia não são os únicos a cair em tais faltas, elas são típicas de muitos sistemas religiosos. Pessoalmente, busco não exaltar nenhuma instituição sobre as demais. Acima de tudo, combato o fundamentalismo religioso - os assim chamados 'donos da verdade'. A situação no Oriente Médio nos dá amostras diárias das consequências de tal forma intransigente de pensar.
 
     Quanto à minha condição pessoal, agradeço-lhe pelo interesse. Devo dizer-lhe que não estou "vacinado" contra Deus ou contra a espiritualidade. Todavia, estou, sim, muito bem "vacinado" contra religião; contra homens que se arvoram em 'representantes' de Deus; contra as disputas doutrinais seculares; contra a intolerância dos que se julgam 'os escolhidos'; contra o sentimento que faz um ser humano se achar superior ou mais 'abençoado' que os demais; contra a segregação por razões de ideologia religiosa, enfim contra os malefícios da espiritualidade mal orientada.
 
     No que diz respeito às questões doutrinais - triunidade, inferno, alma imortal etc. - devo lhe dizer que não me sinto incomodado por elas. Se Deus é trino, para mim está bom. Se não é, também está bom. Se a alma é mortal, para mim não há problema. Mas, se é imortal, também não há. A realidade não muda se eu descreio dela. Prefiro me manter fora destas disputas que, ao longo de séculos, só fizeram dividir ainda mais a humanidade. Os hindus e budistas não discutem estas questões - na verdade, as antigas escaramuças dos cristãos em torno de algumas delas foram um dos fatores que impeliram Maomé em sua cruzada, fazendo nascer o islamismo. Em pleno século 21, percebo que nada realmente mudou, os cristãos continuam mais divididos do que nunca - unitaristas, trinitaristas, aniquilacionistas etc. Por isso, prefiro manter-me religiosamente neutro. Estou aberto à revelação, desde que ela se dê de forma clara e sem "atravessadores" humanos, travestidos de "mensageiros da verdade", enquanto se mostram completamente ignorantes da ciência, da história e até da teologia. Muitos usam a religião como meio de fazer fortuna à custa de vítimas incautas (como exemplo bizarro, a quadrilha criada pelo Sr. Edir Macedo). Se Deus deseja aproximar-se de suas criaturas, certamente saberá fazê-lo de maneira eficaz, sem depender dos sempre mutantes conceitos culturais dos povos. Se há uma justiça universal, espero para vê-la ou compreendê-la, pois a humanidade continua a padecer por milênios, sem socorro - neste exato momento, milhares de crianças inocentes estão sendo assassinadas em conflitos sem sentido, sexualmente abusadas, espancadas ou mortas de fome. Recuso-me a crer que isto ocorra em nome de uma calúnia supostamente levantada pelo diabo, pois isto equivaleria, como diz Thomas Paine, a dar-lhe mais poder do que aquele que se atribui a Deus. Até hoje, ninguém me deu explicação lógica, plausível e satisfatória para estas questões que põem em xeque a justiça suprema no universo. Certamente, é fácil falar em bem-aventurança quando se tem os filhos em casa, alimentados, aquecidos e seguros. Porém, para milhões de pessoas que têm suas crianças mortas ou entregues à própria sorte, é necessária alguma intervenção mais eficaz do que simplesmente uma prece, um canto, algumas palavras e votos de paz e felicidade. É preciso AÇÃO! Infelizmente, não é isto que vejo por parte das grandes instituições religiosas do mundo. Na verdade, as brigas entre elas estão muitas vezes na raiz de todo este mal.
 
     Assim sendo, cara leitora, espero não decepcioná-la com minha forma de pensar. Não pertenço a qualquer instituição religiosa, mas acredito na solidariedade, no humanitarismo. Creio que todos podemos nos ajudar uns aos outros, desde que não exista entre nós qualquer forma de preconceito alimentado por filosofias religiosas segregadoras. Sinto-me honrado com sua visita à minha HP e faço votos de que continue a pesquisar a religião, pois daí pode nascer o esclarecimento.
 
     Com amizade e respeito,
 
     Odracir
 
     PS: fique tranquila quanto à sua identidade, pois está preservada.
 
 
     Dias depois, recebi outra mensagem desta mesma leitora. Eis o seu conteúdo:
 

      Prezado Odracir    


     Como se avizinha o dia da amizade, 20 de julho, decidi enviar-lhe este e-mail. Você estranha? Eu explico. Suas mensagens têm sido companhia muito esclarecedora e agradável. Sua experiência de vida e a forma de expressar  suas idéias impressionaram-me bastante. Desde outubro de 2001, tenho acessado sua HP, e, de certa forma, ao lê-la, é como se conhecesse um pouco você, talvez  por haver me identificado em algumas situações ali descritas. Por isso, quase um ano de  “convivência virtual" ensejou o envio desta mensagem e da anterior a qual você intitulou de "Campanha de Vacinação". A propósito, o termo "vacinado", em absoluto, se referia à sua pessoa. Quanto às sua posições pessoais, não me decepcionaram, apenas me desconcertaram um pouco. Bem, desejo de coração que você prospere no seu objetivo de promover esclarecimento e conscientização. Acredito que outras pessoas (que, como eu, conhecem seu trabalho) se sintam ligadas a você por um sentimento de consideração e apreço. Então, permita-me desejar-lhe um PROVEITOSO DIA DA AMIZADE.


     Com amizade e respeito. 

     BM

 

 
 

Intercâmbio de Textos

(Minhas respostas estão em azul)

Início

R.E., Brasil, 18/6/2002

 
    
    Vós sois de vosso pai, o Diabo, e queres fazer os desejos de vosso pai. Esse foi um homicida quando começou, e não   permaneceu firme na verdade. Quando fala mentira fala segundo  a sua própria disposição, porque é um mentiroso e o pai da   |mentira|. JOÃO 8:44
 
     Obrigado por me enviar este texto, muito embora sua aplicação dele esteja totalmente fora do contexto histórico - releia os versículos à volta e veja que Cristo dirigiu estas palavras aos fariseus, os quais o estavam ofendendo, chamando-o de 'filho de fornicação' e 'possesso de demônio'. Perceba ainda que os impropérios dos judeus foram diretamente dirigidos a Cristo e não ao 'Pastor' Russell ou a qualquer um de seus sucessores (Rutherford, N. Knorr, F. Franz, M. Henschel e Dom Adams). Todavia, reconheço que você foi doutrinado de forma a crer que aqueles que criticam os métodos e os ensinos de uma certa organização humana, com sede em Brooklyn-N. York-EUA, estão criticando o próprio Cristo. Obviamente, qualquer religião poderá fazer uso deste mesmo argumento. Por outro lado, tirar passagens bíblicas de contexto e usá-las para "chicotear" aqueles que discordam dos ensinos da Sociedade Torre de Vigia é, infelizmente, uma prática comum entre as Testemunhas de Jeová. Como já disse, elas foram treinadas para agir assim...
 
     Em retribuição, envio-lhe estes textos:
 
     "Além disso, parai de julgar, e de modo algum sereis julgados; e parai de condenar, e de modo algum sereis condenados..." - Lucas 6: 37
 
     "No entanto, eu vos digo: Continuai a amar vossos inimigos e a orar pelos que vos perseguem..." - Mateus 5: 44


    O quê! Não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não sejais desencaminhados. Nem fornicadores, nem idólatras, nem adúlteros, nem homens mantidos para propósitos desnaturais, nem homens que se deitam com homens, nem ladrões, nem gananciosos, nem beberrões, NEM INJURIADORES, nem extosores herdarão o reino de JEOVÁ DEUS.   I CORÍNTIOS 6: 9,10
 
     Aqui, mais uma vez, você utiliza uma passagem bíblica fora do contexto original. Releia os versículos anteriores e perceba que Paulo dirigiu estas palavras a membros da congregação de Corinto que estavam levando seus colegas aos tribunais. É em razão disso que ele inicia a fala com o tema 'justiça'. Paulo aproveita a ocasião para mencionar outras transgressões morais, sem, no entanto, deixar de enfatizar aquelas que costumeiramente suscitavam litígios judiciais entre os cristãos daquela cidade, a saber, acusações de roubo, injúria e extorsão. Segundo o Código Penal Brasileiro, injuriar alguém consiste em atribuir-lhe fato inverídico e definido como crime. Poderia, por favor, citar, especificamente, em que trecho de meus artigos eu imputo aos líderes da Sociedade Torre de Vigia um fato inverídico? Se há uma coisa com a qual lido de forma responsável é o embasamento documental de minhas denúncias - na maioria das vezes, as provas provêm da própria literatura da Sociedade, com data de edição e página. Estou disposto a remover quaisquer afirmações em meu site, desde que você demonstra, com contraprovas materiais, que elas são falsas. Caso não possa fornecer tais evidências, os artigos vão continuar como estão. Lamento se isso o incomoda...

    Es que o dia do SENHOR JEOVÁ está perto, e você vai pagar por suas mentiras. EU LOUVO A JAH!!!
   
     Leia outras mensagens em minha seção de correspondência e verá que este tipo de ameaça vazia é uma coisa costumeira à mentalidade fundamentalista das Testemunhas de Jeová. Estou certo que o tom de suas palavras harmoniza-se muito bem com os discursos de Osama Bin Laden e seus comparsas, classificando os cristãos do ocidente como "porcos infiéis". Concorda com eles? Assim como você afirma louvar a Jah, os terroristas palestinos afirmam louvar a Alah. Quem está com a razão - você ou eles? Para mim, nenhum dos dois grupos...
 
     Se decidir enviar-me uma réplica, terei prazer em contestá-la, desde que apresente evidências sérias. Caso contenha mais ameaças e insultos, não poderei levá-la a sério, simplesmente a publicarei - naturalmente, omitindo seus dados pessoais - apenas para que os leitores de meu site vejam por si mesmos como as Testemunhas de Jeová reagem às críticas sobre suas crenças.
 
     Atenciosamente,
 
     Odracir
 
 

O Eterno Dilema

(Minha resposta está em azul)

Início

J.N., Brasil, 3/6/2002

     Prezado Odracir,

    Talvez você não tenha ouvido falar em mim, mas fui TJ por 8 anos, durante os quais desempenhei vários papéis na Organização, o último deles de ancião Sup. Presidente de uma congregação no Rio Grande do Sul. Eu me dissociei das Tjs no início de 2000, após descobrir os branqueamentos e os erros da Torre. Minha esposa e meus filhos apenas se afastaram. Durante este período procurei conhecer outras denominações religiosas, e o resultado foi que nenhuma delas me tocou, pelo contrário só me fez perder a esperança de encontrar  um local onde possa me reunir com outros a fim de adorar a Deus. 

    Lendo seu artigo "O LADO NEGRO DA FORÇA"  fiquei bastante impressionado com suas pesquisas, dá para notar que você pesquisou a fundo a questão. Cheguei a conclusão que realmente os seres humanos são bastante manipuláveis e que dependendo de quem está no comando. Pode-se dizer que as massas servem de marionetes para que os manipuladores atinjam seus objetivos.  

    No entanto, você sabe que a maioria dos seres humanos necessitam de algo que lhes de suporte emocional e espiritual,  ou como alguns chamariam de "muleta emocional", mas o fato é que isto parece ser algo absolutamente necessário na vida de alguns.  

    No caso da minha esposa, ter ido conhecer outras religiões parece que serviu de efeito contrário, pois a mesma ainda nutre simpatia pelas TJs. Um dia desses, fiquei impressionado com o fato dela me perguntar se eu me importaria que ela fosse assistir a uma reunião das TJs. O que podia falar? Deixei isto a critério da mesma... Mas fiquei decepcionado e preocupado com o fato de alguém querer voltar a ser enganado por uma organização humana. Vendo as outras religiões, a conclusão dela foi que todas têm seus erros, mas que nenhuma é como as TJs. Gostaria que você me desse algumas dicas, sobre duas coisas: 1a - Como preencher esta necessidade de ter um lugar aonde ir para adorar a Deus (se é que exista) ?, e 2a - Como ajudar minha esposa a não retornar para as garras da torre?

     Um abraço

     N. 

     Caro N. 

     Saudações! 

     Conforme as explanações em meu artigo, estou bem cônscio da peculiar noção de espiritualidade do ser humano. O problema talvez consista no fato de que este atributo não é objeto de ciências exatas, ou seja, não se trata de uma coisa cuja origem possa ser demonstrada cientificamente, por experimentação. Com efeito, outra área do conhecimento humano encarregou-se de estudar a espiritualidade – a filosofia. Em biologia, lida-se com uma realidade palpável e definível em termos simples, em torno da qual se fazem indagações. Estas indagações levam ao surgimento de teorias. Por fim, a experimentação se encarrega de endossar ou negar a teoria. É um processo auto-corretivo. Todavia, em ciências humanas, não podem ser seguidos exatamente os mesmos passos, até por que o objeto de estudo é, em si mesmo, difícil de conceituar. Um órgão é algo que pode ser visto e tocado. Sua origem pode ser estudada por comparações com outros seres ou com fósseis.  Mas, o que é espiritualidade? A simples necessidade de crer em algo superior? Mero exercício dos neurônios ou reflexo da noção do bem e do mal? Por outro lado, o que são o bem e o mal? Mesmo nas ciências biológicas, quando se está diante de um sintoma, seguir o caminho inverso e determinar a causa do sintoma é algo complexo, pois várias enfermidades podem apresentar aquele sintoma. Imagine o quão difícil é seguir a trilha de um “sintoma” subjetivo como a espiritualidade, de modo a se concluir que ela é, em si mesma, uma prova da origem divina do ser humano. Tudo permanece na subjetividade. Assim sendo, creio que cada pessoa deve formar seu próprio conceito sobre o assunto. Você mesmo, caro amigo, deverá buscar uma forma saudável de sanar sua fome espiritual. Ninguém poderá faze-lo por você. Não me considero apto a indicar-lhe um caminho específico. Esta é uma responsabilidade da qual nenhum de nós poderá se esquivar, não importa o quão difícil seja tomar uma decisão. Particularmente, busco me manter religiosamente neutro (e sinto-me muito bem assim). No entanto, não acho que todos devam agir como eu. Só não acho justo que alguns se apossem de uma única definição do atributo espiritual para dominarem seus semelhantes, como gado em um curral – especialmente quando fica patente que o objetivo por trás disso é o poder econômico. 

     Com relação ao problema de sua esposa retornando à “torre”, cito um trecho de meu artigo

     Ao que tudo indica, muitos indivíduos são portadores de uma fragilidade de caráter que não lhes permite ver sentido algum na virtude ou na solidariedade, se não tiverem, como dizia Voltaire, um 'freio nos lábios' na forma de uma divindade, bem como uma igreja dentro da qual servi-la. Para estes, a religião é, antes de tudo, uma imposição psicológica, assumindo, às vezes, o caráter de 'mal necessário'. Trata-se de uma condição perigosa, pois a sanidade de tais pessoas repousa sobre um conjunto de crenças, que, por sua frágil base histórica, científica ou mesmo teológica, pode desabar a qualquer momento, sepultando suas esperanças sob os escombros do desapontamento religioso. 

     Deveras, os seres humanos são os mais contraditórios do planeta. Às vezes, para termos paz mental, criamos uma lógica que põe em risco nossa própria integridade física ou social. Torço para que um eventual retorno de sua esposa àquela organização não repercuta de forma negativa na relação de vocês (embora isto seja provável). Do contrário, não creio que o preço justifique o investimento. De qualquer modo, você terá de conceder a ela o livre-arbítrio. Talvez ela ainda precise se iludir por um tempo. Tudo que posso dizer é: fique ao lado dela, confortando-a e compartilhando com ela a complexa, mas agradável experiência de existir. 

     Cordialmente, 

     Odracir

     PS: tomei a liberdade de incluir esta mensagem em minha HP, omitindo seus dados pessoais.

 



"Saí Dela, Povo Meu..."

(Minhas respostas estão em azul)

Início

C., Portugal, 9/5/2002

 

     Li algumas partes da sua página na internet. Sou uma TJ activa e com elevadas responsabilidades a nível de congregação e não só. Devo admitir que algumas das coisas publicadas fazem algum sentido e levantam questões importantes. Que a organização não é perfeita todos concordamos, mas também nunca ninguém defendeu isso. Evidentemente, muitas coisas lamentáveis têm sido cometidas por alguns e eu tenho testemunhado muitas delas.
 
     Prezado C.
 
     Recebo com alegria sua mensagem - especialmente pelo tom polido e amistoso de suas palavras. Percebo também a profunda sinceridade com que se expressa a favor de sua fé, reconhecendo de forma cândida as limitações de sua religião. Certamente, se mais pessoas estivessem dispostas a seguir seu exemplo, abrindo as portas ao diálogo amigável e à conciliação, muitas diferenças poderiam ser dirimidas entre os indivíduos e o mundo seria menos castigado pelas consequêncais do fundamentalismo religioso.
 
     Sinto-me reconfortado por você ter compreendido a motivação de meu trabalho, tendo empreendido tempo para a consideração séria de meus questionamentos. Fico também surpreso e, ao mesmo tempo, feliz com sua candura em reconhecer que as questões que levanto fazem sentido. Reveste-se, igualmente, de grande significado sua franca admissão sobre ter "testemunhado muitas coisas lamentáveis", praticadas por algumas Testemunhas de Jeová. Eu também as testemunhei e poderia passar horas fazendo relatos. Por outro lado, estou certo de que sua comunidade, assim como a minha, deve ter ouvido por diversas vezes - em resposta a estas mesmas coisas lamentáveis - uma expressão do tipo "a Organização é perfeita, os irmãos é que são imperfeitos". Considere a fundo esta declaração, pois ela faz, segundo o que percebo, parte de um jargão destinado a bloquear os questionamentos que surgem naturalmente, toda vez que membros de uma organização dita 'perfeita' são achados em crassa transgressão. Ora, se analisarmos a referida expressão, tão comum entre as Testemunhas de Jeová, fica evidente seu caráter contraditório, pois uma organização NÃO pode ser perfeita se aqueles que a compõem são imperfeitos, assim como uma máquina não pode ser declarada perfeita se qualquer uma de suas peças for defeituosa ou passível de mal funcionamento. É o mesmo que dizer, "este automóvel é perfeito, embora seus freios sejam defeituosos". A "Organização" é composta de pessoas imperfeitas, logo, por uma questão de lógica, ELA TAMBÉM É IMPERFEITA. Uma corrente é tão forte quanto o mais fraco de seus elos. Sendo ela imperfeita como as demais, cabe um exame elucidativo para justificar uma classificação à parte das outras religiões. Muito embora, ninguém tenha, de forma explícita, dito que a inteira associação de Testemunhas pelo mundo seja perfeita, não se pode negar que a literatura da Sociedade Torre de Vigia tem repetidamente enfatizado a condição de 'paraíso espiritual' como exclusiva de sua comunidadePor exemplo, a edição de 15 de março de 1986 da revista A Sentinela, p. 20 e parágrafo 16, afirma que "somente no paraíso espiritual , entre as Testemunhas de Jeová, podemos encontrar o amor abnegado que Jesus disse identificaria seus verdadeiros discípulos". Presume-se, à base de tal afirmação, que a incidência de faltas graves entre os membros desta denominação é muito inferior àquela encontrada entre os ramos protestantes, ou as igrejas católica, anglicana etc. Todavia, a ocorrência de graves faltas morais entre as Testemunhas de Jeová, reconhecida por você e por mim, demonstra claramente a natureza insubmissa e falível do ser humano, o que põe por terra a falácia de 'povo especial', apregoada pela Sociedade Torre de Vigia. Nenhum grupo religioso foi capaz, em toda a história, de se manter moralmente estéril. No entanto, as publicações da Organização continuam a destacar a conduta de seus membros em relação às demais denominações. Agora, pergunte-se: onde estão os dados estatísticos que confirmam esta teoria? Se eles não existem - e eu nunca os vi enquanto membro desta comunidade - então por que a organização continua a fazer esta propaganda duvidosa? 
 
      Acho porém que o amor pelos irmãos que sinceramente buscam servir a Jeová me deve motivar a permanecer dentro da congregação, onde os poderei auxiliar e eventualmente defender de outros menos equilibrados. Evidentemente, não são dos que aceitam só por aceitar tudo o que lhes é dito, mas reconheço que, muitas vezes, deixo de dizer o que me apetecia, pois, se o fizesse, ser-me-ia mais difícil ver-me envolvido na tomada de posições que podem beneficiar os meus irmãos.
 
     Compreendo e respeito sua decisão. Estou certo de que ela se baseia na sinceridade. Todavia, a própria Sociedade Torre de Vigia afirma, no livro "Poderá viver..." (p. 31) que SINCERIDADE SÓ NÃO BASTA, é preciso fazer a coisa certa. Deveras, o antigo livro "Verdade que Conduz..." também afirma que fazer uma coisa com sinceridade não a torna certa, se ela for realmente errada. Assim sendo, que coisas ensinará às pessoas? Está realmente certo de que aquilo que lhe foi dito durante estes anos representa a verdadeira forma de cristianismo? Pode afirmar com certeza que o Corpo Governante, em Brooklyn, constitui, de acordo com as publicações, o ÚNICO CANAL DE COMUNICAÇÃO ENTRE DEUS E A HUMANIDADE? Pessoas "menos equilibradas" existem em todas as religiões - este não é o cerne da questão. O que realmente preocupa é aquilo em que os "mais equilibrados" crêem. Ao passar os ensinamentos da organização a estas pessoas, grande será sua responsabilidade. Se eles estiverem corretos, você terá feito um trabalho excelente, mas SE não estiverem, terá sido cúmplice daqueles que distorceram as Escrituras para legitimar sua autoridade sobre os homens. Deste modo, quando alguém for civil ou penalmente prejudicado por ser objetor de consciência ao serviço militar, VOCÊ TAMBÉM SERÁ RESPONSÁVEL; quando alguém perder um ente querido ou a própria vida pela recusa de um tratamento médico à base de derivados de sangue, VOCÊ TAMBÉM SERÁ RESPONSÁVEL; quando alguém rejeitar ofertas de estudos ou carreiras promissoras para se dedicar exclusivamente à Organização, com consequências vitalícias, VOCÊ TAMBÉM SERÁ RESPONSÁVEL; quando alguém cortar laços com amigos ou parentes que deixaram a organização, recusando-se a sequer cumprimentá-los, VOCÊ TAMBÉM SERÁ RESPONSÁVEL; quando casais se separarem após um dos cônjuges tornar-se Testemunha de Jeová, afetando adversamente a convivência familiar, VOCÊ TAMBÉM SERÁ RESPONSÁVEL; quando pessoas se sentirem esgotadas por ser requerido delas sempre mais em horas de pregação, em colocações, em revisitas, em estudos, assiduidade a reuniões, discursos, obtenção de cargos etc., VOCÊ TAMBÉM SERÁ RESPONSÁVEL. Em retrospecto, VOCÊ TAMBÉM SERÁ RESPONSÁVEL pela promoção de uma organização que proibiu as vacinações entre as décadas de 20 e 50, com um número indeterminado de mortos e aleijados; que proibiu os transplantes de órgãos entre 1967 e 1980, com mais vítimas; que sucessivamente proibiu e liberou componentes do sangue entre os anos de 1945 e 2000, sabe-se lá com quantos mortos mais. Em face das graves repercussões dos ensinos passados e presentes da Sociedade Torre de Vigia sobre a vida de seis milhões de seres humanos, certamente você não poderá se eximir da responsabilidade como representante dela. Por isso, cabe um exame imparcial sobre suas crenças - do mesmo tipo que a Organização estimula os membros de outras religiões a fazer. Estará disposto a isso?
 
     Li algumas das idéias defendidas também por aqueles que deixaram a organização e agora se dizem livres. Mas, algumas questões deixam de ser abordadas por vós (o que é conveniente de resto...). Por exemplo: é biblicamente claro que existiria nos nossos dias um Escravo Fiel e Discreto, e é fácil verificar que tal escravo seria uma classe e não um ser individual; QUEM É ENTÃO ESTE ESCRAVO?
 
     Esta é uma questão que merece séria consideração, pois constitui um dos pilares sobre os quais assenta-se a comunidade das Testemunhas de Jeová. Como deve saber, Cristo costumava falar em parábolas (Mateus 13:34). Concordemente, se a parábola do 'escravo fiel' (Mateus 24: 45) foi transformada em profecia, precisamos determinar até que ponto as outras também seriam. Por exemplo, onde está a classe atual do "bom samaritano" (Lucas 10: 33), ou a classe do "construtor da torre" (Lucas 14: 28), ou a classe da "figueira" (Mateus 21: 19), ou a classe do "dono do vinhedo" (Mateus 20: 1), ou a classe dos "odres velhos" e dos "odres novos" (Lucas 5: 36-40), ou a classe do "credor" e dos "devedores" (Lucas 7: 41), ou a classe do "grão de trigo" (João 12: 24)? Se a parábola do "escravo" tinha sentido profético e uma identidade específica, o que dizer destas outras? Por outro lado, se estas parábolas tinham sentido de exortação, por que não pode se dar o mesmo com aquela? Quanto ao "escravo" ser um indivíduo ou uma classe, saiba que o próprio Russell acreditava e ensinava que constituía UMA PESSOA, ele próprio. Um livro bastante louvado pela obra Proclamadores, o "Mistério Consumado', de 1917, chamava o pastor Russell diretamente de "escravo fiel e discreto". Quem discordasse, era considerado como não sendo parte do "povo de Deus". Poderá conferir este episódio na pág. 143 do Proclamadores. Lembre-se que ESTE era o ensino da Sociedade no suposto período de inspeção e aprovação daquele grupo por Cristo em 1918-9. Só muitos anos no futuro, tal prerrogativa foi gradativamente retirada dos ombros do 'pastor' por seus sucessores. Convido-o a ler um artigo escrutinador e contundente sobre este tema no seguinte endereço: http://www.testemunha.com.br/conteudo.asp?cod=12. Creio que encontrará importantes revelações...
 
      Também é clara a ordem bíblica de se pregar as boas novas, não há como fugir desta ordem, e os exemplos bíblicos mostram que isso se fazia como hoje o fazem as TJ.
 
      Este tópico já foi abordado por outro leitor, tempos atrás. Antes de qualquer coisa, pergunto-lhe: QUEM o informou que os pregadores nos tempos bíblicos faziam como as TJ fazem hoje? Resposta - a Sociedade Torre de Vigia! Se você perguntasse aos líderes de uma igreja protestante como pregavam os antigos cristãos, eles também lhe responderiam, "do modo como NÓS fazemos". O mesmo acontecerá se você indagar um católico, um cristadelfo, um anglicano etc., só obterá respostas tendenciosas. Assim sendo, não seria melhor examinar o que dizem as próprias escrituras à luz da gramática, ao invés de aceitar passivamente o que ensina uma liderança religiosa? O que é mais importante - a pregação em si ou simplesmente a FORMA com que é feita? Estas são perguntas pertinentes. Por favor, vá à minha seção de correspondência dos leitores, abra a mensagem "De Casa em Casa" e encontrará a resposta.
 
     Clara também é a ordem bíblica de os cristãos genuínos se reunirem, pelo que não é solução simplesmente afastar-se e viver a vida como cristão 'caseiro'.
 
     Caro C., não me oponho ao ajuntamento de pessoas com uma causa comum, o que questiono é a FORMA com que isto é feito. Pode você afirmar que APENAS as Testemunhas de Jeová se ajuntam como cristãos no mundo? Não fazem os mesmo as centenas de outras denominações cristãs? Não realiza a igreja católica missas semanais? Não promovem as entidades evangélicas cultos e encontros bíblicos aos quais comparecem multidões? Creio que o que está em questão não é a necessidade de usufruir da companhia de outros cristãos, mas a LEGITIMIDADE de uma organização CENTRALIZADA E CONTROLADORA pairando sobre a comunidade cristã. Se por um lado, o ministério "caseiro" é objetável, que dizer de um "exército" de seguidores submissos e coordenados por uma organização com sede central em um país específico, da qual emanam todas as interpretações e diretrizes sobre como deve ser conduzida a vida de seus comandados? Aproxima-se mais do modelo bíblico? Esta é uma questão que precisa ser debatida.
 
 
     Como estas muitas outras questões se colocariam. Não seria mais prático que internamente tentássemos resolver alguns problemas que existem??
     Esta opção parece, à primeira vista, razoável - mas, tem sérias implicações. Considere o seguinte: o pastor Russell foi criado como presbiteriano (leia o relato no livro Proclamadores). No entanto, inconformado com as doutrinas da predestinação e do inferno, abandonou esta denominação e passou para a Igreja Congregacional. Não adiantou - de lá, Russell passou a vagar sem fé, até o ano de 1869, quando visitou um culto adventista, dirigido pelo pastor Jonas Wendell. Russell - de acordo com suas próprias palavras - encontrou ali a reconciliação com sua fé, mas JAMAIS SE TORNOU UM ADVENTISTA propriamente dito (muito embora este termo designasse mais uma corrente religiosa do que um grupo em particular). Preferiu criar seu grupo INDEPENDENTEMENTE. Reconheceu sua dívida para com os adventistas, mas NÃO SE JUNTOU A ELES como organização. O provável motivo - embora concordasse com os principais pontos daquela doutrina, não a aceitava por inteiro. Havia pontos a serem corrigidos. Pergunte-se: POR QUE ELE NÃO TORNOU-SE UM ADVENTISTA, TENTANDO "INTERNAMENTE" RESOLVER OS PROBLEMAS? Por que abandonou o prebiterianismo, depois o congregacionalismo, depois o adventismo, ao invés de 'reformá-los'? Três vezes teve ele a oportunidade de agir assim e três vezes rejeitou tal proceder. Por quê? Resposta: por que ele sabia que um só homem dificilmente conseguiria reformas significativas em organizações há muito estabelecidas, confinadas a antigos conceitos e "fossilizadas" sob o jugo de uma liderança conservadora. Se ele próprio não julgou ser capaz de empreender tal tarefa, preferindo o caminho individual, COMO PODERÁ VOCÊ FAZÊ-LA? A menos que faça parte do Corpo Governante, em  Brooklyn, não terá a mais remota chance. E mesmo que se tornasse um dos membros, seu voto perderia para os demais, como aconteceu inúmeras vezes durante os anos 70, de acordo com o relato de Raymond Franz, um ex-membro do corpo, desassociado em 1981. Semelhante a você, ele também achou que poderia resolver 'internamente' certas questões doutrinárias, ocupando uma posição daquele nível. Não conseguiu. Acha que como humilde ancião local ou mesmo superintendente dará conta desta gigantesca tarefa? Lembre-se que a organização segue um modelo de pirâmide hierárquica, típico das grandes empresas. Acha que poderá colocar "remendos novos em roupa velha"? Pessoalmente, duvido. Uma pessoa de minha convivência, que foi ancião e membro da Organização por cerca de 24 anos, também teve, a princípio, esta idéia, mas logo percebeu que seu objetivo era impossível, em razão da própria estrutura da Sociedade. Este amigo preferiu aplicar o conselho bíblico que diz: "Saí dela, povo meu, se não quiserdes ser partícipes de seus pecados e receber parte de suas pragas..." (Rev. 18: 4) Hoje, ele considera-se, de fato, livre do peso desta culpa.
 
     Caro C., sinceramente espero que minhas considerações o induzam à reflexão séria. Há cerca de dois anos tenho pesquisado profundamente o movimento religioso das Testemunhas de Jeová e os frutos desta pesquisa estão em minha HP, com as devidas evidências documentais. Creio que um exame imparcial destas evidências poderá ajudá-lo a pesar sua decisão com conhecimento de causa, pois quando alguém é ignorante dos fatos acerca daquilo que defende, pode-se chamar de vítima; mas quando têm plena consciência da gravidade deles e, ainda assim, os endossa, deve-se chamar de cúmplice!
 
     Receba minhas calorosas boas-vindas e sinta-se à vontade para pesquisar e me escrever sempre que julgar conveniente.
 
     Cordialmente,
 
     Odracir


 

Pensando com Raiva

(Minhas respostas estão em azul)

Início

Marko Akira Tetissu, Brasil, 21/4/2002

 eu sou um publicador não batizado . porém li seu relato até o fim é interessante o modo com que você escreve seu depoimento , você sitou que quando criança gostava de aparecer e pelo que observei não mudou nada ainda tem a nessesidade de aparecer . 

     Caro Leitor

     Antes de qualquer coisa, saudações!

     Sua mensagem é uma das mais insólitas que já recebi, não só pelo conteúdo, mas também pela forma como você escreve. Seu primeiro comentário - além de representar um ataque do tipo ad hominem, ou seja, endereçado, não ao argumento, mas à fonte dele - também me parece contraditório. De fato, sempre busquei a atenção das pessoas, mas por meus próprios méritos. No entanto, esta página não lança holofotes sobre meu nome, já que, até este dia, sequer me identifico por ele - uso um pseudônimo. Como você sabe, alguém que deseja a fama jamais buscaria o anonimato. É claro, há aqueles que também criticam esta posição - é impossível agradar todos os gostos, como deve saber. Portanto, por uma questão de lógica, sua primeira afirmação cai no vazio. Mas, vamos aos próximos argumentos...

NãO. Não sou piscicologo.e espero não estar lhe ofendendo . Porém vc consseguil me ofender levantando acusações insólitas comtra a unica organização verdadeira e que tem como base nenhum Homem terreno mas sim a biblia. 

     Acredito. A grafia das palavras indica claramente que você não teve a oportunidade de alcançar um bom nível de instrução secular - um flagelo, que, infelizmente, atinge milhões de jovens em nosso país. Uma lástima! Quanto às ofensas, fique tranqüilo - eu sei que é duro ver criticado aquilo em que depositamos, de boa fé, todas as nossas esperanças. Se é doloroso ler, saiba que também foi doloroso escrever. Por outro lado, estou certo de que você precisa de evidências concretas que mostrem, além de qualquer dúvida razoável, que o movimento iniciado pelo 'pastor' Russell, durante a epopéia do Adventismo norte-americano no século XIX, seja, de fato - como diz - o único caminho para Deus. Esta é uma afirmação muito séria e caracteriza uma mentalidade fundamentalista. Convido-o a ler com atenção o capítulo cinco do livro "Proclamadores" (publicado pela Sociedade Torre de Vigia, a partir de 1993), onde verá uma sucessão de homens gerando uma organização: Charles Russell, um ex-calvinista, o qual vagou de religião em religião (igrejas presbiteriana, congregacional e, finalmente, adventista), e foi tremendamente influenciado por três adventistas independentes, Jonas Wendell, George Storrs e Nelson Barbour, sendo, mais tarde, sucedido por J. F. Rutherford, Nathan Knorr e Frederick Franz.  Todos estes nomes você encontrará na dita publicação. Ao ler o relato, atente para o papel de cada um deles e pergunte-se: teria a organização que você abraçou chegado a ser o que é SEM a influência destes homens? Caso ache que sim, procure saber quem foram os autores das doutrinas em que você crê, tais como a mortalidade da alma, a ressurreição terrestre e a vinda de Cristo em 1914 - todas três, crenças adventistas. A adoção dos termos 'Testemunhas de Jeová', 'salão do Reino' e outros, a prática de ir de porta em porta e a doutrina dos céus se fechando a partir de 1935, para o surgimento da Grande Multidão - todas são criações de Rutherford. O fim dos 6 mil anos da criação do homem em 1974 e o início do milênio de Cristo em 1975 - criações da mente de Franz. Muito embora eu saiba que, na sua mente, foi o Espírito Santo o autor destas idéias (pois assim você foi ensinado a crer), pergunte-se: não é intrigante que uma organização que se diz estabelecida com base em homem nenhum,  manifeste ela própria as mesmíssimas idéias daqueles com quem seu líder (Russell) se associou? Outro dia, um presbiteriano me disse que não considera Calvino como fundador de sua igreja. Posso discordar de sua afirmação - até porque, segundo uma enciclopédia, as bases do presbiterianismo remontam à teologia calvinista - mas devo admitir que é direito de um presbiteriano usar o mesmo tipo de argumento que você próprio usa quando afirma que homem nenhum fundou a sua igreja. Da mesma forma, os protestantes podem afirmar que Lutero não foi o fundador de sua igreja, ou os espíritas podem afirmar que não foi Alain Kardec que fundou seu movimento, e assim por diante. Percebe? A lógica que reserva para si, você deve estar disposto a conceder aos demais....

 

sabendo usar as palavras certas pode-se fazer hitler pareçer um Santo. 

     Concordo plenamente. Veja um exemplo: na página 66 do livro "Proclamadores" vemos um curioso comentário ao lado de uma majestosa foto do segundo presidente da Sociedade - o 'juiz' Rutherford. Estas são as palavras: 

"J. F. Rutherford tinha um aspecto imponente, com um metro e oitenta centímetros de altura e pesando uns 100 quilos."

     Já se perguntou qual o sentido de se fornecer, em um compêndio religioso, a ficha anatômica de um homem, lembrando mais aqueles anúncios feitos pouco antes de os pugilistas se enfrentarem no ringue? Tratando-se da pessoa  a quem o texto se refere, pode servir a um propósito - atribuir à sua aparência aquilo que muitos atribuíam ao seu caráter. Rutherford era um implacável e ardiloso advogado, que colecionou inimigos durante a maior parte de sua vida. Sua trajetória na Sociedade Torre de Vigia explica sua reputação, pois ele ignorou totalmente o testamento de seu antecessor e benfeitor, Russell, o qual não previa o controle da entidade em mãos de uma única pessoa, mas determinava que cinco mulheres ficassem com as ações da organização e que uma comissão de cinco pessoas controlasse a edição da revista A Sentinela, dividindo o poder. Rutherford nem constava da primeira lista, sendo indicado apenas como substituto em um grupo de cinco. Ainda assim, assumiu, gradualmente, o controle total da Sociedade Torre de Vigia. A página 67 do livro relata que, na própria sede da organização, havia pessoas ressentidas contra ele. Em 1917, o presidente, repentinamente anunciou a demissão de quatro diretores e iniciou-se um 'bate-boca' de horas, no refeitório da sede. Era costumeiro que ele removesse de seus cargos as pessoas que não se alinhassem com seu pensamento. O livro "Proclamadores" admite que vários membros da família de Betel ficaram solidários com os diretores demitidos, inclusive mencionado a acusação deles contra Rutherford - uma "tirania"! No rodapé da página 68, uma nota informa que as pessoas designadas por Russell como membros e suplentes de uma comissão igualitária foram rearranjadas - agora em forma de pirâmide hierárquica, com Rutherford no topo. Isto era algo totalmente contrário ao sistema descentralizado, proposto pelo 'pastor'. Estava, então,  legitimada a ditadura que ele - Rutherford - exerceria até 1942, ano de sua morte. Na página 220, é visível a dificuldade do escritor em descrever a personalidade do presidente de uma forma próxima do real, sem, no entanto, admitir seu caráter irascível e intolerante. Vejamos:

"Não resta dúvida de que o irmão Rutherford era um homem de fortes convicções. Ele falava francamente e com vigor, e sem abrir mão, em defesa daquilo que ele cria ser a verdade. Ele chegava a ser bastante brusco ao lidar com situações quando percebia que as pessoas estavam mais interessadas em si do que no serviço do Senhor. Mas o irmão Rutherford era genuinamente humilde diante de Deus." Proclamadores, p. 220 (grifos acrescentados)

     Consegue ler nas 'entrelinhas'? Como definiria um homem que fala francamente, com vigor, sem abrir mão e de forma brusca, em defesa daquilo que ele , pessoalmente, acredita ser a verdade? Classificaria uma pessoa com estas características como humilde? Muito embora o escritor do livro concentre seus esforços em atenuar a imagem de "líder" (ou de "chefe"), que caracterizava a atuação do presidente, permanece o fato de que ele foi retratado exatamente assim em matérias impressas da época. Por exemplo, a edição de 25 de julho de 1931 do periódico The Messenger [O mensageiro] mostra uma foto de Rutherford diante das Testemunhas de Jeová e, abaixo uma inscrição, dizendo: "Seu líder visível". Da mesma forma, fotos impressas das sedes inglesa e alemã contêm dizeres em que o presidente é chamado de "chefe". Qualquer um que pesquise os antecedentes do Sr. Rutherford sabe muito bem que ele podia ser muitas coisas, menos um homem humilde e razoável. Deveras, seu temperamento colérico e sua megalomania eram traços marcantes da personalidade temida por todos os que o rodeavam. Ninguém ousava contrariá-lo. Outro aspecto que costumeiramente é ocultado é a afinidade que ele tinha por 'garrafas' - de fato, ele também era alcoólico. Você poderá ter uma pista disso na página 182 do livro "Proclamadores", onde se mencionam inflamados discursos de Rutherford contra a 'lei seca' nos Estados Unidos. Além disso, as festas de cerveja, promovidas por ele, eram comuns em Betel na década de 20 (estou publicando a foto de uma destas festas em minha seção de correspondência, onde se vê Rutherford em estado de visível embriaguez). Um ex-associado do presidente, Walter Salter (mencionado na página 628), enviou-lhe uma carta (traduzida em meu site), na qual denunciava a compra de caixas e mais caixas de uísque, a 60 dólares cada, e enviadas ilegalmente a Rutherford, provavelmente através da fronteira com o Canadá. Diante de tudo isso, não se pode concluir outra coisa, senão que a 'maquiagem' que a Sociedade Torre de Vigia aplica sobre ele tem o propósito de fazê-lo parecer o que realmente não era - um 'santo'!

Rutherford e cia. - bons bebedores de cerveja

 

ou pode-se manchar um nome .  

     Novamente, concordo e vou além - por meio de uma categorização massiva, podem-se sujar milhares de nomes. Vamos a outro exemplo: a edição de 1/7/94 da revista A Sentinela, págs. 11-13, classifica genérica e indistintamente todas as pessoas que saíram da Sociedade Torre de Vigia e que criticam sua forma de agir e suas crenças como "apóstatas", portadores de (1) esperteza, (2) inteligência arrogante, (3) falta de amor e (4) diversas formas de desonestidade. Apesar de não apresentar provas concretas de tais acusações, rotula assim de iníquas milhares de pessoas  no mundo inteiro que simplesmente exerceram o direito humano de renunciar a uma religião. Sempre implacável com as outras religiões e apontando as falhas delas,  a Sociedade Torre de Vigia, em artigos como esse, mostra que não admite ser criticada e fomenta a intolerância religiosa, sujando a reputação de pessoas, cujas motivações para sair de seu meio não chegam aos demais membros, em razão do rigoroso sistema de censura imposto às Testemunhas. Você sentirá isso na pele, logo após o batismo.

você se aplica simplesmente  com o texto de romanos  1 : 28 a 32  pois seu coração esta chei de Toda a injustiçaíniquidadeçobiça'maldade'cheio de inveja, rixa , fraude,disposição maldosa,maldizentes,sendo odiador de deus,insolente,soberbos,etre outras coisas. 

     Aqui, amigo leitor, você recai em uma prática comum entre as Testemunhas de Jeová. Leia algumas mensagens em minha seção de leitores e constatará que, infelizmente, é assim. Quando não têm argumentos para refutar questionamentos, as Testemunhas, ofendidas, apossam-se de passagens bíblicas, cujo contexto desconhecem e aplicam-nas, a bel prazer, contra quem discorda delas. Vejamos - os versículos 23 e 25 do mesmo capítulo mostram a quem o apóstolo Paulo se referia, a saber, a idólatras  corruptos, coisa muito comum em Roma naquele tempo. De fato, os romanos absorveram parte da cultura grega - o helenismo - sendo devotos de deuses como Júpiter e Baco, e manifestando a personalidade destas deidades em suas vidas. Além disso, eram bastante tolerantes para com a promiscuidade sexual. Obviamente, algumas pessoas na primitiva congregação cristã se deixavam contaminar por estas tendências - próprias dos opositores romanos - e era a estas pessoas que o escritor bíblico se referia. Paulo não estava falando de pessoas que discordassem de uma organização que só surgiria nos EUA, quase dois milênios depois de ele proferir estas palavras. Se você vê alguma conexão direta entre Charles Taze Russell e esta passagem, eu gostaria de conhecê-la. Além disso, ao que me consta, cabe a VOCÊ COMO CRISTÃO, seguir as seguintes palavras:

"Parai de julgar, para que não sejais julgados; pois com o julgamento com que julgais, vós sereis julgados; e com a medida com que medis, medirão a vós."  - Mateus 7:1

 

na verdade você sabe muito bem que as coisas não  são como você disse 

     Se não foram como eu disse, como pode você, que não estava lá, me dizer como foram?

       

o que aconteceu foi que você desde criança não tinha paciencia para aprender as verdades biblicas tanto que voce mesmo disse que em nenhuma reunião tinha ouvido falar sobre como funcionava a eximisão do serviço militar ,

     Você me disse que é apenas publicador não batizado - isto explica seu completo desconhecimento de como as coisas funcionam na organização. Eu a conheci há 30 anos e fui parte dela por cerca de 15 anos. Considerando uma média de 5 reuniões por semana, temos 20, em média, por mês, 240 ao ano e 3600 reuniões em 15 anos! Acha mesmo que tem autoridade e experiência para me ensinar como são as coisas por lá? Asseguro-lhe que, em nenhuma destas reuniões, tal assunto - as eximições - foi esmiuçado e que só ouvíamos falar dele nos "bastidores". Todos eram bastante reticentes quanto a ele e a maioria, completamente ignorante das implicações do caso. Além disso, conversei, recentemente, com dois ex-anciões - ambos serviram a esta organização por mais de 20 anos. Perguntei a eles se alguma vez, eles ou um outro colega ancião, proferiram um discurso explicando em detalhes o significado da eximição militar e todas as conseqüências civis delas. Ambos responderam: 'nunca'! Será que as coisas, só agora, mudaram? Não merecia um assunto desta gravidade mais atenção por parte daqueles que não sentiriam na pele os efeitos da ignorância? Em meu depoimento, eu deixo bem claro que nem eu nem meus colegas da mesma idade sabíamos o que, de fato, nos aconteceria. Além disso, quando procurei o ancião da congregação, ele me respondeu que sabia apenas do impedimento de votar e ser votado. Mais tarde, o representante da Sociedade em minha cidade acrescentou que eu não poderia trabalhar em empresas públicas, mas que isto não era importante. Só muito tempo no futuro eu vim a saber o quão 'importantes' são um título de eleitor e um documento de reservista na vida de um cidadão. Lutei por anos para recuperar meus documentos - os mesmo que muitos 'valorosos' anciãos carregam em suas pastas. Faça uma pesquisa! Hoje coexistem nas congregações duas classes, não são os 'ungidos' e a 'grande multidão', mas os eximidos (cassados politicamente) e os não eximidos (usufruindo os privilégios de reservista, na forma de empregos públicos e coisas assim). Acha isto justo? Se você tem menos de 18 anos, está em grave perigo!

 

cresceu numa familia sem base  se revoltou porque queria seguir o exemplo de seu irmão mais vélho 

     É desconcertante ver um estranho a falar de uma família que nunca conheceu. Certamente, meu irmão mais velho, percebendo que esta seita roubaria sua juventude, como roubou a minha, teve lucidez a tempo de evitar conseqüências mais graves sobre sua vida. Você está certo quando diz que eu desejaria ter seguido o exemplo dele. Hoje, olhando para trás e vendo tudo que perdi, percebo que esta teria sido a opção mais sensata. Lamentavelmente, eu era apenas uma criança de 9 anos e, nesta idade, suponho que você próprio seria facilmente convertido por sua mãe a qualquer religião, até o candomblé!

 

tinha invéja dos outros garotos porque eles podia fazer oque queriam a hora que queriam, 

     Certamente, quando um prisioneiro, de dentro de sua prisão, vê pessoas livres e saudáveis, usufruindo sua juventude sem as amarras de um sistema controlador e autoritário, é natural desejar estar no lugar delas. Isto eu, deveras, senti e muitas vezes...

 

sempre foi tão inutil que as garotas não davam bola,

     Ops, aqui você se enganou redondamente. Modéstia à parte, eu era muito popular entre as mulheres (e creio que ainda seria, se lá estivesse, muito embora não com a intensidade de antigamente). Namorei duas delas - uma era pioneira regular - e paquerei diversas outras, algumas muito bonitas. Cheguei até a ter uma reunião de aconselhamento em razão do efeito que produzia nas "irmãzinhas" da congregação. Nesta mesma reunião, comentei que as moças na organização eram subjugadas pelo conceito de serem um 'vaso mais fraco' ou um mero 'complemento' do homem e, por isso, sentiam-se, no fundo, inferiores e contraíam aquilo que se chama "complexo de Cinderela" - à espera de um 'príncipe encantado', ao qual serem submissas pelo resto de suas vidas. Se há uma coisa que as religiões, em geral, ainda não aprenderam, esta é a igualdade completa entre os seres humanos, sem distinção de sexo ou posição social. Imagine o que você sentiria se alguém lhe dissesse para aprender calado, em  plena submissão e com a cabeça coberta, só porque alguém do sexo oposto está presente. Curiosamente, tem sido assim no Afeganistão - gostaria de viver lá?

 

mas a culpa não podia ser sua . afinal ninguém quer ter a culpa então só poderia ser da sociedade. precisava por em algué a culpa dos seus problemas familiares.  só falta dizer que foi os  anciões que obrigaram sua mãe se divocia . 

     Como eu disse anteriormente, fui introduzido nesta organização com menos de 10 anos. Quanto aos meus problemas familiares - os quais, afinal, todos têm - sendo eu apenas um menino, a quem você atribuiria a culpa? A uma criança? Acaso conhece você meus pais e irmãos? Eu não ousaria falar dos seus familiares, pois não os conheço. Quanto ao divórcio de minha mãe, este foi efetivado por iniciativa de meu pai, anos após a separação de corpos, quando ele já tinha uma companheira - até porque minha mãe estaria impedida de fazê-lo, mesmo sendo muito infeliz sozinha, até ter uma prova formal de adultério da parte dele. Assim, foi forçada a viver, por anos, uma farsa. O motivo - A RELIGIÃO DELA!

 

tem muita coisa que eu queria dizer mas com serteza serão em vão pois seu coração esta endurecido é um cego que só porque esta em escuridão acha que os outros taém estão . só sinto pena de você.

     Há muita coisa que eu gostaria de ter visto você mostrar - provas documentais, por exemplo. Conforme vê, eu forneço a fonte de minhas denúncias, com nome, data e página. Em troca, tudo o que você oferece são insultos pessoais. É assim que espera convencer prosélitos de porta em porta? O que dirá a um morador que criticar sua religião? Dirigirá impropérios a ele, como faz agora a mim? Quanto à sua compaixão, não preciso dela. Guarde-a para as milhares de Testemunhas de Jeová que morreram ou ficaram aleijadas nas décadas de 20 e 30, por causa da proibição das vacinas, entre 1968 e 1980, por causa da proibição aos transplantes de órgãos e a partir de 1945, com a proibição ao tratamento com derivados de sangue. Elas merecem mais...

 

 E DUVIDO QUE VOCÊ TENHA CORAGEM DE COLOCAR ESTA MENSSAGEM POR INTEIRO NO SETOR DE IMAIL ENVIADOS

     Ao contrário, sua mensagem enquadra-se no tipo que eu mais gosto de publicar, não só pelas agressões injustificadas, mas também pela forma como você escreve, não sei se por pressa, desleixo ou por desconhecimento mesmo. Normalmente, eu costumo dar alguns 'retoques' nos erros de português cometidos por alguns leitores que me escrevem. No seu caso, vou deixá-la assim mesmo como está, para que outras pessoas vejam como as pessoas com pouca instrução são vítimas fáceis de seitas. Na verdade, seu perfil corresponde àquele que representa a principal fonte de renda das multinacionais da religião, que se instalam em nosso país e enriquecem à custa da credulidade alheia. Ademais, sua mensagem só confirma o que eu tenho sempre dito - as crenças das Testemunhas de Jeová tem bases emocionais, não racionais. Elas normalmente não refutam idéias com outras idéias, mas com ataques pessoais; não refutam documentos com outros documentos, mas com maldições; não refutam denúncias com evidências concretas, mas com passagens bíblicas fora de contexto e raciocínios circulatórios. Veja só sua mensagem - ela não traz uma só contestação séria ou bem fundamentada. Pode você conseguir coisa melhor? Sinta-se livre para tentar...

 

 desculpe se fui grosseiro mas me da dó. ver alguém num estado como o seu. 

     Está desculpado. Porém deve ser difícil para muitos pais  perdoarem a organização pelos filhos que perderam seus direitos políticos e agora enfrentam dificuldades em suas vidas profissionais, ou aqueles que perderam parentes por causa da recusa de tratamento com componentes 'menores' do sangue, antigamente proibidos e hoje liberados. Também deve ser difícil perdoar uma organização que ensina amigos a virarem o rosto para aqueles que resolvem sair de uma religião, não podendo sequer cumprimentá-los. E por aí vai...

 

só uma pergunta. Alguma Vez lhe foi dito algo que não estivesse em pleno acordo com a BIBLIA ?

     Sim, muitas vezes. Eis alguns exemplos: quando disseram que o Armagedom viria em 1914, 1925 e 1975, fazendo as pessoas largarem seus afazeres, abandonarem os estudos e se desfazerem de seus bens para esperar por estas datas falidas; quando disseram que a "geração" de Mateus 24: 34 era a de 1914 (doutrina abandonada em 1995); quando proibiram o serviço militar alternativo por décadas, liberando-o parcialmente, a partir de 1998; quando proibiram o voto válido nas eleições; quando disseram que os transplantes de órgãos eram "canibalismo" e "mutilação desnecessária" e, em 1980, voltaram atrás; quando desaconselharam a educação universitária, condenando muitos jovens ao ostracismo;  quando disseram que o arranjo de venda das literaturas havia mudado para donativos em razão do "de graça recebeste, de graça dai", quando o motivo real foram os impostos cobrados sobre literatura, após a perda de uma questão judicial de apoio a Jimmy Swaggart, nos Estados Unidos; quando disseram que o motivo para não registrar a Sociedade no México como religião era a falta de liberdade religiosa naquele país, quando na verdade era a ameaça da perda do patrimônio material para o estado, segundo a lei vigente até o ano de 1989, e , mais recentemente, quando esconderam, por quase uma década, que a Sociedade Torre de Vigia está registrada como entidade não governamental cooperadora com a Organização das Nações Unidas, aquela que ensinou, por anos, ser um instrumento de Satanás.

     Poderia citar inúmeros outros exemplos, mas creio que, por hora, estes bastam. Você poderá encontrar ampla documentação em apoio destas denúncias nos diversos artigos de minha HP, bem como nos links que eu indico. Convido-o a pesquisar estes assuntos por si mesmo, se tiver coragem. Também o encorajo a examinar cuidadosamente os artigos de minha HP, antes de se batizar. Caso encontre quem se disponha a refutar cada prova que forneço de forma satisfatória - coisa que eu acho difícil de acontecer - sinta-se livre para ir ao batismo com conhecimento de causa. Por outro lado, parabenizo-lhe pela ousadia em desrespeitar as determinações da Sociedade Torre de Vigia, visitando um site "apóstata" e escrevendo para o autor, muito embora sua mensagem pouco tenha que possa ser aproveitado. Caso você seja descoberto, será repreendido e talvez tenha a primeira oportunidade de sentir na pele o sistema rigoroso de censura das Testemunhas de Jeová.

     Aproveito para adverti-lo do perigo que corre, entregando-se a uma organização que não o tratou com honestidade, mostrando-lhe apenas uma fachada de 'verdade' e ocultando-lhe coisas negativas, as quais você só descobrirá depois de batizado. Lamento muito por você e por sua família. O que está sendo oferecido a você é uma passagem apenas de ida. Caso decida, algum dia, retirar-se pacificamente, verá os melhores amigos que cultivou por lá lhe virarem o rosto na rua. No caso de parentes, o contato será reduzido ao mínimo. Com o tempo, você descobrirá que NÃO EXISTE SAÍDA HONROSA DA RELIGIÃO À QUAL VOCÊ ESTÁ PRESTES A SE ENTREGAR. Dito isso, pelo menos, no futuro, quando cair em si, não poderá dizer que não teve quem o alertasse...

     Parodiando o título de sua correspondência, espero que você pense com a razão, não com a raiva. Caso deseje refutar minha mensagem com outro e-mail, terei prazer em expô-lo na seção de leitores, desde que ele seja publicável, naturalmente. De uma próxima vez, sinceramente espero que você tenha algo de concreto para mostrar, além de afirmações vazias, textos mal aplicados e insultos.

     Cordialmente,

     Odracir

     PS: uma consulta a um livro de gramática portuguesa poderia lhe ser útil.

 

 

 

Combatendo o  Racismo

(Minha resposta está em azul)

Início

G.C.L.A, Portugal, 22/1/2002

 

     Prezados(as) Senhores(as),
 
     Abrimos um site que trata sobre miscigenação e fusão racial, http://fusaoracial.com.sapo.pt , e tomamos a liberdade de reproduzir as citações racistas extraídas de textos das Testemunhas de Jeová que seu site mostra - indicamos a fonte fazendo um link para a página ( http://www.geocities.com/torredevigia/doutrinas.htm ). Como o nosso site busca oferecer textos também em inglês, solicitamos que, se os senhores(as) dispuserem dos textos originais em inglês (ou endereço na web onde possamos acessá-los), indiquem-nos para que possamos incluí-los na versão em inglês de nosso site.
 
     Independentemente da resposta, agradeço e os(as) parabenizo pelo site.
 
     G. C. L. A.
 
 
     Caro leitor
 
     É uma honra ter citações extraídas de minha HP e publicadas em vosso site. Já o visitei e o achei muito bem elaborado. Também recomendarei a visita a ele. Curiosamente, vossa coleta das declarações racistas  de pessoas ilustres, contemporâneas ao pastor Russell, só reforçaram minha conclusão de que os líderes religiosos tendem a endossar as crendices e preconceitos de seu tempo. De modo que o vosso trabalho e o meu se complementam.
 
     Quanto aos originais em inglês, podem ser obtidos de diversos sites relacionados às Testemunhas de Jeová. Alguns deles acham-se citados em minha seção de links. No entanto, a mais extensiva lista de citações em inglês, eu obtive no seguinte endereço: http://www1.tip.nl/~t661020/wtcitaten/part1.htm .
 
     Cordialmente,
 
     Odracir

 

 

Sobre o Serviço Militar II

(Minhas respostas estão em azul)

Início

F.M., Brasil, 3/1/2002

Prezado Senhor:

Pelo que pude perceber pelo seu site, você tem uma experiência de vida parecida com a minha. Em função disto, gostaria de lhe fazer alguns questionamentos a respeito da situação de EXIMIDO, que estou querendo reverter.

01) Em seu site você diz que fez faculdade. Qual é sua gradução nas áreas de conhecimento ???
 
Resposta: cursei engenharia civil, colando grau em 1986. Fiz pós-graduação (especialização) em 1989. Em 1995, ingressei ao curso de odontologia e colei grau em 1999. Atualmente, estou cursando mestrado em farmacologia pela Faculdade de Medicina da UFC.
 

02) Os documentos listados em seu site já foram usados por outras pessoas e estas tiveram sucesso nos seus requerimentos ???
 
Resposta: creio que diversas pessoas já fizeram uso destes documentos com sucesso. Alguns chegaram a me comunicar do fato e presumo, à base do silêncio deles, que foram bem sucedidos, pois, do contrário, me reescreveriam solicitando mais informações. Um amigo me disse que, em sua região, o oficial das forças armadas solicitou um documento adicional, emitido pela congregação do requerente, informando do desligamento da pessoa. É tudo o que sei. Os documentos que forneço foram os únicos que me foram solicitados em meu Estado. Creio que eles têm validade nacional.

03) Qual seria a base legal para a reversão da situação de EXIMIDO (leis, súmulas, decretos, etc ) ???
 
Resposta: um artigo da Constituição do Brasil prevê a reabilitação dos eximidos, desde que se submetam à prestação do Serviço Militar. Trata-se do artigo 244 do decreto no. 57.654, de 20 de Janeiro de 1966 (RLSM), pelo qual a pessoa sujeita-se, em consequência, à prestação do serviço militar inicial, na forma do Título II, capítulos III e IV do mesmo RLSM. Todavia, já existe a opção para o serviço alternativo, exercido sem pegar em armas e valendo como cumprimento efetivo do dever militar em tempos de paz.

04) Quais seriam os passos à serem seguidos para entrada de documentação ??? Já procurei a Junto de Alistamento e o Cartório Eleitoral de minha cidade e eles não conseguiram me instruir em algum procedimento !!!
 
Resposta: sugiro-lhe ler as mensagens que publiquei em minha seção "Mail List", as quais delineiam todo o procedimento a ser adotado pelo interessado. Vá ao endereço http://www.geocities.com/torredevigia/mail.htm e busque as últimas mensagens da lista, pois quatro delas tratam da questão militar. Desejo-lhe sucesso em sua empreitada.

Sds,
 
F.M.
     Espero ter-lhe sido útil no esclarecimentos de suas dúvidas. Fico no aguardo de seus comentários, caso ache conveniente fazê-los.
 
     Odracir 

 

 

Livre Novamente

(Minha resposta está em azul)

Início

S., Brasil, 1/1/2002

 

     Não sei bem como começar, mas, na verdade, descobri esse site há pouco tempo e devo dizer me surpreendeu. Como você, também fui criada com  TJ, mas hoje estou livre novamente pra pensar e procurar respostas. Como você, tenho muito pra contar, tantas coisas também eu não vivi. Sou natural de S.Paulo, mas vim para o interior do estado ainda adolescente, onde realmente vim a me tornar um deles, o que é pior, no interior o fanatismo é ainda mais acentuado. Como uma pessoa sensível e curiosa e com uma sede enorme de saber, pode imaginar os estragos feito por essa prisão. Hoje sou livre, mas só ao encontrar esse site, me dei conta de quanta mágoa ficou, por ter sido manipulada e doutrinada, na verdade, quase morri, pois sou uma pessoa que não pode perder o direito de pensar. Sinceramente é tanta coisa pra ser dita, pois, de certa forma,somos hoje resultado de tudo que vivemos com eles... leio de tudo e amei ler o  livro do Harry Potter, tentando recuperar a adolescência perdida. Meu e-mail é XXX. Foi um prazer conhecê-lo....com o passar dos anos a mente vai limpando.... voltamos a ser livres... se possível me responda, se não puder, foi realmente bom saber que nossa experiência é comum e que muitos, ainda presos por eles, também vão achar o caminho de volta.
 

     Abraços...

 

      Cara leitora
 
     Fico feliz que você tenha chegado a ter consciência do processo de manipulação mental exercido pelos sistemas fundamentalistas, entre eles, o movimento religioso 'Testemunhas de Jeová'. Creio que, sob tais circunstâncias, dificilmente você se tornará candidata a marionete em mãos de líderes religiosos novamente. O mundo passa por uma fase de intensificação do misticismo. O irracionalismo é terreno fértil para a proliferação de seitas e sociedades esotéricas. Todos os anos, bilhões de dólares vão para os cofres de charlatões.  Deveras, pseudociência e misticismo são atividades altamente lucrativas. Mitos antigos fundem-se com os da assim chamada nova era, mantendo milhões cativos do obscurantismo medieval. Além disso, há um preço mais alto a ser pago - muitas vidas se perdem todos os anos em razão de crendices e de fanatismo. De modo que a credulidade não apenas é indesejável como perigosa. A ciência, apesar de não responder todas as indagações, tem o mérito de autorefinar-se com o tempo, ela progride. O misticismo religioso, não. Na verdade, os atuais líderes religiosos, ao invés de corrigir os erros passados de seus antecessores, perpetuam estes erros. Proteja-se!
 
     Obrigado por me escrever.
 
     Odracir

 

 

Manipulação Mental

(Minha resposta está em azul)

Início

M., Brasil, 15/12/2001

 

      Primeiramente, quero parabenizar-lhe pela bênção que é a sua página, tenho-a visitado periodicamente e me senti surpreso com a fartura de materiais  apresentados. Pratiquei os estudos de livros com os Testemunhas de Jeová  por 2 anos, mas sempre achei muito vagos os seus ensinos, pois indagava  ao instrutor sobre certos assuntos que não eram respondidos de maneira satisfatória. Posteriormente, comecei a frequentar uma Igreja Batista, onde pude estudar a  Bíblia e entender sobre as Sagradas Escrituras.
 
      Gostaria do seu conselho sobre o seguinte fato: 
 
      Minha mãe é TJ por 25 anos e eu não consigo fazê-la entender a verdade sobre a organização. Já tive inúmeras conversas com ela, e mesmo quando os diálogos partem para debates, graças a Deus tenho sido bem sucedido, pois sempre li muito sobre o assunto, adquirindo assim um bom aprendizado. Certa vez, a minha mãe chamou dois dos anciãos do salão para conversarem comigo e a mesma se manteve presente tendo a certeza que eu seria totalmente confundido diante daquilo em que eu creio. Pela graça de Deus, eu respondi todas as suas perguntas e indaguei coisas que não souberam me responder. Para minha surpresa, isto não teve o menor efeito sobre minha mãe, que continua crendo em todos os ensinos da organização.
 
      Ficaria imensamente feliz com a sua atenção.
 
      Deus o abençoe grandemente,
 
 
      M.
 
       Caro leitor
 
     Sinto-me gratificado por suas gentis palavras. Esteja certo de que seu incentivo acrescentará força a meus dedos no sentido de escrever mais e mais sobre os riscos sociais do fundamentalismo religioso.
 
     Quanto à experiência de sua mãe, creio que você já percebeu a veracidade daquilo que eu, há tempos, declaro em meus artigos: as Testemunhas de Jeová são vítimas de condicionamento psicológico ou manipulação de massas - e não são as únicas. Mussolini e Hitler eram extraordinariamente talentosos nesta área e conseguiram arrebanhar nações após si durante os turbulentos anos 20 e 30, em direção a um morticínio sem precedentes. Portanto, não é grande coisa que organizações fundamentalistas, apelando para a emoção do público, consigam o mesmo feito. Se sua mãe, ao tomar conhecimento de incoerências em sua religião, continua a segui-la, como se nada houvesse acontecido, fica óbvio que é a emoção , antes que a razão, que a mantém cativa do Corpo Governante. Lembre-se da ação hedionda das seitas neopentecostais. Por exemplo, os membros da Igreja Universal, mesmo após as denúncias na TV, exibindo o criminoso Edir Macedo abraçado a sacos de dinheiro e caçoando das vítimas, ainda assim permaneceram apegados àquela 'teologia da ignorância'. Este tipo nefasto de manipulação mutila a capacidade cognitiva do ser humano, reduzindo-o à condição de um marionete. Isto não significa, porém, que contínuas denúncias não surtam efeito, pois surtem, pelo menos para uma considerável parcela das vítimas. Todavia, o processo de "digestão" das informações é lento. Requer paciência. Por esta razão, continue a expor, pouco a pouco, os fatos que demonstram a falta de idoneidade da Sociedade Torre de Vigia. No entanto, não aproveite a oportunidade para tentar 'converter' sua mãe. Do contrário, você poderá incorrer nas mesmas faltas que condena nas Testemunhas de Jeová. Se compreende que elas não podem ser 'donas' da verdade, não tente você próprio se tornar um. Evite pregar sua fé como "A VERDADE", do contrário estará seguindo um péssimo exemplo - o das próprias Testemunhas. Seja tolerante! Além do mais, considere os efeitos que um desapontamento religioso pode ter a essa altura sobre a saúde de sua mãe, se for este o caso. Lembre-se, o ser humano é mais importante que as religiões.
 
     Convido-o a continuar visitando minha HP, pois ela estará sobre constante aprimoramento.
 
     Abraços fraternos,
 
     Odracir

 

 

 Romances em Perigo III

(Minha resposta está em azul)

Início

M.S., Brasil, 13/12/2001

 

 

      Meu nome é M., congrego na Igreja Assembléia de Deus, peço a ajuda de você querido Odracir, eu namoro com um rapaz que foi bastante tempo desta seita TJ, inclusive toda sua família. Por motivos que ele me disse serem as más influencias, ele saiu e se desassociou. Nós nos gostamos muito. O problema que, às vezes, vejo que ele tem vontade de voltar para lá. Inclusive, ele já foi comigo a varias igrejas e não consegue se adaptar, o próprio pai dele (ancião) disse que ele nunca ia conseguir nenhuma outra religião. Eu estou tentando convencê-lo de que lá não seria o lugar correto. Eu busquei e revirei bastante esta internet para conseguir algo maravilhoso como seu depoimento. Ele me contou que foi, durante o período de escola, bastante caçoado como anormal. Puxa vida! Vocês não sabem como estão me ajudando. Só que eu tenho um pequeno problema não consigo me expressar devidamente e, às vezes, não consigo expor-lhe tudo que eu sei. Peço que me ajude a também a tirar uma vida das mão do Corpo Governante para que os olhos dele sejam abertos pela verdade antes que ele tenha a amargura de ter perdido a vida inteira lutando por uma crença, e não lutando por um Deus verdadeiro. Peço que responda a minha mensagem e que Deus ilumine a vida de vocês. Obrigada por esse site. Ajudem-me! Como devo falar com um ex-TJ que acha ainda que esta crença é a que conduz a vida Eterna? Ajudem-me!!!  Eu não o quero perder para uma Organização de Homens.....
 
 
      Cara M.
 
      Saudações!
 
     A sua mensagem é semelhante a algumas outras que tenho recebido e parece confirmar a tese de que o fundamentalismo religioso praticado pela Testemunhas de Jeová, bem  como por outras denominações religiosas, constitui uma real ameaça ao tecido sócio-familiar. Bem antes da família, de fato, se iniciar, já no namoro as pessoas começam a sentir o peso do autoritarismo religioso sobre seus ombros. Nesse respeito, me parece que a religião, na medida em que pregou uma doutrina segregadora, criando uma espécie de 'sebe' em volta de seus adeptos, prestou um enorme 'desserviço' à humanidade. As pessoas já são discriminadas com base na cor da pele, da condição econômica, da origem étnica, do sexo e, como se já não fosse suficiente, também pela convicção religiosa. É bem estranho que as pessoas, supostamente seguindo uma fé que deveria aproximar o semelhante, tenham, na verdade, vestido, cada um, uma toga de juiz, julgando seu próximo e separando-se dele. Curiosamente a palavra 'fariseu' significa 'separado'. É isso que combato - o farisaismo religioso!
 
     Assim, cara leitora, lamento profundamente por seu drama pessoal e creio que, para lidar com a pessoa amada de forma construtiva, você precisará cultivar a paciência e a sabedoria. Recomendo-lhe ler duas mensagens listadas na minha seção de correspondência dos leitores, sob os títulos "Romances em Perigo I"  e "Romances em Perigo II". Nelas, eu procuro auxiliar pessoas que lidam com TJ's ou ex-TJ's com as quais mantêm relacionamento afetivo. Creio que as sugestões dirigidas a aqueles leitores também lhe serão úteis. Uma coisa precisa ser dita: o vínculo que prende as TJ's pessoas ao Corpo Governante não é racional, mas eminentemente emocional ou afetivo. É em razão destes grilhões que pouco tem a ver com raciocínio lógico, que é tão difícil conseguir com que elas ouçam o que temos a dizer. De modo que você terá de se dirigir a ele com poucas informações diárias, em pequenas 'doses'. Acima de tudo, NÃO TENTE CONVERTÊ-LO À SUA RELIGIÃO, pois toda TJ foi doutrinada para considerar qualquer religião que não a sua como "Babilônia, a prostituta", pertencente a Satanás. Evidentemente, ele guarda cicatrizes de sua antiga fé e manifestará preconceito com relação às suas convicções religiosas. Por esta razão, tente não manifestar preconceito com relação às dele. Não "pregue" para ele, as Testemunhas gostam de fazer isso, mas detestam que outras pessoas façam o mesmo. Seu namorado deixou a Torre de Vigia pelos motivos errados - ele nada sabe da real história dela. E QUEM SAI PELOS MOTIVOS ERRADOS TORNA-SE VÍTIMA DA PRÓPRIA IGNORÂNCIA E ACABA RETORNANDO. Já vi inúmeros exemplos. Talvez seja melhor deixar que ele se expresse, expondo os motivos pelos quais acha que esta é ainda a religião verdadeira. Daí, pesquise os pontos que ele listou e mostre-lhe gentilmente que você procurou aprender mais sobre a Sociedade Torre de Vigia e encontrou alguns pontos que não compreendeu bem e que gostaria que ele a ajudasse. Seja empática, se ele deve aceitar críticas para com a religião dele, aceite você própria críticas com relação à sua. Se você adotar a atitude manifesta pelas TJ's, defendendo sua organização sem apresentar provas e atacando a fonte das informações, não haverá diálogo por irredutibilidade de AMBAS as partes. Essa não deve ser uma batalha entre A SUA RELIGIÃO E A DELE, mas um luta pelo desvelamento dos fatos que o Corpo Governante esconde de suas vítimas. Evite usar o termo 'a verdade', pois as Testemunhas foram doutrinadas dia e noite, por anos a fio, para relacionar esta expressão com apenas uma coisa -  A RELIGIÃO DELAS. Prefira referir-se aos FATOS - tudo aquilo que puder ser comprovado por evidências concretas. Busque-as na própria literatura da religião. Em minha HP você encontrará farto material.
 
     Desejo-lhe sucesso em sua longa empreitada.
 
     Cordialmente,
 
     Odracir

 

 

Sobre o Serviço Militar 

(Minha resposta está em azul)

Início

A.K., Brasil, 27/11/ 2001

 
     
     Gostaria de pedir sua ajuda para esclarecer uma dúvida que tenho em relação ao serviço militar. Tenho um amigo que é Testemunha de Jeová (ainda não  batizada) que tem agora 17 anos de idade. Como em breve ele terá de passar  pelo alistamento no serviço militar perguntei a ele qual a atitude a tomar  por uma TJ nesta sistuação. Informado por um ancião de sua congregação,  foi-lhe dito que as TJ são dispensadas do serviço militar, perdendo apenas o direito a votar e ser votado e de participar em concursos públicos.  A minha dúvida é esta: o que realmente acontece na altura em que uma TJ tem de se apresentar para o alistamento? É-lhe concedida uma simples dispensa  (como no caso dos arrimos de família, o que não resulta na perda de nenhum direito político) ou essa pessoa é eximida do exército (perdendo neste caso outros direitos além dos mencionados pelo ancião)?
 
     Se puder me ajudar a esclarecer esta dúvida ficaria muito grato.
 
       Atenciosamente,
 
       A.
 
       Caro A.
 
     Creio que o ancião que você menciona utilizou uma estratégia comum ao linguajar dúbio dos fundamentalistas religiosos - o eufemismo (a menos que ele seja ignorante das leis). Primeiro, pelo uso da expressão "apenas" e, segundo, pela exagerada simplificação do problema, o qual realmente implica em graves consequências na vida profissional do jovem. Certamente, ir fundo nessa questão levaria a sérios embaraços. Na verdade, a ampla maioria das TJ's em idade militar não tem noção do real significado da recusa ao serviço no Brasil. Segundo a Constituição Brasileira, a convicção religiosa não deve servir de argumento para recusa a obrigação a todos imposta. Todavia, faz uma concessão: aqueles que tiverem objeção de consciência ao serviço militar podem realizar serviço civil alternativo, sob a supervisão do órgão militar. Acontece que a Sociedade Torre de Vigia impõe sua consciência coletiva a todos os membros do rebanho, não lhes dando liberdade para decidir se tal serviço é apropriado ou não. Russell, o fundador da Sociedade Torre de Vigia, nada tinha contra o serviço militar ou alternativo. O serviço civil alternativo foi proibido, pela primeira vez, no livro Seja Deus Verdadeiro, edição de 1949, pág. 228, depois em Seja Deus Verdadeiro, edição de 1955, pág. 231, Despertai! de 8 de maio de 1975, pág. 22 e A Sentinela de 1 de setembro de 1986, pág. 20. Foi liberado às TJs como "caso de consciência" em A Sentinela 1 de maio de 1996, págs. 19 e 20, mas apenas naqueles países onde é realizado  sob a supervisão de alguma entidade não-militar. Em outras palavras, por causa desse detalhe burocrático, as TJ's no Brasil continuam proibidas, sob pena de desassociação, de prestar tal serviço. As consequências estão também previstas na Constituição do Brasil: a pessoa sofrerá a mesma penalidade imposta durante o regime militar (1964-1985) aos considerados criminosos políticos, ou seja, a cassação política. A pessoa terá, por ato do Presidente da República, seu nome publicado no Diário Oficial da União, sendo que, a partir daí ela terá a 1) anulação do seu título de leitor e 2) retenção do documento militar, restando apenas uma declaração de eximição, na qual se informa que o indivíduo recusou o serviço e, por isso, foi punido na forma da lei. Eu publico uma fotocópia dessa declaração, juntamente com alguns comentários sobre aspectos éticos e jurídicos da recusa à prestação do serviço alternativo, em minha página, no artigo "Dossiê Completo" (http://www.geocities.com/torredevigia/dossie.htm). Além disso, publico algumas correspondências sobre o tema no ícone "Mail List". Em resumo, o jovem cassado, além de estar impedido  de votar ou ser votado, encontrará as seguintes barreiras em sua vida profissional:
 
     a) Não poderá assumir cargo ou contrato com nenhuma empresa onde o governo tiver qualquer participação (autarquias, órgãos ministeriais, empresas públicas etc.). Em uma época de crise e desemprego como a que vivemos, o jovem TJ terá uma opção a menos que os demais cidadãos - às vezes, a última que lhe restaria. Por exemplo, um advogado, nessa situação, jamais poderia tentar concurso para magistrado (juiz, promotor etc.), cargo que proporciona, além de estabilidade, um excelente salário. Um engenheiro jamais poderia celebrar contrato de obras públicas, ficando a depender do instável mercado privado. Um médico jamais ingressaria em um grande hospital público. Uma pessoa não poderia concorrer a uma vaga na Agência de Correios nem poderia ser nomeada como assessor de parlamentar. Alguém que obteve nível superior jamais poderia concorrer a uma vaga como professor na própria universidade em que se graduou ou em escolas técnicas federais em todo o território nacional.
 
     b) A pessoa não conseguirá obter passaporte (ou terá grandes dificuldades em tirá-lo), o que inviabilizaria uma viagem ao exterior, por exemplo.
 
     c) As universidades públicas (e algumas particulares) exigem apresentação de Carteira de Reservista e Título de Eleitor para a concessão de diploma, o que ensejará mais uma dificuldade para a pessoa.
 
     d) Algumas empresas de grande porte, igualmente, exigem, para admissão de empregado, a apresentação dos referidos documentos, criando outra situação de embaraço.
 
     O livro de Eclesiastes, cap. 8 e versículo 9, fala de "homem dominando homem para seu próprio prejuízo", o que me faz lembrar do domínio despótico da Sociedade Torre de Vigia sobre 6 milhões de seres humanos, impondo a eles as conclusões tendenciosas e 'mumificadas' de seu corpo dirigente de cerca de 13 membros, exercendo papel análogo àquele concedido pelo magistério católico, ou seja, o monopólio da doutrina papal. O que aqueles senhores pensam torna-se lei para as TJ's, como se proviesse do próprio Deus. Elas não têm autonomia para decidir por si mesmas sobre a questão do serviço militar e outras questões. E o pior, MUITOS DENTRE OS 'VALOROSOS' ANCIÃOS E SERVOS MINISTERIAIS CONTINUAM A EXIBIR SUAS CARTEIRAS DE RESERVISTA E A USUFRUIR DE RENTÁVEIS SALÁRIOS E PENSÕES DE EMPRESAS PÚBLICAS, SENDO QUE TODOS ELES ESTÃO RESOLVIDOS, EM SEUS CORAÇÕES, A SEREM DESERTORES EM CASO DE CONVOCAÇÃO. Valem-se do argumento não-bíblico do 'direito adquirido' - enquanto lhes é conveniente - e jamais tentam recusar formalmente suas carteiras da reserva. Vários deles obtiveram o documento militar por burlar a cerimônia de juramento à bandeira ou contando com ajuda de algum amigo influente. Gozam dos benefícios estatais, mas recusam-se a render o devido ônus desse privilégio. Outros, valendo-se da ignorância de funcionários públicos (os quais não sabem o que é eximição), ingressaram em empresas públicas fornecendo os números dos documentos militar e eleitoral APÓS JÁ OS TEREM PERDIDO, O QUE CONSTITUI FALSIDADE IDEOLÓGICA, DEFINIDA EM LEI COMO  CRIME. Também, os empregos assim obtidos são NULOS DE DIREITO. Eu próprio conheço uma pessoa (ancião) nessa situação, usufruindo impunemente, há mais de 10 anos, de um cargo na Receita Federal em minha cidade. Basta uma denúncia para que a fraude venha abaixo. É o chamado duplo critério, coisa tão comum nas seitas. Nesse respeito, convido-o a ler meu artigo sobre o suborno de funcionários públicos para obtenção de carteira militar no México, praticado por anos pelas TJ's naquele país e com aprovação expressa pela sede oficial da religião das Testemunhas, localizada  em New York-EUA (http://www.geocities.com/torredevigia/mexico.htm) . Acho também oportuna a publicação de um comentário feito por Cid Farias em sua HP (http://www.agevir.com.br/testemunha), referindo-se à obra de Raymond Franz , "Crise de Consciência", como segue abaixo:
 
     "... o Corpo Governante se reuniu várias vezes, em 1978, para estudar a questão do serviço civil alternativo. Os membros do CG, John Booth, Ewart Chitty, Raymond Franz, George Gangas, Leo Greenles, Albert Shroedder, Grant Suiter, Lyman Swingle, e Dan Sydlik acharam que a proibição do serviço civil alternativo não era bíblica. Votaram contra a permanência dessa norma. Carey Barber, Frederick Franz, Milton Henschel, William Jackson, Karl Klein votaram a favor da permanência da norma. Ted Jaracz se absteve. Nove votos contra 5. Mas nove votos não representavam dois terços no número de membros do CG e por causa de apenas um voto, muitas Testemunhas foram aprisionadas, torturadas, massacradas ou mortas mundo afora ou tiveram suas cidadanias cassadas nos países que negavam a isenção do serviço militar. Por causa de luzes, orquestradas até mesmo por uma minoria do próprio CG, muitas Testemunhas estavam morrendo por algo que consideravam uma norma ou verdade de Jeová Deus. (O relato completo desses sessões decisórias do CG encontram-se, com farta documentação nunca questionada pelo CG, no livro "Crise de Consciência" de Raymond Franz, páginas 117-122, em português) "
 
     Odracir

 

'De Casa  em Casa'

(Minha resposta está em azul)

Início

D.T., Brasil, 26/11/ 2001

 

     Creio eu que você deve ter virado de outra igreja e queira ganhar fiéis em cima de outras igrejas. Já ouviu falar que Jesus ia pregar de casa em casa, então por que vc não faz o mesmo...
 
     D.
 
     Cara leitora
 
     Creio eu que você não leu meus artigos, do contrário não faria uma afirmação tão inconsistente. Em que parte de minha HP eu promovo algum credo religioso? Um leitor já fez essa afirmação sem base antes e você poderá ler minha resposta a ele na mensagem intitulada "Organização 'Pura'", transcrita logo após a sua, em minha seção "e-mails dos leitores". Alguns pontos que expus a ele servem de refutação ao seu argumento também. Como já afirmei em minha página, meu trabalho não é teológico, mas humanitário. Não estou à procura de adeptos nem bato às portas das pessoas nas manhãs dos fins-de-semana - em visitas não solicitadas - para tentar removê-las de suas religiões. Conhece alguma instituição que faça isso? O fundamentalismo religioso é uma praga social. Lembre-se do exemplo dos Talibãs no Afeganistão, lembre-se de Osama bin Laden, chamando de infiéis todos os que discordam do fanatismo islâmico. Não siga o exemplo deles!
 
     Quanto à sua segunda afirmação, sobre Cristo batendo de casa em casa, de fato, o único lugar do mundo onde vi alguém ensinar que ele fazia especificamente isso foi nos salões do reino das Testemunhas de Jeová. Pesquise e verá que nenhuma outra religião sustenta esse ensino. Por que é assim? Estarão todas as outras religiões erradas e apenas a sua certa? Um artigo em Sentinela de 1 de julho de 1955, p. 409 (em inglês), chega a afirmar que esse era o trabalho de Jesus - de casa em casa (ou de porta em porta). Todavia, nenhum teólogo ou estudioso das escrituras com um mínimo de valor jamais afirmou isso e nem poderia. De fato, o assunto é tão controverso que, caso você não saiba, o próprio Corpo Governante reuniu-se várias vezes na década de 70 para discutir qual o significado da expressão grega kat' oikon, encontrada em textos tais como Atos 2: 46, 5:42 e 20:20. No primeiro desses textos, a Tradução do Novo Mundo verte a expressão por "em lares particulares" e, nos dois seguintes, por "de casa em casa". Ora, por que a diferença se se trata da mesmíssima palavra grega? É simples: se a Sociedade traduzisse a palavra em Atos 2: 46 por "de casa em casa", significaria que os pregadores tomavam suas refeições de casa em casa, uma após a outra. É lógico, pois, que esse texto usa a expressão em outro sentido, referindo-se à obtenção de hospedagem e não referindo-se à pregação. Além disso, há tantas formas possíveis de traduzir a expressão grega que seria um absurdo defender uma estratégia usada apenas pelas Testemunhas de Jeová como representando o real sentido dela. Por exemplo, uma consulta às diversas traduções da Bíblia, revelou formas de tradução tais como "nesta ou naquela casa", "em vossos lares", "em lares particulares", "particularmente", "segundo casas", "nas casas uns dos outros" etc. Repare que são expressões genéricas, podendo significar visitas a convite, ou para reunião, ou para hospedagem. Os contextos (Atos 2: 46, por exemplo) mostram isso claramente. Em outras palavras, nenhuma forma de traduzir encerra em si mesma um trabalho tal como as TJ's realizam hoje, com um mapa de território na mão, batendo consecutivamente de porta em porta num quarteirão. Não há uma só passagem na Bíblia, principalmente nos evangelhos ou no livro de Atos que mostre os primitivos cristãos fazendo tal coisa. Até mesmo quando Cristo enviou seus discípulos, em Mateus 10 : 9-14, o versículo 11 mostra que o contexto refere-se a uma residência servindo de hospedagem, não uma casa em cuja porta se bateu, após uma sequência de tentativas em um quarteirão, tal qual as TJ's fazem hoje. Também, o relato em Lucas 10: 1-12 mostra Jesus enviando seus discípulos à pregação - uma passagem bastante usada pela Sociedade para incentivar as Testemunhas a irem de porta em porta. No entanto, o versículo 7 diz especificamente: "Não vos estejais transferindo de casa em casa". Isso deixa claro, mais uma vez, que Cristo referia-se à obtenção de hospedagem, não a um trabalho como o que as TJ's realizam hoje. Sobre isso, um dos membros do Corpo Governante na época, Raymond Franz, relata as conclusões a que chegou e as quais levou para serem discutidas perante todo o corpo de anciãos. Após pesquisar todas as passagens bíblicas que fizessem qualquer referência a "testemunhar",  ele relata:
 
     "... foram alistados cerca de 150 incidentes distintos de "testemunho" (quando o mesmo incidente era relatado por mais de um escritor do Evangelho as citações de textos para todos os relatos foram geralmente agrupadas sob um incidente).

     Dos cerca de 150 incidentes registrados nestes cinco relatos das Escrituras, apenas cerca de 34 incluem alguma referência a "casa" ou "lar." Entre estes estão as quatro ocorrências que são usadas com mais freqüência nas publicações da Torre de Vigia como base para o seu ensino acerca de atividade porta-a-porta. Estas quatro ocorrências referem-se às considerações de Jesus ao dar instruções aos seus doze apóstolos e aos setenta discípulos antes de os enviar para a atividade evangelizadora, e àquelas duas ocorrências no livro de Atos onde a frase "de casa em casa" ocorre (na Tradução do Novo Mundo). Visto que a questão em discussão era inteiramente a de saber o que é que estes quatro relatos descrevem - isto é, saber se devem ser compreendidos como referindo-se a ir de uma porta para a seguinte ou não-então certamente as outras trinta passagens onde ocorre a palavra "casa" ou "lar" deviam ter sido objeto de sério interesse, pois seria razoável esperar que lançassem luz sobre a maneira como Jesus e os seus apóstolos e discípulos faziam a sua atividade. O que é que essas passagem revelam? Conforme indiquei aos membros do Corpo Governante, o quadro mostrava que:

21 passagens referem-se quer a casas nas quais Jesus, Pedro ou Paulo se alojaram quer a casas para as quais foram convidados, muitas vezes para uma refeição, incluindo as casas de Marta, Maria e Lázaro, Zaqueu, Simão o Curtidor, Cornélio, Lídia, um guarda prisional em Filipos, Áquila e Priscila, Tito, Justo, e Públio.

7 passagens referem-se a casas não identificadas mas o contexto indica quer um local de alojamento quer um local de reunião, estando por vezes presentes todos os doze apóstolos ou até uma grande multidão.

2 referem-se a Jesus enviando uma pessoa curada para casa.

     Em todas as passagens, não existe uma única que mostre Jesus ou algum dos seus apóstolos ou discípulos tocando de porta em porta ou até indo de uma casa para outra."  - Livro "In Search of Christhian Freedom" ("Em Busca de Liberdade Cristã"), 1990, cap. 7 

     O relato mostra que, ao final, a injunção de ir de porta em porta foi mantida pela tradição, não pela clara determinação das escrituras nesse sentido. A Bíblia não destaca esse ou aquele meio, o importante era chegar às pessoas. Hoje em dia, muitas igrejas usam os grandes meios de comunicação, como o rádio e a TV (a própria Sociedade já usou o rádio nos anos 30 e 40). Outras pregam nas praças, algo bem mais parecido com o trabalho dos discípulos. Nesse respeito, os relatos bíblicos mostram claramente Jesus e os apóstolos ensinando em público (no meio da rua ou em uma montanha), bem como nas sinagogas ou no templo. Lembre-se de que as sinagogas e o templo eram locais de adoração do judaísmo, não do cristianismo. Pergunto-lhe: por acaso as Testemunhas de Jeová ensinam hoje nas igrejas ou em uma praça, como fazem alguns grupos evangélicos? Por outro lado, nem Cristo nem seus seguidores distribuíam literatura de porta em porta. De onde as Testemunhas tiraram tal costume, então? Eu lhe respondo - da mente de um homem chamado Joseph Rutherford, o segundo presidente da Sociedade Torre de Vigia, o qual introduziu essa modalidade de trabalho em 1927. Curiosamente, ele próprio NÃO participava de tal obra, apenas enviava os outros.  Muitos resistiram a essa incoerência. Uma carta redigida em 1937 pelo responsável pela filial do Canadá - Walter Salter - afastado pelo presidente e desassociado, denunciava Rutherford por isso. Enquanto os pioneiros viajavam a pé, o presidente da Sociedade viajava em dois Cadillacs 16 cilindros novinhos para suas mansões em N. York, Staten Island  e em San Diego-California ("Beth Sarim"). Em um dado trecho, Salter diz: "Certamente os pioneiros e outros têm fardos empilhados sobre eles, os quais você não moveria com um só de seus dedos".  Não eram palavras vazias - existem fotos comprovando tais denúncias. Convido-a, neste momento,  a conhecer  por si mesma o teor da referida carta, por inteiro, no seguinte endereço: http://www.geocities.com/torredevigia/walter_salter.htm. Durante a presidência do 'pastor' Russell, a literatura era impressa em gráficas contratadas. Todavia, a criação de um parque gráfico industrial, nos tempos de Rutherford gerou a necessidade de sustento e a única maneira de provê-lo era vendendo (ou "colocando") livros e revistas de porta em porta. Perceba que, até hoje, as Testemunhas não são incentivadas a irem aos lares apenas com a Bíblia, mas devem sempre levar, pelo menos, uma brochura ou revista, não é verdade? O "Ministério do Reino" frequentemente traz modelos curtíssimos de sermão - levando 1 minuto, no máximo - ao final do qual se apresenta uma literatura ao morador. Eu próprio senti-me diversas vezes impressionado com a brevidade de tais sermões. Era isso que Cristo e Paulo faziam? Examine as gravuras nas páginas 352 a 401 do livro "Proclamadores" e pergunte-se: o que aconteceria a esse gigantesco complexo gráfico mundial - com prédios colossais - se as Testemunhas decidissem pregar o evangelho apenas com a Bíblia em suas mãos, tal qual os primitivos cristãos? A resposta é simples: ele iria a falência financeira. Assim, antes de ser uma imposição bíblica levar literatura aos moradores, tal obra representa, na realidade, a demanda crescente por distribuição de milhares de revistas e livros 'despejados' a cada minuto pelas gigantescas máquinas instaladas pela Sociedade pelo mundo afora. Não poderiam deixar de fazer assim a essa altura, mesmo que, subitamente, um 'nova luz' revelasse que essa não era uma ordem bíblica específica. Há um verdadeiro 'leviatã' industrial reclamando mais e mais 'colocações'. É preciso alimentá-lo!
 
     Assim, cara leitora, não se gabe de fazer algo mais honroso do que as outras igrejas cristãs fazem. Elas também pregam e isso é o que importa, não o meio empregado. Usar a TV, o rádio, jornais, ou simplesmente pregar no meio da rua são opções equivalentes entre si. Para seguir à risca o precedente bíblico, você teria de entrar nos templos, pregar nas montanhas, nas celebrações (tais como casamentos), nas ruas e nas casas às quais fosse convidada a entrar ou hospedar-se. Qualquer coisa além disso, é mera tradição humana. Pode provar o contrário? Assim, da próxima vez que bater à porta de um morador com sua bolsa cheia de literatura e exalar um sermão de 1 minuto, deixando uma revista e passando para a próxima casa, pergunte-se: estou obedecendo às ordens de Cristo ou às de uma próspera empresa multinacional, sedenta de 'auges'? Pense nisso, pois disso depende sua vida e a dos entediados moradores...
 
     Atenciosamente,
 
     Odracir
 
 
     A seguir, uma segunda troca de correspondência com a leitora acima:
 
 

     Pelo que me respondeu creio que hoje vc deve se achar o pior inimigo das TJ's. Bom não te conheço mais eis que respondo tua pergunta antes de bater de porta em porta como era de meu costume eu sempre pedia a Deus que me iluminasse e que nenhum mal sobrecaísse em palavras diante de pessoas meramente igual a mim pecadoras, hoje vejo que Deus é meu grande amigo e que este amigo dividirei em palavras e ações para muitas pessoas, então por que não faz o mesmo... E te pergunto o que te levou a sair da organização????



     Cara Leitora
 
     Saudações
 
     Agradeço-lhe pela gentileza em responder à minha mensagem. Todavia, não posso deixar de notar o contraste entre o trabalho expositivo que faço ao responder suas indagações e a brevidade de suas respostas a ele - lacônicas e pouco claras. Várias indagações foram feitas em minha última resposta. Notei que você não respondeu a elas nem tampouco refutou minhas evidências. Bem, talvez seu tempo seja muito limitado. Em todo caso, parecemos diferir muito no empenho em embasar os argumentos.
 
     Volto a sugerir-lhe a leitura de minha HP, pois seus comentários deixam claro que não houve empenho de sua parte em pesquisar a matéria e, por conseqüência, continua desinformada acerca de minhas convicções. Creio que nosso diálogo seria mais produtivo se você estivesse realmente a par do meu trabalho, pois assim eu não teria que explicar coisas que - caso, reparemos bem - já estão claramente expostas em meus artigos. Quanto à sua colocação de que eu me considero "o pior inimigo das TJ's", nada poderia estar mais longe da verdade. Respondo-lhe com trechos extraídos de meus artigos, os quais você provavelmente não se deu ao trabalho de ler. Vejamos...
 
     No meu artigo "Dossiê Completo"(http://www.geocities.com/torredevigia/dossie.htm), está escrito:
 
"...a maioria das Testemunhas de Jeová – enquanto indivíduos – é composta de pessoas decentes e sinceras, tendo sido a busca de Deus que motivou seu ingresso à religião (...) a Testemunha não age assim por má fé. Simplesmente age como foi treinada para agir e o faz crendo que está obedecendo a Deus. Peço, pois, a compreensão e benevolência do leitor para com a Testemunha de Jeová à sua porta. Ela não é culpada."
 
     Dificilmente eu afirmaria tal coisa sobre meus "inimigos", não acha? Do contrário, haveria uma estranha lógica em alguém que faz afirmações tão lisonjeiras sobre seus "inimigos"...
 
     Também, em resposta a outros leitores - na seção de correspondência, a qual você provavelmente não leu - eu afirmo:
 
"Eu tenho parentes e alguns poucos e queridos amigos ainda Testemunhas de Jeová. Enquanto permanecer como estou, não serei privado de meu direito ao convívio com eles (...) Não acho que meus amigos Testemunhas sejam falsos - eles apenas têm um senso de lealdade a Deus totalmente deturpado (...) São vítimas. Eu não combato as vítimas, combato os algozes!  (...) Eu me preocupo com as Testemunhas, pois sei pelo que passei. E se algumas não falam comigo - insisto - elas são, em sua maioria, vítimas (...) Portanto, o centro de minha atenção é - não o 'rebanho' de fiéis - mas o corpo de dirigentes da Sociedade Torre de Vigia, o qual, auto-intitulando-se "Escravo Fiel", colocou-se no lugar de Cristo e tem ele próprio mantido os adeptos da religião como "escravos" espirituais, dependentes de seu "alimento", o qual jamais pode ser escrutinado ou questionado."
 
     Queira, por favor, concentrar sua atenção nos termos destacados em vermelho. Creio que os trechos acima, extraídos de minha HP, derrubam por terra sua tese dos "inimigos TJ's". Na verdade, sinto-me extremamente penalizado ao ver uma jovem Testemunha perdendo seus direitos políticos e comprometendo toda sua vida civil em nome da doutrina do serviço militar, ou ao ver alguém em um leito de morte rejeitando uma transfusão de componente sanguíneo e condenando-se à morte, ou abrindo mão de carreiras, projetos de vida e de amizades em nome das doutrinas nefastas que o Corpo Governante, presunçosamente pondo-se no lugar de Deus, tem imposto às suas vítimas. Em nome da indignação que sinto diante dessa injustiça é que pretendo poupar outros daquilo por que passei. ESSA é a razão primordial de meu trabalho. Esteja certa de que não tenho ser humano algum por inimigo pessoal, muito embora as Testemunhas sejam ensinadas a odiar aqueles que contestam seus ensinos (A Sentinela de 1/10/1993, pág. 19). Todavia, há duas coisas das quais, deveras, sou inimigo mortal - O FUNDAMENTALISMO RELIGIOSO E A HIPOCRISIA RELIGIOSA. Estes eu combaterei obstinadamente enquanto viver, pois constituem pragas sociais que assolam a humanidade desde o princípio da história. Espero ter esclarecido esse ponto a você e, doravante, a quem quer que seja.
 
     Em sua mensagem, notei que você fala de seu trabalho de pregação no tempo passado (pretérito imperfeito, para ser mais exato). Você diz "como ERA meu costume" e "e sempre PEDIA...". Significa isso que ele foi interrompido? Em caso afirmativo, por que motivo?
 
     Mais adiante, você lança outra medida de juízo sobre mim, falando sobre "dividir Deus em palavras e ações" e indagando por que não faço o mesmo. Por favor, poderia me dizer que obrigação cristã claramente delineada na Bíblia você está seguindo e eu não? É realmente Deus que você compartilha com as pessoas ou será a imagem que uma organização humana fez dele em sua mente? Incentiva as pessoas a buscarem por Deus apenas pela Bíblia ou as convida a ingressar em uma "arca salvadora" para ter direito às bênçãos divinas? Será que você concorda com o que diz A Sentinela de 1/8/1982, p. 27? Vejamos:
 

"A menos que estejamos em  contato com este canal de comunicação usado por Deus [ou seja, a 'organização'], não avançaremos na estrada da vida, não importa o quanto leiamos a Bíblia."

     Crê nisso? Em caso afirmativo, está claro que não é Deus, mas uma organização que você leva às pessoas. Em caso negativo, estará, segundo o entendimento do Corpo Governante, "apostatando" e de nada adianta "dividir Deus" com as pessoas, estando separado daquela dita 'organização'. Concorda com isso?
 
     Meu trabalho é humanitário, não teológico. Não estou pregando 'verdades divinas' ou 'novas luzes'. Não estou fazendo proselitismo religioso nem acho ser minha obrigação tentar converter pessoas a alguma organização. Estou simplesmente denunciando as arbitrariedades e a desonestidade de uma organização opressora e danosa ao tecido sócio-familiar. Condena-me por isso? Acha que eu deveria me calar? Em caso afirmativo, por favor, cite bons motivos para isso.
 
     Quanto à sua indagação sobre o motivo de eu ter deixado esta organização, sugiro-lhe ler minha experiência, já publicada em minha HP, no ícone "Apresentação". Basta ir a http://www.geocities.com/torredevigia/apresentacao.htm. Após a leitura, estaremos em condições de conversar com conhecimento de causa.
 
     Sinceramente, espero encontrá-la melhor informada sobre meu trabalho da próxima vez.  Por esta razão, incentivo-a, cara leitora, a pesquisar minhas matérias e confrontá-las com as evidências documentais que forneço. Do contrário, suas refutações parecerão com a parábola do homem que construiu sua casa sobre a areia ao invés de sobre a rocha.  Os argumentos, nesse caso, não suportam o rigor das evidências e caem por terra. Nesse respeito, aguardo sua refutação dos pontos explanados na mensagem anterior, bem como daqueles expostos nessa. Espero que não haja novamente tanto contraste entre minhas réplicas e as suas...
 
     Respeitosamente,
 
     Odracir

 

 

Organização 'Pura'?

(Minha resposta está em azul)

Início

F.Z., Brasil, 23/11/ 2001

 

     Meu nome é F.. Estou muito chocado com o seu site. Realmente eu gostaria que vc me dissese qual é a sua religião , para que eu possa ver o que tem de tão puro nela , vc não  assinou a carta para sair da organização , deveria fazer , isso porque tras péssimas influências para nós Tjs. Desculpe mas não queremos tomar parte das suas pragas, não quero julga-lo mas vc mesmo se autodenomina um apostata. Certamente alguns casos acontecidos com TJs pode ser verdadeiro , mas veja bem , vc ainda se diz um Tj. Se vc matar alguem , (HHHHAAAAA  Um TJ matou um Homem )  , isso não acontece com católicos , Crentes e oOutros , mas acontece com os Tj  porque é uma organização pura e o mínimo de erro de alguns como vc é causa de tropeço.
 
 
     Prezado F.
 
    Convido-o a ler - ou reler - minha HP, pois suas indagações revelam total desconhecimento das minhas declarações. Diga-me, em que parte de minha página eu me declaro adepto de alguma religião ou exalto algum credo como superior aos demais? Ao contrário, em minha apresentação está escrito: "Antes de tudo, quero expressar a você, visitante, meu sincero  respeito por seu credo ou religião, não sendo meu objetivo melindrar sua consciência nem praticar aqui qualquer espécie de proselitismo ou perseguição religiosa". Também, no meu artigo "Dossiê Completo", deixo bem claro:
 
Este artigo não se destina a fomentar a intolerância religiosa nem a exaltar uma denominação religiosa em detrimento das demais. A liberdade de culto está prevista na Constituição do Brasil e é questão de foro íntimo. Tampouco visa a denegrir a imagem dos adeptos do movimento religioso sob enfoque. De fato, a maioria das Testemunhas de Jeová – enquanto indivíduos – é composta de pessoas decentes e sinceras, tendo sido a busca de Deus que motivou seu ingresso à religião. Mas é também verdadeiro que isto se aplica aos adeptos de quaisquer outras religiões cristãs.
 
     Perceba que em nenhum momento eu afirmo que as Testemunhas de Jeová são moralmente inferiores aos demais movimentos cristãos. Seria uma inverdade. Mas também seria inverídico afirmar que elas são superiores sem quaisquer dados concretos sobre os quais apoiar tal afirmação. Em que embasá-la, exceto na parcialidade e na arrogância? Poderia demonstrar, com dados estatísticos confiáveis, ser a instituição a qual você pertence moralmente melhor do que a Igreja Batista, ou Presbiteriana, ou Mórmom, ou qualquer que seja? Estaria disposto a ouvir o que os membros destas organizações têm a dizer sobre o assunto?
 
     Perceba que sua insinuação sobre uma organização pretensamente 'pura', oferecida como alternativa às Testemunhas de Jeová nada mais é do que a expressão da mentalidade tipo 'preto e branco' ou 'nós versus eles' - típica dos cultos. Trata-se de um pseudodilema, como se, para demonstrar que uma organização não é idônea, alguém necessariamente tivesse que oferecer outra em troca. Pelo contrário, se eu estivesse a me servir de meias-verdades ou de provincialismo, afirmando ter algum tipo de iluminação divina ou me dizendo dono da verdade, isso só deporia contra a confiabilidade de minhas declarações. Pior ainda se eu, a exemplo de algumas seitas, estivesse a dizer que sou o 'único canal de comunicação entre Deus e os homens'. Conhece alguma organização que afirme isso? Não sou fundamentalista e estou aberto a críticas, desde que bem fundamentadas. Infelizmente, não é o caso das suas afirmações.
 
     Os termos de sua mensagem, tais como 'tomar parte em pragas', mostram claramente o quanto você absorveu o jargão costumeiro entre as Testemunhas de Jeová. Lembre-se que esta expressão aplica-se, em Apocalipse 18:4, à meretriz Babilônia a Grande, montada no lombo da 'fera' política. Entende-se por 'Babilônia' o 'império da religião falsa', não é assim? Já que não professo religião alguma, dificilmente tais palavras se ajustariam a mim. Por outro lado, que acharia se a sua religião estivesse ela própria cavalgando a 'fera' de Revelação por se ligar à ONU? Sabia que a Sociedade Torre de Vigia está filiada, desde 1992, ao Departamento de Informação Pública daquele órgão, o qual chamou, por décadas, de 'coisa repugnante' (livro Revelação... , pp. 194 e 195)? Se duvida dessa informação, queira, por favor, visitar o seguinte endereço:  http://www.geocities.com/osarsif/onu2.htm . Recentemente, após tomar conhecimento da denúncia na internet, a Sociedade rapidamente pediu seu desligamento das Nações Unidas, o que parece uma admissão de culpa. Foram dez anos de silêncio, amigo. E agora? Talvez essa denúncia o ajude a discernir se a Organização que tanto defende o tratou com honestidade e transparência...
 
     Em sua confusa mensagem, você afirma não querer me julgar, mas ainda assim, é exatamente o que acaba fazendo, primeiro, por aplicar a mim o termo 'praga' e, segundo, por distorcer minhas palavras (argumento straw man), ao afirmar que eu me autodenomino 'apóstata'. Poderia me dizer exatamente em que parte de meus artigos faço isso? Ora, quem acusa seus dissidentes de apóstatas 'raivosos' é a própria Sociedade Torre de Vigia, inclusive ensinando seus adeptos a ODIAR os que discordam da doutrina das TJ's. Queira ler os artigos em A Sentinela de 1/10/1993, pág. 19, ou a edição de 1/10/1952, pág. 599 (em inglês), e me responder quem classifica quem como apóstata a ser odiado. Aproveite o ensejo e leia também o artigo na edição de 1/7/94 da revista A Sentinela, págs. 11-13 e diga-me quem faz acusações sem prova contra aqueles que ousam discordar. Como disse um clérigo da antiguidade, "a definição para 'herege' (o mesmo que 'apóstata') não é outra senão alguém de quem discordamos". Ora, toda denúncia que faço vem acompanhada da devida evidência documental. Por favor, queira fazer o mesmo! Do contrário, seus argumentos não merecerão atenção.
 
     Eu jamais afirmei que a existência de delitos entre as TJ's prova que elas não são idôneas como indivíduos, até porque erros humanos estão presentes em todas as religiões. A própria literatura da Organização apressa-se em noticiar transgressões morais, quando elas acontecem em OUTRAS religiões, raramente enfatizando as suas próprias. O que eu afirmo é que a existência de delitos graves entre as próprias Testemunhas - tais como fraudes e imoralidade crassa - demonstra que elas constituem uma instituição como as demais e em nada superior às outras igrejas. Um membro da Assembléia de Deus tem, individualmente, tanta probabilidade de incorrer em erro quanto uma TJ. Pode me provar o contrário? Poderia demonstrar com dados reais que o 'paraíso espiritual' é exclusividade das Testemunhas, não existindo entre Batistas, Presbiterianos, Adventistas, Pentecostais etc.? Fico no aguardo das evidências, mas sinceramente duvido que você as possa fornecer...
 
     Sugiro-lhe cultivar a tolerância e evitar apressar-se em emitir julgamentos sobre pessoas a quem não conhece. Acredito que as expressões "parai de julgar" ou "quem se enaltecer será humilhado, mas quem se humilhar será enaltecido" sejam bem conhecidas suas. Não deveria ser necessário que eu as relembrasse. Considero-me um ser humano normal, como todos os outros. Não sou portador de nenhuma superioridade sobre os demais. Se você se considera parte de um 'povo escolhido' e diferente dos seus semelhantes, mostre com atitudes que está à altura de tal honra. Infelizmente, não pude perceber isso em sua mensagem
 
     Sinta-se à vontade para pesquisar em minha HP e contestar aquilo de que discorda.
 
     Atenciosamente,
 
    Odracir
 
     PS: quanto às minhas razões para não apresentar carta de dissociação, já expus o motivo em outras mensagens a leitores. Consulte-as, se desejar. É seu direito discordar, mas é sua obrigação respeitar.

 

Outro Leitor nos Escreve de Portugal

(Minha resposta está em azul)

Início

S.F., Portugal, 16/11/ 2001

 

     Viva!

    Em primeiro lugar, parabéns pela excelente pagina!  Muito obrigado pelo teu esforço na recolha e disponibilização de tanta informação. Envio junto um recorte de um jornal (Português) -> Público 17/12/99 na secção sociedade, caso ainda não o tenhas, que vi citado numa pagina (não me lembro se foi na tua ou noutra) aqui vai o recorte do original. Achei particularmente  interessante o comentário de Raul Josefino - assessor jurídico da  associação em Portugal - "No limite, a liberdade de receber sangue é  uma opção da testemunha. Ela pode consentir e recebê-lo sem sofrer  qualquer tipo de recriminação"  Muito de acordo com a declaração do caso da Bulgária...
 
      Há algum tempo atrás enviei um mail para o Sr. Cid a pedir  informações sobre o livro "Crise de Consciência" de Raymond Franz e  na resposta fiquei a saber que por eu não viver no Brasil teria de  pagar uma elevada quantia pela postagem dos correios, entretanto  perguntei qual era a editora de forma a tentar fazer a encomenda numa  livraria a partir de Portugal. Penso que ou o mail se extraviou, ou  ele não teve tempo para responder. Se me puderes mandar essa  informação, agradecia muito.
 
     Estou a enviar uma cópia desse mail, porque nele conto um pouco da  minha história pessoal.
 
      Nota: Os parabéns dados no 2o. parágrafo aplicam-se também a ti na totalidade! :)
 
      Um abraço e nunca desanimes com ameaças estúpidas que te mandem!

 
                        ###########################################
                             -- cópia de um mail enviado para o Cid --
 
      Viva!
 
      Quero agradecer as informações enviadas, mas acho que vou tentar  encomendar o livro a partir de uma distribuidora aqui em Portugal,  talvez assim me livre dos 25 dólares de postagem que de facto parecem  muito excessivos. E certo que os correios andam debaixo de fogo com  tudo o que se está a passar, mas tantos dólares?!  Para fazer a encomenda acho que facilitaria se soubesse qual a  editora que o distribui aí no Brasil, será possivél dizeres-me qual é?
 
      Aproveito para dar os meus parabéns pelo enorme esforço que deve ter  sido reunir tanta informação e organizá-la de forma tão clara de modo  a expor tantas incoerências na Sociedade Torre de Vigia.
 
      Junto envio o ficheiro referente ao texto seguinte onde  conto de forma  resumida um pouca da minha história pessoal.
 
      Desde há algum tempo que visito a sua página e outras similares,  sobretudo o Observatório Watchtower  <
http://www.geocities.com/Athens/Academy/6040/>  Vivo em Portugal e sou uma testemunha de Jeová activa (+/-) sou servo  ministerial (pelo menos acho que sou, mais a frente explico melhor).

      Gostaria de contar o meu percurso até agora.

      Fui baptizado em 1990 com 12 anos e aquelas certezas inabaláveis...

     O primeiro teste a essas certezas aconteceu 6 anos depois, quando aos  18 anos constatei graves incoerências e faltas de informação  propositadas relacionadas com o serviço cívico.  Só recentemente e que tenho acesso á internet, se na altura soubesse o que sei hoje, teria sido muitíssimo mais fácil tomar muitas das decisões que tomei!
 
      Nesta altura, estava convencido de que o serviço cívico era errado,  pois acreditava, tal como todos os anciãos com quem falava me diziam, que esse serviço alternativo estava  directamente subjugado ao  exército, por isso a sua aceitação era apenas uma forma diferente de  serviço militar. Sendo assim, entrei em contacto com um advogado para me ajudar em todo o processo que se iria seguir e contei-lhe o referido motivo da minha recusa. Ele disse que aceitava a causa e que  ia dar entrada do processo no tribunal.
 
      Felizmente decidi não recorrer aos serviços de um advogado testemunha ao qual quase todos os jovens que conhecia recorriam, o principal  factor que pesou em tal decisão eram o facto de todos eles (os outros  jovens que o tinham como advogado) parecerem saber muito pouco acerca  de como estavam os seus próprios processos, confiavam quase cegamente  nesse advogado, afinal era "irmão"...

      Ainda hoje me lembro bem de quando pela segunda vez entrei no  escritório do meu advogado e ele me perguntou uma segunda vez o  motivo da minha recusa de prestar o serviço cívico, pergunta que eu  prontamente respondi, sem imaginar o que estava prestes a ouvir - "ISSO É MENTIRA!"

     De repente fiquei mudo. Afinal o motivo que me tinha levado a  preparar mentalmente para um processo judicial, já a começar a decorrer, poderia ser uma mentira!  Depois de ele indicar o decreto lei em que se baseava o serviço cívico disse-lhe simplesmente que ia estudar os novos elementos de  que dispunha e que mais tarde lhe diria qual a minha decisão.  A introdução do decreto-lei está no ficheiro anexo e, no  3º paragrafo, diz:
 
"... sem que haja qualquer ponto de contacto entre a instituição  militar e a estrutura orgânica do serviço cívico, a qual terá uma natureza exclusivamente civil."
 
      Perante esta contradição com o que os anciãos me haviam dito,  aproveitei a visita do superintendente de circuito para lhe colocar a  questão, tendo ele prontamente repetido o que os anciãos me tinham já  dito - a mesma história de o serviço estar ligado ao exército. Disse-lhe que isso não era assim e que tinha o decreto-lei que o provava, ele quis ver o decreto e disse que se ia informar com sociedade.
 
      A resposta não foi nada do que eu esperava, disse simplesmente que realmente era assim como eu dizia, o serviço cívico afinal não estava ligado ao exército, mas que continuava a ser errado, porque era uma  substituição do serviço militar, só não seria errado caso fosse  ordenado directamente pelo tribunal. Obviamente isto não faz qualquer sentido, primeiro, algo em substituição não se torna automaticamente  errado, veja-se o caso do sangue em que a sociedade diz ser errado, contudo diz-nos para exigir tratamentos alternativos, portanto substitutos de algo supostamente errado! Além disso, algo que é biblicamente errado é sempre errado mesmo com ordem de um tribunal!
 
      Esta resposta foi-me primeiro dada em particular, mas depois foi reafirmada na reunião de servos que acontece sempre que há uma visita, tendo o resto dos servos presentes simplesmente escutado sem dizer nada.
 
      Disse-lhe que não entendia este tipo de motivos e que não tinham sentido. Ele limitou-se a dizer que se eu não entendia, o problema era meu. Ele não me perguntou qual seria a minha decisão e eu também  não lha disse, mas obviamente jamais iria tomar uma posição com a  qual não concordava. Nesta altura eu já era servo ministerial.
 
      Assim, comecei a recolher mais informação sobre como todo o processo se devia conduzir para a obtenção do estatuto de objector de consciência. Anulei o processo que tinha começado no tribunal e  comecei a tratar da documentação necessária a formulação do processo  que devia entrar no Gabinete do Serviço Cívico dos Obejctores de  Consciência - GSCOC, incluindo a declaração da disponibilidade para o cumprimento do serviço cívico.
 
      Fui chamado a uma entrevista pelo GSCOC, onde quiseram que eu reafirmasse verbalmente essa minha disponibilidade para o cumprimento do serviço cívico. Depois de perceberem a minha posição revelaram  porque é que estavam a chamar lá todas as testemunhas de Jeová, é que  para os processos lá entrarem, era obrigatório a tal declaração, assim, todos as testemunhas assinavam-na, mas depois lá frente a  frente é que era pior, para não mentirem diziam que de facto não o iriam realizar! Garanti-lhes que não os estava a enganar e contei tudo o que se havia passado, vi que já tinham um profundo conhecimento do funcionamento das congregações e da sociedade, pelo  menos aqui em Portugal.
 
      Entretanto, passaram vários meses antes de ser colocado numa  instituição (escolhida por mim) para a prestação do serviço. Foi nesse meses que antecederam a colocação que veio a celebre sentinela  de 1 Maio de 1996 que dizia que afinal, não era errado - era uma  questão de consciência!  Mas, obviamente, não se podia admitir que tinha havido um engano,  assim, todos anciãos nas congregações foram informados que estava mudança ocorreu devido á lei ter mudado, e estando a organização "sempre atenta e a fornecer ajuda no tempo apropriado", agora já não era errado a prestação deste serviço. A lei é a mesma! É  de 8 de Setembro de 1992, portanto quando a sentinela veio já a lei  tinha 4 anos!!
 
      Ainda recentemente voltaram a falar comigo por aparentemente estar "fraco" e novamente tentaram, convencer-me de que a organização tinha mudado porque a lei também tinha mudado. Pedi para me mostrarem o decreto-lei actual com a tal lei mudada de forma a comparar-mos as  datas entre a lei e a sentinela, obviamente não o mostraram, claro!  Disseram que não sabiam onde estava, no meio dos outros papeis  todos... Pois é, afinal um cristão não precisa de ver para crer, tem  de acreditar nos anciãos... ( pena na altura não ter o decreto  comigo!).
 
      Assim, desde aí que começaram a olhar-me de lado, qualquer pessoa que  tenta pensar por sí nunca é bem vista. Mais de lado me ficaram a  olhar quando depois da prestação do serviço cívico entrei para a  faculdade, na altura, e ainda hoje, embora não tanto, o ensino superior era mal visto, tal como todos os que decidiam nele ingressar.
 
      Algum tempo depois a congregação onde eu estava foi dissolvida de uma  forma pouco clara e com calúnias pelo meio a pessoas que muito se esforçaram apara que ela se tivesse formado.  Por tudo o que já se tinha passado e por eu ter mostrado que discordava da forma como as coisas se estavam a passar, apercebi-me que os discursos públicos tinham-me sido tirados, ainda que não  oficialmente, é por isso que dizia que não sabia muito bem se sou ou  não servo ministerial, claro que isso é uma mera curiosidade, pois, para mim isso pouco interessa, concordo plenamente o que servir a  Jeová não implica servir a uma organização. Felizmente os meus pais sempre me apoiaram nas minhas decisões e têm uma mentalidade aberta.
 
      Alguns meses depois de ter acesso a internet, comecei a pesquisar mais informações sobre a testemunhas de Jeová e descobri esta e outras excelentes páginas.
 
      Peço que nunca desistas desse teu projecto de pesquisa e de  disponibilizares o resultado para todos nesta fantástica ferramenta de informação livre que é a internet!
 
      Em breve vai haver eleições aqui em Portugal, são eleições para as câmaras municipais, o poder local, vou votar pela primeira vez, penso que não estaria a respeitar o principio bíblico da neutralidade cristã se desse o meu voto a algum candidato, mas isso não tem necessariamente de acontecer, existem votos em branco...

     Quero ver a cara dos anciãos quando lhes disserem que eu fui votar  (eu teoricamente ainda sou servo ministerial), porque aqui as  noticias espalham-se depressa é uma comunidade relativamente pequena.  Apesar de a sociedade na sentinela de 1 Novembro de 1999 ter dito que  é uma questão de consciência, tenho quase a certeza que isso não funciona assim na prática, veremos.
 
      Bom, esta carta já vai longa (muito) gostaria que me respondesses,  quando tiveres tempo, mesmo que seja só para dizer "recebi o teu mail", porque eu sei bem que quando não se tem tempo, até ter de responder aos mails pode ser muito chato.
 
Um abraço, e muitas felicidades pessoais e profissionais são os meus votos.

 S. F.
 
     Caro S.
 
     Agradeço-lhe muitíssimo por suas palavras amáveis. Também senti-me comovido por seu drama pessoal no que se refere ao serviço militar alternativo e os objetores de consciência. Eu próprio fui prejudicado pela organização Torre de Vigia, pois, aqui no Brasil, a eximição do serviço militar impõe a cassação dos direitos políticos do cidadão, acarretando-lhe enormes danos em sua vida profissional. Você poderá ler esta experiência em minha HP, no ícone "Apresentação" ou nas trocas de correspondências, no ícone "Mail List". Estou tomando a liberdade de publicar seu depoimento, naturalmente omitindo detalhes que possam identificá-lo. Novamente, muito obrigado por sua contribuição.
 
     Odracir
 
Nota: quanto ao livro "Crise de Consciência", sugiro-lhe contatar Cid (cidfa@fortalnet.com.br) novamente, pois vai ser lançada, em breve, a 2a. edição, em uma editora de grande porte, de cujo nome não me recordo. Essa tiragem será bem maior e creio que a aquisição para o exterior agora será mais fácil.

 

Tempo Perdido?

(Minhas respostas estão em azul)

Início

L.O., Brasil, 14/11/ 2001 


Bom... primeiro gostaria de lhe dar os parabens pelo tempo que tomou fazendo esse site...me admira um homem (que deve de ter muitos afazeres) ...ficar tanto tempo empenhado num assunto...eu sinceramente não o perderia!
 
     Antes de qualquer coisa, é, para mim, motivo de satisfação receber sua mensagem - evidência clara de que meu trabalho a comoveu. Quanto ao elogio acima, caso seja sincero, sinto-me lisonjeado. Se, por outro lado, houver algum tom de ironia por trás dele - é o que parece - convido-a a examinar minha HP sem preconceitos e verá que o que faço é legitimado pela própria Sociedade Torre de Vigia em A Sentinela de 15/5/1964, p. 304:
 
     “Não é forma de perseguição religiosa alguém dizer e mostrar que a religião de outrem é falsa. Não é perseguição religiosa uma pessoa informada expor publicamente uma religião falsa, permitindo assim que outros vejam a diferença entre a falsa religião e a verdadeira.” 
 
 
     Tampouco considero perda de tempo um trabalho árduo que visa a expor a hipocrisia religiosa de uma instituição fundamentalista que controla com rédeas curtas a vida de 6 milhões de seres humanos. Por que deveria eu desconsiderar esta comunidade religiosa? Pelo seu reduzido contingente? Certamente os membros da comunidade Templo do Povo (Guiana Inglesa) constituiam um grupo minúsculo - cerca de 900 pessoas. Todavia, quando eles cometeram suicídio coletivo, em 1978, sob as ordens de seu líder Jim Jones, receberam a atenção do mundo inteiro. Da mesma forma, a organização islâmica terrorista Al Qaeda - liderada por Osama bin Laden - não passava de um punhado de fanáticos desconhecidos até a data de 11 de Setembro. É claro, centenas ou milhares de mortes ocorrendo de forma simultânea e brutal não poderiam passar despercebidas. Mas, que dizer da matéria publicada no Jornal da Associação Americana de Medicina de 5/2/1997, vol. 277, no. 5, p. 425 - denunciando a "morte desnecessária de milhares de pessoas" em razão da doutrina do sangue? Essas mortes ocorreram ao longo de décadas de forma esparsa ao redor do mundo (para conhecer algumas das vítimas, visite: http://www.abaweb.com/WATCHTOWERvictimsMEMORIAL/). Por essa razão, passaram ser ser notadas. Considera você que essas vidas eram menos importantes que as das 900 pessoas em Jonestown ou as 6000 vítimas do atentado em Nova York? Tanto Jim Jones como bin Laden bem como o Corpo Governante das Testemunhas de Jeová disseram falar como porta-vozes de Deus (A Sentinela de 15/12/1964, pág. 749 ). Por assim agirem, conseguiram arrebanhar após si discípulos submissos à sua vontade e à espera de seu comando, com consequências trágicas. Assim sendo, respeito sua cômoda postura de cruzar os braços diante da ameaça que o fundamentalismo religioso representa para a sociedade humana. Provavelmente, você crê que nada pode fazer a respeito. Mas essa não é minha opção e espero contar com sua compreensão.
 
Já escrevi para o cid, e ele me respondeu....mas pra ser sincera (novamente) eu nem me dei ao trabalho de ler a pesquisa dele.
 
     Lamento profundamente sua atitude, mas a compreendo inteiramente. As pessoas que passam por desapontamentos religiosos costumam apresentar algum tipo de choque pós-traumático: uns entregam-se a um modo de vida desregrado, outros adquirem aversão a tudo que diz respeito a religião e outros procuram manter uma perspectiva cristã. Contudo, apenas uma minoria adquire real consciência da experiência que é submeter-se à 'camisa-de-força' do fundamentalismo religioso. Dentre esses, alguns sentiram-se motivados a fazer alguma coisa contra esse processo nefasto que ameaça o tecido sócio-familiar e viola direitos humanos. Meu amigo Cid está entre estes. Sugiro-lhe, pois, reconsiderar sua decisão e examinar o trabalho dele. Saiba que muitos sentiram-se ajudados, o que é corroborado pela farta correspondência que ele tem recebido (em breve, ele publicará tais mensagens).
 
Sou ex-TJ, isso já fazem quase 6 anos, tenho 24 anos.
 
     Eu estou afastado há mais de 12 anos e, na atualidade, tenho 38 anos.
 
Só não entendo uma coisa....vc diz que não pede sua desassociação por causa dos amigos, família etc....mas acho que isso não é motivo, concorda que a amizade deles é falsa? Sim porque, só são seus amigos enquanto vc estiver como TJ, eu não faço a menor questão, se quiserem falar comigo bem (como alguns fazem), se não quiser...paciência...azar o deles...
 
     Discordo. Não acho que meus amigos Testemunhas sejam falsos - eles apenas têm um senso de lealdade a Deus totalmente deturpado. Eles são levados a pensar que têm de escolher entre serem fiéis a Deus ou às ex-Tj´s e sinceramente acreditam nisso. Tal atitude faz parte da mentalidade tipo 'preto-e-branco' que lhes foi implantada em um insidioso processo de condicionamento mental por parte de uma organização fundamentalista. São vítimas. Eu não combato as vítimas, combato os algozes!
 
Eu acho engraçado vcs...o cid tbm...é todo  traumatizado com isso, ele já não saiu?Não fez amigos fora?Pois então...cada um vive como quer...as TJ tem a chance de saber o que a religião delas ensina, e elas preferem continuar lá...eu comentei com o Cid isso, falei com minha mãe sobre esses sites, (ela é TJ a 35 anos)...relatei tudo que li pra ela...e ela concorda...sim...os anciãos erraram nas datas, sei lá eu o que mais fizeram.
 
     Cara leitora, tenha mais empatia. Sair da Organização não representa o fim dos traumas religiosos - as cicatrizes podem durar pelo resto da vida. Na verdade, sair representa apenas o primeiro passo para a recuperação. Requer rever todo um modo de vida, reexaminar valores, dar atenção a alvos e pessoas que tinham sido menosprezados em troca da escravidão a uma corporação poderosa e opressora. Envolve abandonar uma mente judicial e intolerante, cultivada como parte da noção de pertencer a um 'povo escolhido', superior a todos os demais. E me parece que compartilhar tais problemas com outros e tentar prover-lhes conforto emocional é um modo excelente de sanar as marcas. Quanto ao fato de algumas Testemunhas, mesmo sabendo de alguns fatos graves, decidirem permanecer por lá, sugiro-lhe ser mais benevolente com elas, afinal, o vínculo entre elas e a Torre de Vigia é de cunho emocional. Cada um tem seu tempo para despertar. O importante é que elas percebam que, caso decidam sair do jugo opressivo de Brooklyn, terão quem as acolha fraternalmente 'lá fora'.
 
Tbm acho que eles erram em muitas coisas...mas sinceramente, não estou aqui pra julgar ninguem, mas acho estranho a forma como vcs se empenham firmemente em viver em prol de difamar o corpo governante...desculpe a espressão.
 
     O dicionário define 'difamar' como 'divulgar fato ofensivo à reputação de alguém'. Desse modo, creio que seu pedido de desculpas é plenamente justificado, pois a expressão está pessimamente aplicada. Não difamamos, denunciamos! Não tome as dores de quem a discriminou. Se você pensa realmente assim, então os órgãos de defesa do cidadão, como o ministério público, são difamadores. Por favor, não inverta os valores - é a própria Sociedade quem pratica a difamação. Quer exemplos? Vejamos:
 
"As igrejas Católica, Ortodoxa e, mais tarde, as Protestantes...   tornaram-se parte de Babilônia, a Grande, o império mundial da religião falsa do diabo." - A Sentinela de1/12/1991, pág. 13  
 

"Seja sabido, de uma vez por todas, que aqueles homens gananciosos, sem consciência e egoístas que se chamam Judeus, e que controlam a maior parte das finanças do mundo e os negócios do mundo, nunca serão dirigentes desta nova terra. Deus não correria o risco com tais homens egoístas em uma posição tão importante." - A Idade de Ouro de 23/2/1927, p. 343 (em inglês)

“Atualmente, os assim chamados ‘Protestantes’ e o clero Yiddish [judeu]  
cooperam abertamente e são controlados pelas mãos da Hierarquia  

Católica Romana, como simplórios palermas...”
- Inimigos (1937), pág. 222 (em inglês)

     Outro exemplo seria a edição de 1/7/1994 de A Sentinela, pp.11-13, a qual acusa indistintamente todos seus dissidentes de (1) Esperteza; (2) Inteligência arrogante; (3) Falta de amor e (4) Diversas formas de desonestidade. Concorda com tais acusações? Já experimentou saber dos rumores na congregação sobre você própria após sua desassociação? Não terá você mesma também sido vítima de difamação? Não se esqueça - não existe saída honrosa dessa religião. A organização trata de diabolizar todos os que se afastam, com o intuito de jogá-los no ostracismo e impedir que seus membros ouçam suas razões - tática típica dos regimes totalitários. Além disso, incentiva as Testemunhas a nutrir 'ódio bíblico' contra os dissidentes (A Sentinela de 1/10/1993, pág. 19). Considera isso como expressão de respeito aos direitos humanos?
 
 
Se elas (as TJ) querem ser enganadas, ou se mesmo sabendo dos erros do Corpo governante, se mesmo assim, querem servir a Jeova assim...sei lá...cada um com seu cada um...lá na frente...é Jeová quem vai decidir.
 
     Não creio que as Testemunhas queiram ser enganadas. Elas simplesmente relutam em crer que aquilo pelo qual se empenharam com tanta dedicação seja, na verdade, um engodo. Seu argumento se parece bastante com aquele usado pela Organização para incentivar a passividade de seus membros ante os absurdos cometidos pela Torre de Vigia. Lembra-se do 'esperar em Jeová'? Nesse respeito, menciono a frase que inicia um filme de Oliver Stone: "Pecar pelo silêncio, quando se deveria protestar, faz dos homens covardes".
 
Tôu lá eu preocupado pq as TJ não falam comigo???Problema delas...eu vou muito bem, obrigada. Colega...essa é minha opinião , não quero ofendê-lo ok?
Té Mais...
Bom dia
L.O.
 
     Eu me preocupo com as Testemunhas, pois sei pelo que passei. E se algumas não falam comigo - insisto - elas são, em sua maioria, vítimas. Culpados são os líderes da religião por aplicarem técnicas do Taliban ao rebanho. Culpados são aqueles que usurparam o lugar de Cristo e se colocaram como 'único canal de comunicação entre Deus e os homens'. Estes, sim, têm uma pesada dívida com Deus e a humanidade. O fundamentalismo religioso é uma praga social que eu não pararei de combater. Essa é minha opinião e também não quero ofendê-la...
 
    Tenha um excelente dia e seja bem vinda à minha HP.
 
    Odracir
 
 

Legítima Defesa

(Minha resposta está em azul)

Início

G., Brasil, 5/11/2001

 
     O irmão Cid diz em seu site que você ainda está na Organização.  Se você já não tem mais dúvidas sobre o que fala, porque ainda está lá? Não saiu porque tem medo de quê? Seja corajoso!
 
     Sou batizada desde os 11 anos (agora tenho 21) e estou pesquisando nos dois sites e conversarei com os anciãos para esclarecimentos. Caso não tenha, já sei  o que fazer: não vou ficar metendo o pau e estar lá como um cínico.
 
     Sei que fui muito dura com você. Estou num processo muito complicado. Mudo facilmente de opinião. Mas eu não entendo como, com um site tão bom quanto o seu, que ajuda muitos a sair de lá, você continua na Organização.
 
     Boa noite,

 
    Cara leitora
 
    Inicialmente, felicito-a por prestigiar minha página com suas pesquisas. Quanto à sua indagação principal, creio ter havido um equívoco de sua parte no que diz respeito ao significado da expressão 'estar na organização'. No meu caso, quer dizer simplesmente que não emiti uma carta de desassociação ou tampouco compareci a uma reunião judicativa. Simplesmente cessei minhas atividades como membro das TJ desde 1988, condição costumeiramente classificada pela instituição como 'inativo'. De lá para cá, jamais retornei ao convívio íntimo delas. Não tenho conhecimento do meu 'status' atual perante a instituição - pelo menos, jamais soube de qualquer anúncio sobre desassociação. Você pergunta por que eu não formalizo meu desligamento e eu respondo com outra pergunta: QUAL O TRATAMENTO DISPENSADO PELAS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ AOS QUE SE DISSOCIAM FORMALMENTE OU SÃO OFICIALMENTE DESASSOCIADOS? Vejamos:
 
"...um simples 'Oi' dito a alguém pode ser o primeiro passo para uma conversa ou mesmo para uma amizade. Queremos dar este primeiro passo com alguém desassociado?... Portanto, cristãos aparentados com um desassociado... devem esforçar-se a evitar a associação desnecessária, mantendo até mesmo os negócios reduzidos ao mínimo."

- A Sentinela, 15/12/1981, pp. 21, 25 

"Se um publicador se recusa a fazer isto e ignora a proibição de se associar com o desassociado, esse publicador está a rebelar-se..., ele também deve ser desassociado." 

- A Sentinela, 1/10/1955, p. 607 (em inglês)

"Alguns apóstatas... rejeitam a organização de Jeová e tentam ativamente obstaculizar a sua obra...o cristão precisa odiar (no sentido bíblico da palavra) os que se agarraram inseparavelmente à maldade."

- A Sentinela de 1/10/1993, pág. 19

"Temos de odiar no sentido mais verdadeiro, que é encarar com extrema e ativa aversão, considerar como uma abominação, odioso, nojento, detestar."

- A Sentinela de 1/10/1952, pág. 599 (em inglês)

     Compreende agora o motivo por trás de minha relutância em apresentar um pedido formal de desligamento? Quem criou os decretos acima? O fato é que a Sociedade Torre de Vigia viola os direitos humanos de seus membros, impondo-lhes o banimento social até mesmo dentro da família, caso eles discordem das instruções emanadas do Corpo Governante, em Brooklyn-EUA. É de estranhar que, intimidados pela ameaça da perda dos amigos - granjeados ao longo de anos - do convívio natural com a família e até o fim dos negócios - privando a pessoa de seu sustento - que muitos decidam permanecer (ao menos na aparência) na Organização, mesmo quando não mais concordam com a teologia dela? Quantos estarão dispostos a pagar o terrível preço imposto aos que tem pensamento independente de uma organização humana, a saber, ter de escolher entre a consciência e os entes queridos? Eu tenho parentes e alguns poucos e queridos amigos ainda Testemunhas de Jeová. Enquanto permanecer como estou, não serei privado de meu direito ao convívio com eles - pelo menos, não me virarão o rosto na rua (como é costumeiro da parte das Testemunhas para com os dissidentes). Suportaria você mesma o 'ódio bíblico' instilado pela Sociedade em seus amigos e parentes como punição pelo seu direito de expressão e livre-arbítrio? Assim, creio que o termo 'cínico', aplicado por você a um  simples indivíduo diante de uma vasta corporação internacional que controla os pensamentos de 6 milhões de seres humanos tanto é injusto como representa uma inversão de valores. A organização - ela própria - deve arcar com o ônus das leis arbitrárias  que criou e não suas vítimas. Classifico o que faço como legítima defesa.
 
     É interessante que diversos governos ditos 'teocráticos' pratiquem em diversos países a opressão e a violação dos direitos básicos da pessoa humana em nome de Deus. Um exemplo é a milícia Taliban do Afeganistão, a qual apedreja uma mulher se ela não se cobrir ou chicoteia um homem se ele beber ou ouvir rock, ao mesmo tempo em que dá abrigo a terroristas e vende ópio aos traficantes internacionais em troca de verbas para suas atividades criminosas. Ainda assim, seus carrascos  julgam-se investidos de autoridade por Deus e exercem sua tirania em nome do Altíssimo. Não percebe o paralelo?
 
     Amiga leitora, compreendo seus sentimentos e estou certo de que sua intenção não é ofender. Acho natural que, durante a fase delicada pela qual está passando, suas idéias oscilem - em um momento tomando as dores da Organização e em outro, assumindo as rédeas de sua consciência em busca dos fatos sobre sua religião - algo expressamente condenado na literatura dela (outra violação dos direitos humanos). Já passei por momentos de conflito íntimo e até depressão, pois a decepção religiosa deixa marcas por toda uma vida. Todavia, não posso compactuar com a hipocrisia religiosa. É meu dever denunciá-la!
 
     Creio que, uma vez você tenha tomado conhecimento dos fatos 'branqueados' ou mantidos pela Sociedade fora de sua vista por todos esses anos e amplamente apoiados em provas documentais, difícil também lhe será permanecer como cúmplice de tudo isso. No entanto, em razão da ameaça a seus laços de família ou amigos de longa data - uma tática comum aos sistemas totalitários - para mim, não será surpresa se você própria relutar em deixar formalmente a Organização. Ao menos, eu não a recriminaria por agir assim...
 
     Faço votos de que a paz e a lucidez retornem ao seu coração!
 
     Odracir

 

Sobre o Artigo "As TJ e o Ocultismo"

Início

N.P., Brasil, 21/10/2001

     Olá, Odracir!

     Achei muitíssimo interessante a sua HP! Tenho certeza que de tem ajudado muitas pessoas sinceras! Eu me dissociei, agora no dia 11, graças ao bom Deus Jeová e ao site do Cid. Livrei-me dessa organização comandada por "vampiros espirituais" e, porque não dizer,  "vampiros emocionais", que sugaram a alegria da minha  família durante 10 anos!!!

     Conheci a pouco sua HP e fiquei fascinada com a parte que diz respeito ao Ocultismo - que horror!!! Como pode um homem, o qual 6 milhões de pessoas dizem acreditar que foi escolhido pelo próprio Deus, se envolver com a Maçonaria?! E, por falar nisso, acho que você já conhece o artigo cujo autor é o Pr. David Bay, com tradução de Jeremias R D P dos Santos, o qual aborda claramente o assunto.

     O e-mail é: jeremias@espada.eti.com.br




Utilidade Médica

(Minha resposta está em azul)

Início

P., Brasil, 18/10/2001

     Meu nome é P. e eu e minha namorada somos profissionais da saúde.  Nós gostaríamos que o senhor nos pudesse esclarecer sobre a posição de sua religião quanto à transfusão de sangue, o motivo pelo qual os senhores a recusam como medida terapêutica. Por favor, se puder emitir sua opinião sobre o transplante de órgãos, nós ficaríamos gratos. Gostaríamos de esclarecer que nosso interesse é puramente profissional, e que acreditamos que esse conhecimento nos tornaria melhores profissionais.

     Agradecemos desde já.

 

     Prezado P.
 
     É com satisfação que respondo à sua mensagem. Gostaria apenas de ressaltar que, na atualidade, não pertenço a qualquer credo religioso. A religião em questão em minha HP foi aquela que recebi de minha mãe e a qual abandonei há mais de 10 anos. Justamente em razão de minhas pesquisas sobre o passado dessa instituição, foi que decidi alertar o público - inclusive a comunidade médica em geral - sobre o enorme risco à saúde (física, social e mental) da população que esta dita organização representa. 
 
     Todo o tema que você menciona está detalhadamente analisado em um artigo de minha página, com provas documentais (artigos, fotos, charges da época e uma análise cronológica). Basta acessar o seguinte endereço eletrônico - http://www.geocities.com/torredevigia/medicos.htm . Creio que você ficará espantado com o que vai ler. Até ofensas públicas à AMA - Associação Americana de Medicina, os líderes dessa religião já praticaram. O artigo em questão o transportará aos anos 20 e de lá  o conduzirá, passo a passo, ao desenvolvimento doutrinário da Sociedade Torre de Vigia na área médica (vacinas, transplantes etc.). Creio que esse exame permitir-lhe-á traçar um perfil da visão religiosa fundamentalista em relação à medicina tradicional. Na verdade, a Sociedade mencionada tem um notável histórico no que se refere ao charlatanismo em assuntos médicos - histórico esse que é mantido até hoje fora da vista dos adeptos. A mim, isso nada mais é do que desonestidade intelectual. Como é um artigo longo, sugiro imprimir e, se possível, distribuir entre seus colegas, pois poderá ser útil em uma emergência hospitalar. Saiba que nem as próprias Testemunhas de Jeová conhecem com precisão as doutrinas de sua religião e isso poderia lhes custar a vida. 
 
     A posse do artigo em mãos, poderá fornecer ao médico subsídios para que a família do doente ou ele próprio reconsidere sua decisão. Experimente perguntar a uma Testemunha de Jeová  exatamente quais componentes sanguíneos são permitidos e verá que ela própria desconhece os pormenores dessa malfadada doutrina. Tampouco ela saberá explicar a tese dos componentes 'maiores' e 'menores' do sangue. Elas, por exemplo, não sabem que vários elementos presentes no sangue e proibidos pela religião delas são encontrados em maior quantidade no leite humano e que uma criança, ao ser amamentada, estaria recebendo 'componentes' encontrados no  sangue. Assim, por favor, acesse minha HP e conheça também outros aspectos dessa religião, pois poderá salvaguardar a si mesmo e a sua família da lavagem cerebral fundamentalista.
 
Sou a favor da liberdade de religião, consciência  e pensamento e contra a supressão de informações. Por essa razão, sinto-me obrigado a fazer tais denúncias.
 
Espero ter sido útil e aguardo sua mensagem informando-me sobre sua impressão  a respeito da matéria...
 
Sinceramente,
 
Odracir
 
PS: também sou da área de saúde - cirurgião-dentista.


     O leitor acima, após a leitura recomendada, enviou-nos um e-mail de agradecimento conforme segue abaixo:

 

     Caro amigo Odracir

    Eu li os conteúdos, acompanhado de minha namorada, A., e ficamos estarrecidos com as informações obtidas. Devemos ser sinceros e contar que nem eu nem ela conseguimos segurar algumas gargalhadas na seção das "receitas" que o senhor Woodworth e a publicação "A Idade de Ouro" ofereciam aos que seguiam essa religião. De qualquer forma, agradecemos a sua ajuda, pois sem dúvida, nos ajudará a entendermos melhor o paciente com o qual estamos lidando.


     Obrigado.
     

 

Apesar de 1975...

Início

M.A., Brasil, 5/10/2001 

 

     Acabei de descobrir  seu Site. Não deu para pesquisar inteiro  (pretendo fazê-lo na medida do possível). Bem, como o mundo não acabou em 1975, consegui, a duras penas, me formar em jornalismo.

 

     Gostaria,  se possível fôsse, que, a cada atualização de sua página, você me enviasse um aviso, OK?

 

     Tenho fé em Jeová e muita. Todavia, acredito que somente o estudo e as pesquisas sobre a palavra de Deus, a Bíblia Sagrada, nos  levam a entender e, conseqüentemente, compreender o propósito do nosso  Criador para com seus filhos.

 

     Quanto a Organizações impostas pelo homem, realmente é preciso tomar muito cuidado! Afinal de contas, ao meu ver, nem elas nem religiões salvam nossas vidas.

 

     Gostaria também de saber se há no mercado o livro "Crise da Consciência", de Raymond Franz, em português ou em espanhol. Se há, onde posso adquiri-lo?

 

      Abraços!

      M. A.

 

OBS: o livro "Crise de Consciência" já foi lançado em português e, dentro em breve, sairá sua 2a. edição. Alguns exemplares remanescentes da 1a. edição podem ser adquiridos escrevendo para cidfa@fortalnet.com.br.

 

 

 

Incisivo sem ser Apelativo

Início

M., Brasil, 5/10/2001 

     Muito interessante seu site, pois é incisivo sem ser apelativo (outros  sites exageram e acabam cometendo erros piores que os que desejam evitar). Só uma sugestão (e não é de caráter doutrinário): parece-me que a figura de fundo torna difícil a leitura de certos trechos, especialmente quando a fonte é pequena (ou será que eu é que estou com muito sono, afinal são quase três da madrugada, hehe!?). Voltarei ao site outras vezes, pois há muita informação.

     No amor de Jeová (!) e de Cristo,

     M.


    

Um Dissidente Agradece

Início

R.F., Brasil, 26/9/2001 

     Caro Odracir, em breve lhe escreverei mais. Por hoje, vai apenas um grande e culminante OBRIGADO após tantas visitas frutíferas ao seu Site. Foi, em parte, o seu Site que me ajudou a chegar a este ponto - impensável há poucos meses atrás...


Obrigado

RF (Voluntário da AJWRB)

     A  AJWRB - Associated Jehovah's Witnesses for Reform on Blood  [Testemunhas de Jeová Associadas Para a Reforma na Questão do Sangue] é um grupo heterogêneo de Testemunhas de muitos países, incluindo anciãos e outros representantes da organização, membros das Comissões de Ligação com Hospitais, Médicos, Advogados, defensores dos direitos das crianças e membros  do público em geral que ofereceram voluntariamente o seu tempo e energias num esforço para acabar com a política trágica e enganadora que já custou milhares de vidas, sendo muitas das vítimas crianças.

Página na Internet:
http://www.ajwrb.org
Versão em Português:
http://www.ajwrb.org/foreign/abstain-port.shtml

E-mail: info@ajwrb.org
P.O. Box 190089 - Boise, ID 83719-0089 U.S.A.

  

   A seguir, o leitor enviou-me uma segunda mensagem, conforme se lê abaixo:


     Caro Odracir, com um pouco mais de tempo, vai aqui então um renovado obrigado para si. É visível o muito trabalho que você, Cid Miranda, Osarsif e tantos outros têm tido. Todavia, é também por força desse trabalho que TJ´s como eu dão o passo que estão dando. Não me considero já TJ no meu coração. Terei de manter um certo fingimento para poder seguir aquele que é agora o meu objetivo: apresentar a verdade sobre a "verdade" a familiares e amigos. Vai ser difcil. Por um lado, ainda luto comigo mesmo e até custa escrever estas coisas depois de tantos anos de "certeza" de ter algo muito valioso nas mãos... Por outro lado, não me sinto muito preparado para manter uma postura falsa perante familiares e a organização. Penso que rumores ou fatos sobre Dinheiro, Pedofilia, Corp Gov etc. me podem ajudar a ir minando a confiança dessas pessoas que me são tão queridas. Não as quero assustar e prefiro desferir o meu ataque com base em assuntos não doutrinais, para não entrar logo em confronto com o ensino oficial e se me fecharem as portas. Você reuniu citações muito valiosas sobre assuntos diversos. Pretendo usar algumas citações como "inofensivas" curiosidades pondo automaticamente a ridículo a postura do Corpo Governante no passado, deixando lentamente surgir uma ponte para o presente... Por ex., marcou-me ler a parte sobre Racismo. Diga-me por favor: onde encontro as suas fontes? Existe digitalmente essa literatura antiga? A minha idéia é, por ex., pegar  todos os textos sobre racismo e juntar-lhes fotocópia do original para prevenir a descrença e acusação de falsificação. Portanto, pretendo poder mostrar digitalmente e até imprimir porque pode ser mais credível para certas TJ´s. Só a informação - sem a cópia - perde um pouco dessa força. Há algum site ou alguma CD-ROM que me recomenda para pesquisar as fontes? Estou a trabalhar com o Lee Elder e o Osarsif numa mais ampla versão portuguesa do site da AJWRB em portug. Espero poder unir esforços consigo nesta importante tarefa. Muito boa sorte e que o Pai o abençoe!


Comentário: as provas documentais registradas nessa HP são originárias de coletâneas de citações fornecidas em diversos sites em inglês, de literatura antiga gentilmente cedida por colaboradores e do CD-ROM em inglês que pode ser obtido na HP de Randall Watters (http://www.freeminds.org/).

 

 

 

A quem se aplicam estes textos?

Início

(Minha resposta está em azul)

M.R., Brasil, 18/9/2001 

 

    Ao visitar seu site, minha fé fortaleceu-se ainda mais por saber que pessoas como vc estão empenhadas em cumprir as profecias Bíblicas (mesmo sem saber):

     1 Timóteo 4:1

     2 Tess. 2:3

     Atos 20:30

     2 Pedro 2:1,3

     2 Timóteo 2: 16,18

     Números 16: 1-3, 11, 19-21

     não era pra eu nem ter entrado no seu site, mas entrei e não pude ficar calado.

   

     Prezado leitor

 

     Ao receber sua mensagem, fortaleceu-se minha convicção de que a fé das Testemunhas de Jeová tem bases emocionais e não racionais, pois você não foi capaz de mencionar um único ponto que demonstrasse que as denúncias que faço são inverídicas. Não apresentou nenhuma contraprova que refutasse cabalmente aquelas que eu apresento em minha HP. Não provou que os documentos que apresento estão deturpados ou adulterados. Apenas lançou, como de costume, uma série de ataques tipo ad-hominem, bem como argumentos intimidatórios, desviando a atenção dos pontos em questão e fazendo acusações vazias.

 

      Da mesma forma – pelo seu exemplo - ficou mais claro ainda que as Testemunhas são ensinadas pela organização delas a usar a Bíblia extraindo versículos fora de seu contexto. Vamos examinar  o contexto de cada passagem que você me enviou e, talvez, você descubra que é a sua própria organização que está a cumprir estes textos bíblicos. Espero que você tenha coragem para examinar toda a evidência que lhe forneço, assim como teve coragem de visitar meu site, desobedecendo as instruções em A Sentinela de 1/5/2000. Vejamos:

 

1 Timóteo 4:1

 

“No entanto, a pronunciação inspirada diz definitivamente que nos períodos posteriores de tempo alguns se desviarão da fé, prestando atenção a desencaminhantes pronunciações inspiradas e a ensinos de demônios,...”

 

     Queira reler o versículo e notar que o apóstolo fala daqueles que se desviarão “da fé” e não da Sociedade Torre de Vigia. Embora eu esteja cônscio de que, em sua mente, uma coisa equivale à outra, sugiro-lhe ler o restante do texto e talvez tenha algumas surpresas:

 

...pela hipocrisia de homens que falam mentiras, marcados em sua consciência como que por um ferro de marcar, proibindo o casar-se, mandando abster-se de alimentos que Deus criou para serem tomados com agradecimento pelos que têm fé...”

 

     Queira notar o trecho destacado em vermelho. Percebe a quem o texto se dirigia? O contexto mostra claramente a quem o apóstolo se referia, a saber, a pessoas que insistiam com as tradições judaicas, acrescentando à fé cristã coisas desnecessárias e alheias à mensagem básica do cristianismo. Perceba ainda que o versículo menciona a proibição ao casamento como um dos pontos defendidos por aqueles considerados apóstatas. Sabe de alguma organização que, em alguma época, tenha desaconselhado o casamento desnecessariamente? Talvez não seja do seu conhecimento o que o livro Filhos - lançado em 1941 pelo 2o. presidente da Sociedade, J. F. Rutherford – tinha a dizer sobre o casar-se:

 

“... como instrumento provido pelo Senhor para um trabalho mais efetivo nos meses que restam antes do Armagedom...Deveriam homens e mulheres... casar-se agora antes do Armagedom e ter filhos?... a advertência ou conselho das escrituras parece ser contra isso... Nós bem podemos adiar nosso casamento até que a paz duradoura chegue à terra.” (Filhos, pp. 288, 312 e 366)

 

     Note que o conselho dado acima é totalmente diferente daquele dado por Paulo em 1 Coríntios 7: 32-35. O apóstolo apontava para as ansiedades relacionadas a ter família, a qual poderia dividir o cristão. Paulo não aconselhou o celibato em função de uma data. Todavia, o trecho extraído acima mostra claramente a Sociedade Torre de Vigia, na pessoa de seu presidente, recomendando adiar o casamento em razão dos “meses que restam antes do Armagedom”, ou seja, em função de uma data específica – isso há mais de 60 anos!!! Pergunto-lhe: estarão os casais daquela época solteiros até hoje, à espera do Armagedom? Diria que foi um conselho apropriado e oportuno? Proveio de Deus? Não terá se tornado a organização a que você pertence bem semelhante àqueles a quem se refere o capítulo quatro da primeira carta a Timóteo – o texto que você enviou a mim?

 

     Curiosamente, a segunda carta a Timóteo, cap. 2, vers. 18 (citada por você), menciona dois apóstatas – Himeneu e Fileto – assim considerados por estarem ensinando que “a ressurreição já ocorreu”. Pergunto-lhe: sabe de alguma organização que tenha, em alguma época, ensinado que a ressurreição ocorreu sem que isso tivesse acontecido? Bem, eu sei de uma:

 

“...na primavera de 1878 todos os santos apóstolos... que adormeceram em Jesus foram arrebatados como seres espirituais... nós, assim, concluímos que a ressurreição deles é agora um fato consumado...” (Livro Venha o Teu Reino, 1923, edição 234, p. 305)

 

     Reconhece a organização que publicou as palavras enganosas acima? Ela mesma – a Sociedade Torre de Vigia! Agora, pergunto-lhe: a ressurreição aconteceu mesmo em 1878 ou a organização agiu de modo semelhante a Himeneu e Fileto? Os fatos falam por si...

 

     Vamos ao segundo texto que você enviou, 2 Tessalonicenses 2:3 –

 

“Que ninguém vos seduza, porque não virá a menos que venha primeiro a apostasia e seja revelado o homem que é contra a lei, o filho da destruição.”

 

 

     Aqui, mais uma vez, você esqueceu-se de ler o contexto. Queira, por favor, retornar ao versículo anterior:

 

“... não sejais depressa removidos de vossa razão, nem fiqueis provocados, quer por uma expressão inspirada, quer por intermédio de uma mensagem verbal, quer por carta, como se fosse da nossa parte, no sentido de que o dia de Jeová está aqui.”

 

     Agora, sim, sabemos a que o versículo 3 se refere com a expressão “não virá” – refere-se ao anúncio que alguns faziam naquele tempo sobre a chegada do dia do juízo, desencaminhando a muitos. Além disso, os versículo 4 e 9 do mesmo capítulo (os quais você provavelmente não leu) identificam claramente a quem o apóstolo Paulo se referia, ou seja,  àqueles que se colocassem no ‘Templo de Deus’, apresentando-se como ‘deus’, com ‘obra poderosa, sinais e portentos mentirosos’. O apóstolo nada disse que se refira a mim, já que não estou anunciando o “dia de Deus”, não estou me apresentando como “deus”, nem estou a fazer “sinais e portentos”. Na verdade, não estou pregando qualquer credo religioso, mas apenas denuncio a hipocrisia religiosa, assim como afirmam fazer as revistas A Sentinela e Despertai!, quando atacam impiedosamente as igrejas católica e protestante. Todavia, pergunto-lhe: sabe de alguma organização que – de acordo com o texto - tenha ‘anunciado o dia de Jeová’ falsamente? Queira ler as declarações abaixo:

 

“... a batalha do grande dia do Deus Todo-Poderoso... tão grande é a nossa confiança na Palavra de Deus e na luz da presente verdade brilhando sobre ela, que não poderíamos duvidar de seu testemunho em face de quaisquer que fossem as aparências... começando na data de outubro de 1874.” (Revista Torre de Vigia de Sião, 15/1/1892, reimpressão, p. 1355)

 

“Nós vimos que Deus apontou um tempo para cada aspecto de seu plano, e que nós estamos desde já nesse ‘Dia de Vingança’, o qual... começou em outubro de 1874.” (Livro A Batalha do Armagedom, 1913, edição 621)

 

“Não se surpreenda, então, quando, nos próximos capítulos nós apresentarmos provas de que o estabelecimento do Reino de Deus já começou, que a profecia aponta para ele como iniciando o exercício de poder em 1878 AD, e que a ‘a batalha do grande dia do Deus Todo-Poderoso (Ver. 16:14),a qual terminará... com a completa derrubada dos governos na terra, já começou.” (Livro O Tempo está Próximo!, 1915, edição 101)

 

 

     Reconhece a autoria das afirmações acima? Novamente, ela – a Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados! Diga-me: é verdade mesmo que o ‘dia de Jeová’ já começou desde 1874 ou a organização Torre de Vigia cumpriu nela mesma as palavras do apóstolo Paulo em 2 Tes. 2: 1-5? Ademais, quem tem se colocado como único canal de comunicação entre Deus e os homens, assentando-se assim no ‘Templo de Deus’? Os fatos falam por si...

 

     Vamos ao texto seguinte, Atos 20: 30 –

 

“... e dentre vós mesmos surgirão homens e falarão coisas deturpadas pra atrair a si os discípulos.”

 

     Aqui, há duas dificuldades. Vamos à primeira: o contexto mostra Paulo se referindo ao seu ministério sobre o nome de Jesus (versículo 21). Em que consistia esse ministério? Na pregação de que a) Cristo era o Filho de Deus, b) Ele foi enviado pelos nossos pecados, c) Sua vida serviu de resgate pela humanidade e d) Todo aquele que exercesse fé nele, seria salvo. Portanto, qualquer um que negasse esses pontos ou os distorcesse estaria falando “coisas deturpadas”. Poderia me dizer em que parte de meu site eu nego ou distorço qualquer um desses pontos? Vemos, pois, que a sua aplicação das palavras de Paulo estão, estas sim, deturpadas, pois ele nada falou sobre uma organização surgida nos Estados Unidos em meio à efervescência do movimento adventista e hoje conhecida como Sociedade Torre de Vigia. Nesse respeito, convido-o a pesquisar um pouco sobre a história do movimento ‘Estudantes da Bíblia’, um dos tantos que surgiram no final do século 19, nos Estados Unidos da América. O Adventismo do 7o. Dia também é originário daquela época e lugar. Os associados de C.T. Russel eram adventistas (George Storrs e Nelson Barbour). Diversas crenças deles – como a piramidologia - nada tinham a ver com a mensagem do apóstolo Paulo. Ele falava da primitiva congregação cristã, à qual dava testemunho. Pode você provar que ele – o apóstolo - se referia apenas à sua religião, excluindo todas as demais?

 

     A segunda dificuldade é: para aplicar a mim o texto de Atos 20: 30, você tem de provar com evidências de que aquilo que estou falando consiste em coisas deturpadas. Poderia me apontar exatamente onde eu deturpo os fatos? Pode demonstrar que as provas em minha HP são falsas ou distorcidas? Dou-lhe minha palavra que removerei do ar toda evidência que você me demonstrar ser falsa. Porém, caso, não o consiga fazer, ficará claro que você é que está a deturpar as coisas.

 

     Próximo texto, 2 Pedro 2: 1,3 –

 

“No entanto, houve também falsos profetas entre o povo, assim como haverá falsos instrutores entre vós. Estes mesmos introduzirão quietamente seitas destrutivas e repudiarão até mesmo o dono que os comprou, trazendo sobre si mesmos uma destruição veloz... Explorar-vos-ão também em cobiça com palavras simuladas. Mas, quanto a eles, o julgamento, desde a antiguidade, na está avançando vagarosamente e a destruição deles não está cochilando.”

 

     É interessante que o texto que você enviou fale especificamente de falsos profetas e falsos instrutores. Vejamos – sabe de alguma organização que tenha profetizado falsamente acerca de épocas e acontecimentos? Examine as declarações abaixo:

 

 

"Nós apresentamos prova de que... a 'batalha do grande dia do Deus Todo-Poderoso' (Rev. 16: 14)... terminará em 1914 A.D., com a vitória completa sobre o governo terrestre..."

- Estudos das Escrituras III, 1905, editorial 26 (em inglês)

"...a completa destruição dos poderes... deste mundo maligno - político, financeiro, eclesiástico - por volta do fim do Tempo dos gentios, outubro de 1914."

- Estudos das Escrituras IV, 1897, págs. 604,622  (em inglês) 

"A 'batalha do grande dia do Deus Todo-Poderoso' (Rev. 16: 14)... terminará em 1915 A.D., com a vitória completa sobre o governo terrestre...... consideramos uma  verdade estabelecida que o final dos reinos deste mundo, e o completo estabelecimento do reino de Deus, se cumprirão próximo do fim de 1915 A.D."

- Estudos das Escrituras III, 1915, editorial 101 e 99 (em inglês)

"Parece conclusivo que as 'dores de aflição' da Sião Nominal estão fixadas na passagem de 1918... há razões para crer que os anjos caídos invadirão as mentes de muitos da igreja nominal, levando-os a uma conduta excessivamente tola e culminando com sua destruição às mãos de massas enfurecidas... Também, no ano de 1918, quando Deus destruir as igrejas e seus membros aos milhões..."

- O Mistério Consumado, 1917, págs. 128,129 e 485 (em inglês)

"Seja como for, há evidência de que o estabelecimento do Reino na Palestina será provavelmente em 1925, dez anos mais tarde do que nós uma vez tínhamos calculado [isto é, 1915]."

- O Mistério Consumado, 1917, pág. 128 (em inglês)

"Por conseguinte, nós podemos esperar confiantemente que 1925 marcará o retorno de Abraão, Isaque, Jacó e os profetas fiéis da antiguidade... um cálculo simples dos jubileus traz-nos a este importante fato."

- Milhões que Agora Vivem Nunca Morrerão, 1920, págs. 88-90 (em inglês)

"Os fatos indisputáveis, por conseguinte, mostram que o 'tempo do fim' começou em 1799..."

- Watchtower (A Sentinela) de 1/3/1922

"... os meses que restam antes do Armagedom."

- A Sentinela de 15/9/1941, pág. 288  (em inglês)

"Devemos presumir, à base deste estudo, que a batalha do Armagedom já terá acabado até o outono de 1975 e que o reinado milenar de Cristo, há muito aguardado, começará então? Possivelmente... A diferença talvez envolva apenas semanas, ou meses, não anos."

- A Sentinela de 15/2/1969, pág. 115  (em português)

"O apóstolo Paulo servia de ponta de lança na atividade missionária cristã. Ele também lançava o alicerce para uma obra que seria terminada em nosso século vinte."

- A Sentinela de 1/1/1989, pág. 12  (em português)

      Reconhece a fonte das previsões proféticas acima? Agora, por favor, me responda – algumas dessas previsões cumpriu-se ou a Sociedade Torre de Vigia enquadrou-se perfeitamente na descrição do apóstolo Paulo – um genuíno falso profeta?

 

     Observe também as instruções abaixo:

 

“A vacinação é uma violação direta do pacto eterno que Deus fez com Noé após o dilúvio”.

                                                       - A Idade de Ouro de 4/2/1931, pág. 293 (em inglês)

“Pessoas ponderadas prefeririam ter varíola em vez de serem vacinadas, porque as vacinas propagam as sementes da sífilis, cancros, eczema, erisipelas, scrofula, tuberculose, até a lepra e muitas outras doenças nojentas. Portanto, a prática da vacinação é um crime, um ultraje, e um engano.”

                                                         - A Idade de Ouro de1/5/1929, pág. 502 (em inglês)

         “As vacinas nunca salvaram uma vida humana. Não previnem a varíola.

                                                          - A Idade de Ouro  de  4/2/1931, pág. 294 (em inglês)  

"Embora milhares de transplantes de córnea sejam realizados cada ano...Há aqueles, como as testemunhas cristãs de Jeová, que consideram todos os transplantes entre humanos como canibalismo..."

                                                                                  - Despertai! de 8/12/1968, págs. 21,22 

"...as Testemunhas de Jeová se opõem em sã consciência a todos os transplantes como sendo mutilação desnecessária de seus corpos criados por Jeová, e puro canibalismo."

                                                                                     - Despertai! de 8/12/1968, pág. 30   

     Agora, pergunto-lhe – os ensinos acima tornam ou não a Sociedade Torre de Vigia uma organização de falsos instrutores? Caso discorde, então deve ser capaz de ver a enorme ‘sabedoria’ por trás desses  conselhos....

 

     Para completar, perceba que o texto fala na introdução de seitas. Poderia me mostrar em que parte de meu site convido as pessoas a ingressarem em alguma seita? Por outro lado, C.T. Russell – o fundador das Testemunhas de Jeová - foi criado como presbiteriano, depois mudou para o congregacionalismo, depois associou-se com os adventistas e, por fim, fundou seu próprio movimento, agindo individualmente, sem recorrer a qualquer ‘escravo fiel’ em seu tempo. Na verdade, ele cria que ele próprio era esse escravo (Livro Proclamadores, p. 143). Não se enquadraria isso na própria definição de ‘apostasia’ dada pela Sociedade? Não criou ele uma seita, na plena acepção da palavra?

 

     Note, ainda que o texto fala de palavras simuladas. Quer um exemplo? Veja a contracapa da Despertai! de 22/7/2001, onde palavras claramente simuladas fazem propaganda da ONU, a quem a Sociedade ensinou por anos ser a ‘imagem da fera’  de Apocalipse (livro Revelação... , pp. 194 e 195). E o pior, no próprio site da ONU vê-se claramente a Sociedade Torre de Vigia (Watchtower) listada entre as organizações não governamentais filiadas ao Departamento de Informação Pública das Nações Unidas, a mesma instituição que o corpo governante ensinou, por anos, ser o instrumento de Satanás. Se duvida, queira, por favor, visitar o seguinte endereço: http://www.geocities.com/osarsif/onu2.htm .

 

     O texto de 2 Timóteo 2: 18 já foi comentado e, como vimos, se encaixa como ‘luva’ na Sociedade Torre de Vigia. Vamos, pois, ao relato do livro de Números. Lá, vemos a história de Corá, Datã e Abirão, os quais se rebelaram contra Moisés - repito - contra Moisés. A designação de Moisés acha-se claramente apontada na escritura, em Êxodo 3: 10. De modo que rebelar-se contra ele, em vista da autoridade que lhe fora concedida, era, de fato, o mesmo que rebelar-se contra Deus. No entanto, pergunto-lhe: em que parte da Bíblia está citada especificamente a designação da Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados, com sede nos Estados Unidos, bem como as claras designações de Russell, Rutherford e Fred Franz? Se você não conseguir mostrá-las, então ficará claro que estamos diante de um falsa analogia, na qual procura igualar a autoridade de Moisés à autoridade dos líderes de sua própria religião. Já parou para pensar que qualquer pessoa nesse mundo pode fazer o mesmo com relação à religião dela?

 

     Assim sendo, prezado leitor, fica claramente demonstrada a fragilidade de seus argumentos e, como mencionei no início, o caráter emocional de suas crenças. Infelizmente, conforme poderá constar em minha ‘Seção dos Leitores’,  sua mensagem está bem dentro do padrão pueril das Testemunhas que se sentem melindradas diante do peso das denúncias que faço, com provas documentais. São mensagens lacônicas, patéticas, altamente emotivas e sem qualquer contestação séria. Por mais que eu peça, elas jamais são capazes de me apontar uma única contraprova e creio que este será também o seu caso. Compreendo essa reação já que, tendo eu próprio sido uma delas por cerca de 14 anos, sei muito bem do processo de intimidação psicológica que se impõe a qualquer um que ouse questionar os ensinos emanados de Brooklyn. A pessoa poderá ser banida do seio dos amigos ou da família – um autêntico apedrejamento social. As Testemunhas são apenas vítimas de um insidioso processo de ‘controle mental’, semelhante àquele empregado por organizações radicais, tais como o Hesbollah ou o grupo de Osama bin laden. Os métodos de doutrinação são bem similares. Sugiro-lhe ler a obra “Combatendo o Controle Mental dos Cultos”, de Steve Hassan (em inglês). Neste livro, ele tece uma análise científica do processo de ‘lavagem cerebral’ dos cultos sobre seus adeptos. De fato, o fundamentalismo religioso é a grande praga do século 21. Só serviu para dividir a humanidade – a mensagem que você enviou a mim é mais uma evidência disso.

 

     Concluo esta réplica afirmando que sua mensagem só reforçou minha convicção de que as Testemunhas de Jeová são vítimas de uma farsa e que precisam de quem lhes abra os olhos. Elas simplesmente reproduzem os ensinos da organização central, completamente desprovidas de senso crítico. Até as passagens bíblicas que você me enviou, todas fora de contexto, são as mesmas continuamente deturpadas pela Sociedade Torre de Vigia em sua literatura, com propósito de autopromoção e para obter a submissão de suas vítimas.

 

      Recomendo-lhe pesquisar um pouco mais sobre o movimento ao qual entregou-se. Talvez descubra coisas nele – a exemplo de algumas expostas em  minha HP – que lhe foram ocultadas antes de seu batismo e que teriam feito diferença na sua decisão. Para mim, isso tem nome –desonestidade intelectual. A mesma desonestidade encontrada em outros sistemas, religiosos ou políticos. Pode provar o contrário?

 

     Sinta-se à vontade para tentar...

 

     Atenciosamente,

 

     Odracir

 

OS: parabenizo-lhe pela coragem de ter tido pensamento independente (algo condenado em A Sentinela de 15/7/1983, pág. 22), visitando minha HP e me escrevendo. Espero que também me desculpe por não ter podido ficar calado. 

 

 

 

Palavras de Apreço

Início

L..F., Brasil, 18/9/2001 

 

    Quero parabenizá-lo mais uma vez por sua HP  - a habilidade e a clareza na argumentação são honestas  e de fácil compreensão. Que Deus o abençoe sempre e conte comigo!

 

 

| Home | Apresentação | Dossiê | História | Doutrinas | Previsões | Medicina | O Nome de Deus  |
| Ocultismo | Atualidades | Mail List  | Depoimentos | Links | Correspondência | Início |