Nota: meus comentários estão em cores, os de Hermman, em preto.

 

 

 
Passo agora a refutar a segunda mensagem de Hermman, desta vez atribuindo má fé aos moderadores desta lista.
 
 
O Mensageiro não é importante?

Sobre esta pergunta, passo a expor uma opinião que  - creio - em muito suscitará seu interesse. Vamos a ela:
 
  "Uma verdade apresentada pelo próprio Satã é simplesmente tão verdadeira quanto uma verdade declarada por Deus... Aceite a verdade onde quer que a encontre, não importa o que ela contradiga."
 
A pessoa cuja opinião está acima expressa - creio - é alguém por quem você, Hermman , tem a maior estima e admiração. Mais que isso, trata-se de alguém muito especial em sua vida, alguém sem cujas idéias você não seria quem é hoje. Ele nasceu em Allegheny, Pensilvânia em 16 de Fevereiro de 1852. Seu nome? Charles Taze Russel. Isso mesmo, o fundador da sua religião e "Pastor" dela por mais de 30 anos. E as palavras mencionadas não eram simplesmente uma opinião velada, expressa aos amigos mais íntimos, mas foram publicadas como "alimento espiritual no tempo apropriado", na revista "Torre de Vigia de Sião" de Julho de 1879, págs. 8 e 9 (em inglês). Ao que parece, a pessoa identificada e proclamada por anos como o "servo fiel e prudente" (Watchtower de 1/12/1916) não achava que "o mensageiro" fôsse importante, não é, Hermman? Discorda dele? Aparentemente sim, o que para mim não é novidade em face de diversas outras flagrantes divergências entre as suas opiniões e as da atual "classe" do "Escravo Fiel e Discreto" - como "comer à mesa de demônios", por exemplo...
 

Uma das principais proposições desta lista,  a qual me agradou a princípio, foi a possibilidade de discutir livremente alguns assuntos e se possível, ajudar algumas pessoas ao expor algumas idéias e pensamentos que acredito estar em harmonia com a escritura.
 
Queira, por favor, reler os estatutos da lista e perceba que nossos objetivos não são vagos ou genéricos ("alguns assuntos", como você diz), mas endereçam-se à instituição Torre de Vigia de Bíblias e Tratados (sua origem, desenvolvimento, metodologia etc.) e às pessoas submetidas ao processo arbitrário de controle mental e exclusão social dela oriundos. Abre-se espaço, sim, para discussão de certos temas, desde que relacionados ao objetivo principal (artigo 1o., ítem "e"). Além disso, está expresso, no artigo 2o., ítens "e" e "g", que não são objetivos desta lista atacar valores morais e espirituais da sociedade em geral ou traçar uma "trilha" espiritual para seus membros. Não somos uma religião nem exigimos conformidade. Todavia, não é segredo que a sociedade em geral não vê com bons olhos práticas homossexuais. Isto variará para mais ou menos, a depender da cultura a que a pessoa pertence. Também é fato que a sociedade em geral (pelo menos a ocidental) crê na Bíblia. Imagine então o que pensam os adeptos de minorias religiosas radicais, como A Torre de Vigia. Acha que eles saem de lá e, do dia para a noite, tornam-se permissivos com relação a estas coisas? Se você pensa que sim, está apenas demonstrando sua tendência à categorização e ao preconceito. Estas pessoas ainda preservam valores e nós achamos que eles devem ser mantidos, do contrário tornar-se-ão "naus à deriva". Atacar tais valores só servirá a dois propósitos: 1) Induzir a pessoa a retornar ao controle mental da Torre de Vigia ou 2) Induzí-la à perda total da espiritualidade que - quer você queira ou não - pode subsistir sem a intervenção daqueles homens "encastelados" em Brooklyn. Qualquer uma destas duas hipóteses foge totalmente aos objetivos desta lista.

Entretanto, ao que parece o principal objetivo tem sido: destroçar a sociedade torre de vigia, não importa por quem seja, o que ela acredita, ou mesmo a fonte das informações providas. Com isso, lembro-me bem da frase "o mensageiro não é importante".
 
Errado. Primeiro, os objetivos da lista estão no estatuto e dele não consta "destroçar" a Sociedade Torre de Vigia. SE este fôsse nosso objetivo, sua presença aqui não seria permitida. Reunir-nos-íamos apenas com quem ataca a Sociedade e pronto. Mas não é assim. A Sociedade requer conformidade de grupo, esta lista, não. A sua pesença aqui é uma prova cabal disto. Isto ocorre simplesmente por acreditarmos no princípio jurídico do contraditório, segundo o qual, ninguém ou nenhuma instituição poderá ser julgada sem direito à defesa. O espaço continua aberto a quem dispuser de provas que  refutem nossas denúncias. Você confunde investigar e denunciar com "destroçar". O que talvez difira marcantemente seja a metodologia: procuramos nos ater às evidências concretas, tais como documentos e literatura. Você, ao que parece, prefere expressar o que acha e sente.  Segundo, de fato, não nos importa as convicções do denunciante, mas, antes, as evidências concretas por ele apresentadas. Terceiro, a "fonte" das informação compõe-se de: a) A literatura da Organização   b) Correspondência da própria sociedade, com timbre, data e assinatura  c) Correspondências de terceiros para a Sociedade ou representantes d) Documentos oficiais    e) Reportagens de imprensa  f) Depoimentos   etc.  Todas estas são linhas de evidência aceitas nas cortes do mundo inteiro. Por que seriam rejeitadas aqui? Por que você tenta desviar a atenção das provas para o fornecedor delas? O motivo me parece óbvio...

A todos aqueles que professam o cristianismo nesta lista digam-me: O mensageiro é ou não importante?
 
Resposta: de acordo com as cortes do mundo inteiro, NÃO. A VERACIDADE da informação, sim! E, conforme provei acima, isto está de pleno acordo com o que pensava o fundador de sua religião, "Pastor" Russel. Sua tentativa de desacreditar uma prova em razão da idoneidade moral da fonte é vã e pueril, mera "cortina de fumaça". Caso você não saiba, o Código Penal Brasileiro - a exemplo de outros países - prevê a atenuação de pena para o criminoso que auxiliar a Justiça na identificação e captura de seus comparsas, existindo, inclusive o programa de proteção a testemunhas. De fato, o depoimento de tais pessoas tem sido de enorme relevância na elucidação de casos que, de outra forma, seriam insolúveis. Saiba que os depoimentos de ex-integrantes de um grupo são os mais procurados pela Justiça no afã de desmascar tais grupos. E os exemplos são muitos: todos temos acompanhado pela imprensa o desbaratamento de uma quadrilha de ladrões de carga e traficantes com ramificações por todo o país, graças ao depoimento de um dos  ex-integrantes, um criminoso (Jorge Neres). Há anos atrás, a polícia italiana conseguiu deitar mãos em uma quantidade nunca antes vista de "chefões" da máfia, graças ao depoimento de um ex-mafioso (Tommasio Buscetta).O famoso mafioso Al Capone só foi preso graças ao depoimento de seu contador e comparsa. Eram criminosos, mas falaram a verdade. Praticamente nenhum crime - especialmente o violento - seria esclarecido sem a cooperação de "informantes", geralmente ex-condenados ou pessoas em liberdade condicional - dificilmente o tipo que se poderia chamar "idôneo", não acha? O que importa, Hermman, não é o que a pessoa pensa ou quem ela é, mas o que ela sabe. Caso você não saiba, sua manobra é típica dos advogados de réus que têm o que esconder e que, não tendo como refutar as provas, passam a atacar a fonte (ad hominem)...
 
 
 É obrigação moral e cristã, ajudar, através do diálogo aqueles que porventura desviaram-se de sua crença no Criador, na sua Palavra ou normas?
 
Sim, especialmente quando se confunde "crença no Criador" com crença na Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados, Brooklyn - New York - USA...
 
 Ou não importa isso contanto que se esteja fora das testemunhas?
 
Não nos cabe dizer para onde a pessoa deve se dirigir. Repito, não somos guias ou líderes espirituais. Esta é uma questão de foro íntimo. Cada cidadão é livre pelas leis do país para decidir a que credo aderir. Nosso objetivo é expor aquilo que a Torre de Vigia oculta de seus adeptos. Entendemos tratar-se de desonestidade, porisso denunciamos. É uma lástima que muitos precisem dela como "muleta"emocional.O irônico é que a própria Organização diz que não é perseguição religiosa expor falsas religiões - "A Sentinela" de 15/11/63. Se, após tomar conhecimento dos fatos, a pessoa decide continuar na organização (o seu caso), isto é uma escolha cuja responsabilidade e consequências cabem à própria pessoa. Lamentamos, mas respeitamos. Achamos que cumprimos nosso dever esclarecendo, fornecendo informações a que a pessoa tinha direito e que lhe foram ocultadas. Você parece achar que, para opor-se a uma instituição religiosa, é preciso ser parte de outra instituição religiosa ou que, para se denunciar uma religião falsa, deve-se dispor de outra religião para oferecer.Ledo engano. Isto faz parte do pensamento hermético e estanque no qual foi doutrinado. É o que se chama falso dilema. É compreensível...
 
 Por que então reprimir aqueles que dialogam sobre estes assuntos?
 
Porque as pessoas que aqui chegam provêm de um sistema onde se aplica a conformidade de grupo e, como tal, impregna-se-lhes a mente com a idéia da categorização, do rótulo. Por exemplo, suponhamos que, de uma lista de 50 pessoas,  2 aprovam o homossexualismo, 5 não são nem contra e nem a favor e as outras 43 desaprovam-no veementemente. Isto é perfeitamente possível, já que aqui não exigimos uniformidade de pensamento nem policiamos a consciência das pessoas. Pense agora: se alguma dentre aquelas 2 emite um e-mail contendo uma apologia ao tema justamente no momento em que chega um recém-inscrito, o qual encontra-se em conflito com relação à sua fé na Organização, qual será a provável reação dele? Eu lhe digo: ele sairá "correndo" desta sala e se "entregará" aos anciãos dizendo: "Meus irmãos, estive ao ponto de deixar a Organização e me envolvi com apostasia na internet, mas, felizmente o anjo de Jeová me "avisou" e eu vi. Aqueles apóstatas, irmãos - imaginem - apoiam a imoralidade sexual, o homossexualismo, são todos iguais, uns degenerados, do jeito que a Sociedade diz...." E, assim, por causa de um comentário inoportuno, fecha-se a mente da pessoa a todas as informações que a Organização ocultou da pessoa, perpetuando o controle mental. Condicionada por anos, sob os "cuidados" do Corpo Governante, à mentalidade dos "compartimentos", a pessoa raciocina à base de categorizações e generalizações. Na ilustração mencionada, todos os outros 48 membros são "categorizados" juntamente com os 2 membros que se expressaram. E isto nós queremos evitar. Lamento que você não compreenda (ou finja que não compreende).
 
 Por acaso estão escondendo (ou tentando esconder) daqueles que ainda estão associados a organização a gama de crenças e posicionamentos (por demais confusos, com certa lógica ou diferentes) que muitas das ex-tjs têm, ou poderão ter?
 
Não. Estamos apenas seguindo a estratégia de Paulo: "Para os debaixo de lei, tornei-me como debaixo de lei, embora eu mesmo não estivesse debaixo de lei, para ganhar os debaixo de lei; para os sem lei, tornei-me como sem lei, embora eu não estivesse sem lei para com Deus, para ganhar os sem lei. Para os fracos, tornei-me fraco, para ganhar os fracos." (I Coríntios 9: 20-22) Paulo era um fingido, Hermman? Não, simplesmente procurava demonstrar EMPATIA. Procuramos fazer o mesmo. A pessoa recém-chegada aqui, só conhece a realidade "maniqueísta" que a Sociedade lhe inculcou por anos. Requererá tempo até ela discernir que existe espiritualidade e dignidade, sim, vida, fora da Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados - Cesário Lange -SP. Até lá, ela será um "paciente de risco". E como tal a trataremos...
 
 
 Ou será que os próprios moderadores preferem fugir deste assunto (assim com algumas tjs - que eles mesmo criticam, parecem fugir da "conversa com apóstatas")?
 
Não distorça as coisas. Eu, pessoalmente, sou capaz de conversar sobre todo e qualquer assunto. Não fujo de tema algum. Nada me choca. Creio que Cid também pensa assim. Mas diversos outros na lista, não pensam assim. Portanto, em respeito às consciências destas pessoas, abstemo-nos de tratar de certos assuntos aqui. Este princípio foi demonstrado por alguém muito ilustre - ninguém menos do que Cristo. Ele, certa vez, disse a seus discípulos: "Tenho muitas coisas para vos declarar, mas não sois, no momento, capazes de suportá-las." Note que, mesmo coisas maravilhosas - reveladas por Cristo - eram, em um certo tempo, difíceis de aceitar. Serviriam de "pedra de tropeço" aos discípulos. Que dizer então de realidades duras, para as quais os olhos da pessoa foram vendados durante sua formação dentro de uma "bolha" social?!
 
Quanto à questão da intolerância, receio que a religião com que está associado não tenha idoneidade para questionar, pois você próprio seria desassociado por "conversa com apóstatas" - mesmo defendendo a Organização - caso sua presença aqui fôsse delatada por nosso "espião". Lembra-se do caso de nosso companheiro Aquino? Por outro lado, foi alguém excluído desta lista por discordar dos moderadores? E quanto à Sociedade Torre de Vigia? Tem se mostrado disposta ao diálogo com a dissidência? Ou prefere classificá-los de "apóstatas hidrófobos" ("A Sentinela" de 1/7/94)? O próprio presidente, Milton Henschel, quando em visita ao Brasil, declarou que a Sociedade não refuta as acusações dos dissidentes. Este silêncio, pretendido como evidência de "estar acima das suspeitas", em qualquer tribunal, pesaria contra o réu, constituindo indício de culpa e, portanto, ausência de provas em seu favor. A Sociedade emprega comumente o termo "opositores" com respeito aos dissidentes, mas não tem espelho para enxergar que ela própria é opositora impiedosa de todas as outras religiões, implacável em suas críticas. Quer algumas provas? Eis algumas: a publicação "The Finished Mistery" (1917), anunciando a destruição das outras religiões em 1918, com milhões morrendo nas ruas, o livro Light (1930), pág. 47, classificando as outras religiões de "falsos profetas", o livro Paradise Restored (1972), págs. 353,354, confirmando a afirmação anterior, o livro "Verdadeira Paz e Segurança - Como Encontrá-la?" (1986, em inglês), pág. 25, expondo uma foto de clérigos saudando Hitler, e, ao mesmo tempo, não mencionado a carta de "bajulação" ao führer (Junho de 1933) que a Organização redigiu e eu traduzi para o português; ou as revistas "Watchtower" ("A Sentinela") de 15/10/58  e 15/6/74 e "Awake!" ("Despertai!") de 8/10/68 e 8/12/81, todas acusando as outras religiões de constituírem "falsos profetas" por atribuírem falsas datas ao "fim do mundo" e se esquecendo dos 'fiascos' de 1799, 1874, 1878, 1914, 1918, 1920, 1941, 1975 e assim por diante. Um 'currículo' invejável, não? Convido-o a provar o contrário...

Por falar em foco, será que a crença no Criador ou suas normas, bem como as questões básicas de fé cristã não são os principais motivos de alguém ser testemunha de Jeová (pelo menos da maioria, como é o meu caso)?
 
Sim, embora outras motivações subjacentes, tais como o desejo de pertencer a um grupo especial, o senso de identidade e aceitação e o desejo de conhecimento especial também existam - a psicologia bem o sabe. Todavia, estas motivações não são exclusivas daqueles que ingressam nas fileiras das Testemunhas de Jeová. Experimente indagar a um adventista, pentecostal ou muçulmano quais suas motivações ao ingressar na religião. Acho que todos nesta lista já conhecem as prováveis respostas, menos você. Aqui, mais uma vez, você demonstra todo o preconceito de que é portador com relação às outras religiões. Uma atitude já esperada...
 
 Por que então negar a confrontação dialética? Para mim honestamente, é o mesmo que dizer: "Gente, tem muita Tj aqui muitas não sabem quem realmente somos, por que saímos, por que não voltamos (os motivos variam muito de pessoas por pessoa) mas o importante é que eles pensem que: acreditamos no Criador, não somos a favor do liberalismo sexual, e nem temos crenças esdrúxulas (para as Tjs) para não espantar as pobres presas. Primeiro tiramos ela da organização, depois cuidamos do resto."
 
Neste trecho é flagrante sua tentativa de tentar lançar mão da categorização em proveito da sua religião - mesmo admitindo que os motivos variam de pessoa para pessoa - uma forma de pensar à qual mui provavelmente a pessoa ligada à Torre de Vigia está acostumada. Vejamos: o "povo de Jeová" - o único moralmente limpo e virtuoso, aquele que "herdará a terra"; as outras religiões: "Babilônia, a Grande" - o império mundial de religião falsa; os dissidentes: "apóstatas odiosos" - "garçons" à "mesa de Satã", havendo entre eles toda sorte de iniquidade (ateísmo, homossexualismo, falsificação etc.) Simples, não? A humanidade inteira dividida em apenas 3 categorias. Basta escolher a "Torre" e pronto! Com isso, você espera que a pessoa feche os olhos a todas as práticas condenáveis e falsas doutrinas da Watchtower, entrando naquilo que se chama falso dilema, ou seja, se esta lista está errada, então é porque a Torre de Vigia está certa. Seu desejo é que a pessoa pense: "por aqui há quem defenda homossexualismo, quem duvide da autenticidade da Bíblia ou duvide da existência de Deus, logo, não pode haver aqui verdade alguma. Vou retornar à minha religião anterior onde, bem ou mal, pelo menos eu pensava estar servindo a Deus..." Já parou para pensar que tal pensamento pode reverter qualquer pessoa de volta à sua religião original, seja ela protestante, mórmone, católica ou muçulmana? Por que julga que tal linha de raciocínio só é válida se aplicada à sua própria religião? Eu respondo: por causa de seu pensamento tendencioso de estar na única religião verdadeira. Seu linguajar dúbio não consegue ocultar que é exatamente este seu pensamento. Hermman, não se esqueça de que já fui TJ - por mais de 14 anos - e sei exatamente como uma TJ se sente em relação à Organização. Não espere que acreditemos que é diferente no seu caso...

Se por outro lado a questão for o foco, não deve parecer estranho que tantos irmãos ("condicionados pela sociedade", na verdade com a mente mais em foco em outros assuntos e interesses) não façam parte de lista como estas (além é claro das recomendações da sociedade).
 
As pessoas que estão na Organização não fazem parte desta ou de outras salas - exceto sob anonimato - por uma única e simples razão: são ensinadas na literatura da Sociedade a não "alimentarem-se à mesa de demônios" - "A Sentinela" de 1/7/94, págs. 11a13 - e a "odiar no sentido bíblico" os dissidentes ou "apóstatas" como ela chama - "A Sentinela"de 1/11/93. É claro, na própria revista, a Sociedade afirma que, mesmo que a pessoa professe crer em Deus e na Bíblia, caso não seja membro da Torre de Vigia, é um apóstata "repugnante". A pessoa sabe que será imediatamente desassociada. Prega-se uma atitude semelhante à dos membros da Organização diante do episódio de 1937, envolvendo as denúncias do superintendente da filial do Canadá, W. Salter (aquele que comprava caixas e caixas de uísque para o presidente da Sociedade) , contra Rutherford, após o que, os membros da filial declararam por escrito sua "fidelidade" ao presidente, compromentendo-se a destruir, sem ler, todo e qualquer documento de denúncia contra ele.Tal espírito se reflete nas palavras da edição de "A Sentinela" de 1/5/84, proibindo receber literatura de outras religiões. Há também uma gravura onde se insta junto aos irmãos que destruam literatura "apóstata" sem ler! O que aconteceria a você se descobrissem que você discorda, Hermman???

Sei que esta lista já proporcionou muitos diálogos positivos e também alguns debates meio amargos, mas essa "camuflagem" não me parece muito ética.
 
Com relação ao tópico "camuflagem", Hermman, creio que a Sociedade tem muitas lições a ensinar ao camaleão. Pois só mesmo um corpo "expert"em "camuflagem" conseguiria ocultar de seus membros, por décadas, seu envolvimento em: piramidologia - fartamente documentada na literatura da Organização desde o 3o. volume de "Studies in the Scriptures" (1897), os livros dos irmãos Morton (1915) e as revistas Zion's Watchtower (1881) e Watchtower (1917 até 1928); necromancia - "The Finished Mistery" (1917), págs. 144,256, afirmando que o morto Russel continuava a supervisionar a obra de 'colheita' e "Watchtower"de 1/11/1917, confirmando este pensamento; espiritismo - Investigator no. 24/5/1992 , onde se vê o endosso da Organizaçào à tradução do ex-sacerdote Johannes Greber, um médium espírita, e Kingdom Interlinear Translation (1985), onde ela se apóia na tradução de John S. Thompson, outro adepto do espiritismo; astrologia - por 62 anos a Sociedade ensinou que Deus residia na estrela Alcyone, localizada na constelação de Plêiades, Thy Kingdom Come, (1891), págs. 313 - 369 e Reconciliation (1928), pág. 14; na revista "Watchtower"de 1/5/1903, pág. 3184, reprints, as posições astrológicas dos planetas são usadas para apoiar a "era prometida" desde 1914; comunicação com anjos - Preservation (1932), onde Rutherford declara que o Espírito Santo deixou de operar desde 1918 e que, a partir de então, os anjos transmitiam a palavra de Deus desde a estrela de Alcyone; maçonaria - o uso da imagem do elmo da armadura dos Cavaleiros Templares do 33o. grau da maçonaria estampado na capa da revista "Watchtower"até 1931; ocultismo - as capas de todos os volumes de "Studies in the Sciptures" - incluindo o "The Finished Mistery" - contendo o símbolo do deus-sol Rah, egípcio, e as capas das edições de "Watchtower" ("A Sentinela") até 1931, contendo o símbolo pagão da cruz e coroa; racismo- As edições da revista Zion's Watchtower de 15/7/1902 e 15/2/1904,  afirmando a superioridde da raça branca sobre as demais e dizendo que, no novo sistema,  a pele negra (etíope) será "restaurada" à cor original , e muito, muito mais.  Hermman, você há de concordar que, sendo a esmagadora maioria das TJ sinceras em nossos dias ignorante de tais fatos, realmente o Corpo Governante tem muito o que ensinar sobre "camuflagem", não???

Minha opinião sincera, sem interesse de ofender.
 
Minha refutação, com interesse de esclarecer.

Hermman
Odracir
 
PS: renovo o apelo para que as denúncias sejam refutadas com provas materiais e não com opiniões e sentimentos.

 

| Home | Apresentação | Dossiê | História | Doutrinas | Previsões | Medicina | O Nome de Deus  |
| Ocultismo | Atualidades | Mail List  | Depoimentos | Links | Correspondência | Início |