Esta mensagem foi o começo de tudo. Ela nasceu de minha observação da trajetória de um membro de nossa lista, o qual,  declarando-se Testemunha de Jeová convicta, parecia-me adotar uma posição um tanto contraditória: por um lado, defendia tenazmente as doutrinas da religião e, por outro, deixava de seguir uma norma fundamental desta mesma religião, segundo a qual não se deve jamais conversar com dissidentes. Foi então que escrevi o seguinte:

        Prezado Hermman

 

       A uniformidade de pensamento não é, de fato, um requisito nesta lista. Não há sanções contra quem discorda. Nem corte de privilégios nem desassociações. Nesta lista há quem critique (eu, Osarsif e outros) e há quem defenda a Watchtower (você, por exemplo) e isto só depõe em nosso favor, pois não há comissões judicativas aqui contra você por sua forma de pensar e pelo fato de você frequentar os dois ambientes: o da organização e o dos "apóstatas" (nós). Pessoalmente considero louvável que um homem se permita a livre investigação e o confronto de idéias - coisa, entre nós, permitida - se estes são seus objetivos. Todavia, não posso deixar de ver uma inconsistência, sim, um  contradição em sua posição concernente à "mãe" organização. Não creio que você desconheça qual a posição organizacional da Torre de Vigia com relação a participar das discussões neste ou em qualquer outro ambiente onde, segundo ela própria, permeia a apostasia e o espírito satânico. Não creio que você desconheça o que lhe estaria reservado caso chegasse ao conhecimento dos anciãos de sua congregação a sua presença aqui. Não creio que você desconheça o princípio da organização de que, para ser membro dela e fiel a Deus, requer-se da pessoa 100% de confiança nela e 100% de adesão aos princípios e normas por ela  estabelecidos, pois isto se encontra na própria literatura dela, a qual julgo que você conheça. Não creio que você desconheça qual seria a posição do corpo governante, caso você lhe enviasse correspondência indagando-lhe sobre a licitude de participar de nossa lista. Não creio que você desconheça qual O TÍTULO  que lhe dariam as pessoas de sua congregação, caso soubessem deste fato. Não creio que você desconheça que é OBRIGADO a ocultar sua participação aqui dos seus irmãos de fé, sob pena de pesadas punições, quem sabe uma suspensão de privilégios, uma repreensão pública (prática que eu abomino) ou até uma desassociação. Não creio que você desconheça o fato de a sociedade estar centrando seu fogo no momento na apostasia, especialmente aquela apresentada na "internet" e que tem DESASSOCIADO sistematicamente diversas pessoas por tal prática ultimamente ( o que, obviamente, incluiria VOCÊ), numa verdadeira operação de "caça às bruxas", visando a prevenir o alastramento  da dissidência, a tão temível gangrena da apostasia. Não creio que você não tenha lido as últimas publicações da sociedade ALERTANDO sobre a participação em tais "sites" e CONDENANDO-A veementemente. Não creio que você consiga "selecionar" o que obedecer ou não daquilo que é ensinado pelo assim chamado "escravo fiel e discreto" e ainda assim se considerar um membro fiel do povo de Deus, quando sabem muito bem o que este povo pensaria  de seu procedimento e que tratamento lhe dariam. Não creio que você desconheça o enorme dilema em que se encontraria se, um dia, você fosse designado para proferir um discurso ou demonstração em um congresso de circuito sobre como um cristão deve se comportar diante da apostasia cibernética, não segundo a sua opinião - a qual, pelo visto, não é a mesma do corpo governante a quem deveria estar submisso - mas segundo a opinião de Brooklyn, a qual, a esta altura, não creio que você desconheça.

 

      Enfim, não creio que você deconheça o fato de que, segundo o "escravo fiel e discreto" - não segundo nós - só exitem duas opções:

 

   A) Ser um membro fiel da "organização visível" de Jeová, submetendo-se, SEM RESERVAS, às normas servidas em seu "alimento certo no tempo apropriado", desligando-se imediatamente desta lista, confessando sua gravíssima transgressão ao corpo de anciãos de sua congregação, demonstrando genuíno arrependimento e submetendo-se às devidas punições, ou

 

   B) Continuar a ser parte desta lista (o que eu sinceramente desejo) e, em face desta atitude - a qual está obviamente em franco confronto com o que a organização de Jeová pensa - FINGIR que ainda é membro fiel da congregação (ocultando suas práticas e não as confessando), quando, na verdade, não passa de mais um "APÓSTATA", igual a todos nós. Neste respeito, penso ser de pouca relevância o que você pensa em face do que a organização a qual você diz pertencer pensa.

 

    Se há, SEGUNDO  A SOCIEDADE TORRE DE VIGIA,  alguma outra opção, por favor, faça-me sabê-la, pois, após mais de 14 anos na congregação e após uma profecia falida (1975), não consigo ver de que outra forma ela encararia seu procedimento. A menos que isto não importe muito para você,  e, neste caso, TAMBÉM É UM APÓSTATA!

 

    Qualquer coisa além disso não passa de representação teatral. Contudo, caro amigo, se for para o seu bem, eu até posso compartilhar esta sua fantasia...

 

 

       "CONHECEREIS A VERDADE E A VERDADE VOS LIBERTARÁ"

       

                      ...a todos.

 

 

 

| Home | Apresentação | Dossiê | História | Doutrinas | Previsões | Medicina | O Nome de Deus  |
| Ocultismo | Atualidades | Mail List  | Depoimentos | Links | Correspondência | Início |